Parece um carro de competição. Este é o novo Alpine A110 R

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Salão de Paris 2022

Parece um carro de competição. Este é o novo Alpine A110 R

Mais leve, mais aerodinâmico e mais radical. Assim se pode descrever em poucas palavras o novo Alpine A110 R.

Depois de vários teaser, o Alpine A110 R foi finalmente revelado e não sobram quaisquer dúvidas: o mais recente dos A110 é mesmo o mais radical de sempre. A marca francesa levou ao extremo todo aquilo que o hardware deste coupé tem para oferecer.

Desde logo num dos requisitos mais importantes num «verdadeiro» desportivo: o peso. Com 1082 kg, o novo Alpine A110 R é 34 kg mais leve que o Alpine A110 S — um modelo que já tivemos oportunidade de testar no Circuito do Estoril.

Para perder este quilos, foi aplicada uma receita à base do principal ingrediente que encontramos nos modelos de competição. Isso mesmo, carbono.

A NÃO PERDER: Testámos o Alpine A110S agora com 300 cv. Este ou o Porsche 718 Cayman?
Alpine A110 R

Neste A110 R temos um capô em fibra de carbono que permitiu poupar 2,9 kg; jantes de 18” produzidas com recurso ao mesmo material que são 12,5 kg mais leves; e, finalmente, o vidro traseiro foi substituído por uma cobertura também em carbono.

O interior não foi poupado a esta dieta. A fibra de carbono está presente nos bancos da Sabelt, o que permitiu poupar mais 5 kg. Além disso, estes bancos receberam cintos de segurança de seis pontos, num claro piscar de olho ao mundo da competição e, sobretudo, aos fins-de-semana de track-day.

Aerodinâmica mais apurada

Além do peso mais reduzido, o Alpine A110 R conta também com uma aerodinâmica mais apurada em comparação com os restantes A110.

Com o objetivo de melhorar a downforce e, por conseguinte, a tração, os engenheiros da Alpine equiparam o A110 R com diversos elementos aerodinâmicos em fibra de carbono.

Entre outros elementos, encontramos um difusor maior e mais complexo, saias laterais e um spoiler traseiro que permite criar até 29 kg de downforce .

VEJAM TAMBÉM: R5 Turbo 3E. Se o Renault 5 Turbo nascesse hoje seria assim

Suspensão revista

Com as pistas «na mira», o Alpine A110 R é 10 mm mais baixo que o A110 S. E graças à adoção de amortecedores ajustáveis da Sachs, pode ficar mais baixo 10 mm adicionais para uso exclusivo em pista.

A juntar aos novos amortecedores o A110 R conta com molas e barras estabilizadoras mais rígidas. As ligações ao solo são asseguradas por pneus Michelin Pilot Sport Cup 2 que, segundo a Alpine, aumentam a aderência em circuito em 15%.

Alpine A110 R vista lateral
As jantes traseiras são diferentes das dianteiras.

Quanto ao sistema de travagem, o A110 R surge equipado com discos compósitos da Brembo com 320 mm.

Apesar de ser o mais radical dos A110, o A110 R não abdica dos modos de condução. No total conta com três: “Normal”, para o dia-a-dia; “Sport”, para uma condução mais desportiva; e o modo “Track” — o nome diz tudo, não é?

Neste último as passagens de caixa tornam-se mais rápidas e passam a ser feitas exclusivamente com recurso às patilhas no volante. Além disso, o controlo de estabilidade torna-se mais permissivo, sendo também possível desligá-lo por completo.

A mesma mecânica, mas com uma nova voz

Tal como se previa, o Alpine A110 R recorre ao mesmo motor do A110 S. Ou seja, apresenta-se com um 1.8 l turbo com 300 cv às 6300 rpm e 340 Nm entre as 2400 e as 6000 rpm.

Tal como no A110 S, o binário é enviado exclusivamente às rodas traseiras por intermédio de uma caixa automática de sete velocidades.

Alpine A110 R pormenor capô
O capô em fibra de carbono é específico do A110 R.

Mais leve e com um melhor desempenho aerodinâmico, o Alpine A110 R apresenta-se como o modelo mais veloz da marca de Dieppe. Os 0 aos 100 km/h cumprem-se em 3,9s e a velocidade máxima fixa-se nos 285 km/h.

Por fim, apesar de partilhar a motorização com o A110 S, o novo Alpine A110 R recorre a um novo escape para apresentar uma sonoridade bem diferente daquela que conhecemos ao seu «irmão».

A NÃO PERDER: A4810. Alunos do IED imaginam futuro a hidrogénio da Alpine

Quando chega?

Pintado na cor exclusiva “Racing Mat Blue” (que é igual à do monolugar de Fórmula 1 da Alpine), o A110 R verá as suas encomendas abrirem ainda em outubro.

Para já a Alpine não revelou quanto vai custar o mais radical dos A110. Contudo, tendo em conta as suas características é de esperar que além do mais rápido dos Alpine venha a ser o mais caro.

Recorde-se que o A110 S custa 82 147 euros, portanto já ficamos com uma ideia de qual será o «ponto de partida» do preço do novo Alpine A110 R.

Sabe responder a esta?
Em que ano foi lançada a primeira geração do Dacia Duster?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

O primeiro Dacia Duster quase que foi uma nova Renault 4L

Mais artigos em Notícias