Project Deep Space. Hennessey prepara hiper-GT elétrico "de doidos" com seis rodas e 2400 cv

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Antevisão

Project Deep Space. Hennessey prepara hiper-GT elétrico “de doidos” com seis rodas e 2400 cv

A criadora do Venom F5 vai lançar o seu primeiro elétrico e este promete ser «de loucos». Fiquem a conhecer o Hennessey Project Deep Space.

Project Deep Space é o nome interno do mais recente projeto alucinante da Hennessey Performance, um hiper-GT elétrico que promete surpreender pela sua performance, dimensão e… pelas seis rodas.

Isto do mesmo fabricante e preparador norte-americano que procura o título de carro mais rápido do mundo com o seu Venom F5, um «monstro» V8 biturbo alimentado a hidrocarbonetos.

Os objetivos para o Project Deep Space são totalmente distintos. Não procura bater recordes de velocidade, apesar dos mega-números que já foram conhecidos, e não é um super ou hiperdesportivo, como o Venom F5, e nem sequer é alimentado a hidrocarbonetos, mas sim a eletrões.

VEJAM TAMBÉM: SSC Tuatara tem “cavalos escondidos”? Já sabemos a resposta
Hennessey Project Deep Space
John Hennessey (direita), diretor executivo da Hennessey, com o diretor de design Nathan Malinick.

Esta muito longa criatura — não deverá ficar muito longe dos seis metros de comprimento, mais comprido que um Rolls-Royce Phantom — deverá ser o equivalente terrestre a um jato privado, onde os quatro ocupantes serão envolvidos por elevados níveis de conforto e luxo.

Parece ser, à primeira vista, um desvio do foco sobre o «músculo» que habitualmente vemos sair da Hennessey, mas ao prometer muito mais que 2000 cv, músculo e performance não vão certamente faltar.

Seis rodas e seis motores

O que salta desde logo à vista no Project Deep Space é o número de rodas: seis no total. Excetuando conversões de pick-up — algumas das quais da autoria da própria Hennessey Performance —, não é habitual vermos veículos de passageiros com seis rodas. Talvez o mais recente e conhecido seja o Covini C6W, um superdesportivo conhecido em 2004.

Hennessey Venom F5
O Venom F5 é o primeiro modelo concebido de raíz pela Hennessey, mas não será o último. Além do Project Deep Space, mais dois modelos estão previstos até 2030-31.

Ao contrário desse modelo ou do Tyrrel P34, o monolugar de Fórmula 1 com seis rodas de 1976, o Project Deep Space coloca dois dos três eixos em posição traseira. Há um motor elétrico por roda, logo, são seis motores elétricos e tração às seis rodas — a aderência deverá ser excepcional.

John Hennessey, diretor executivo da Hennessey, em declarações à Autocar diz que cada motor tem o potencial de ter 400 hp (pouco mais de 400 cv), totalizando mais de insanos 2400 cv — relembramos que, atualmente, os automóveis de produção mais potentes do mundo são os elétricos Lotus Evija com 2000 cv e os Rimac Nevera e Pininfarina Batista, com pouco mais de 1900 cv.

Não admira que John Hennessey preveja que o Project Deep Space possa garantir o título de veículo mais rápido a acelerar das 0 às 200 mph (322 km/h).

Sendo elétrico, ainda nada foi divulgado sobre a bateria, mas o objetivo é alcançar os 1000 km de autonomia — espaço não deve faltar para colocar uma bateria suficientemente grande para atingir tal valor.

VVIP

A outra característica invulgar do Project Deep Space refere-se ao seu interior. Aceder ao interior será através de portas de abertura do tipo “asa-de-gaivota” — promete ser a maior de sempre — e aí encontramos quatro lugares dispostos em “diamante”.

Hennessey Project Deep Space

Ou seja, temos o lugar do condutor em posição central, com dois bancos a ladeá-lo em posição mais recuada e um quarto banco novamente ao meio, em linha com o do condutor.

Este último lugar promete ser o mais especial de todos — talvez só superado pelo do condutor —, cunhado como VVIP, o mesmo que “Very Very Important Person” (pessoa muito muito importante), termo herdado da aviação. Luxo será a palavra de ordem para este muito especial lugar, mas teremos de aguardar para saber todas as suas especificações.

A configuração em “diamante” do habitáculo garante que cada ocupante tenha espaço “infinito” para as pernas e o tópico do espaço é novamente evidenciado pela capacidade da bagageira em transportar quatro sacos de golfe — um por ocupante. As dimensões excessivas deste hiper-GT elétrico permitem ter espaço para tudo.

Quando chega?

O Project Deep Space está ainda no início e só lá para 2024 deveremos ver o produto final, com a produção e entrega a acontecer apenas em 2026.

A Hennessey já avançou que apenas serão produzidas 105 unidades e cada uma terá um preço base (sem impostos) de três milhões de dólares, o mesmo que 2,95 milhões de euros — por enquanto será também o automóvel elétrico mais caro de sempre.

Mais artigos em Notícias