Testámos o DS 4 E-Tense Cross (225 cv). Os alemães fazem melhor?

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Vídeos RA

Testámos o DS 4 E-Tense Cross (225 cv). Os alemães fazem melhor?

O DS 4 tem mira apontada ao segmento C Premium, mas será que tem argumentos face aos germânicos Classe A, Série 1 e A3?

O novo DS 4 é a mais recente adição à gama da marca francesa e assume-se desde logo como uma proposta para o segmento C Premium, que é dominado pelos alemães, mais especificamente pelos Mercedes-Benz Classe A, BMW Série 1 e Audi A3.

Este francês não é o primeiro modelo a querer imiscuir-se no feudo alemão, mas será que o DS 4 tem o que é preciso para o fazer?

Para o descobrir o Diogo Teixeira teve oportunidade de testar, já em Portugal, o DS 4 E-Tense Cross Rivoli, a variante híbrida plug-in topo de gama e mais «aventureira» do modelo francês.

VEJAM TAMBÉM: DS 4. Modelo francês vai ser produzido na Alemanha

Premium à francesa…

A nova proposta francesa premium destaca-se pelo seu estilo distinto e… angular, distanciando-se bastante dos rivais alemães, procurando ser uma espécie de cruzamento entre um convencional hatchback e um crossover.

Os genes crossover são ainda mais fortes aqui por se tratar do Cross, a versão mais aventureira do DS 4 — diferencia-se, sobretudo, pelas barras no tejadilho e mais alguns detalhes estéticos.

DS 4 Cross

Além do distinto exterior, também o interior do novo DS 4 surpreende visualmente, mais pomposo e «quente» que o dos rivais alemães. Não se fica pela aparência, com este francês a sustentá-la com uma boa seleção de materiais e montagem em bom plano.

Se, por um lado, a oferta de espaço pode considerar-se apenas suficiente, por outro lado, os níveis de conforto — os bancos são deveras muito bons — e tecnologia a bordo estão num excelente plano.

Interior DS 4 Cross

Destaque para o DS Extended Head-up Display que a unidade trazia, que gera uma área de projeção de 21″ sobre a estrada, como se estivesse a 4 m de distância — um dos melhores head-up display com que nos deparámos nos últimos tempos…

Nota positiva também para o sistema de infoentretenimento, composto por um ecrã tátil de 10″ — de muito melhor definição e rapidez de resposta —, mais fácil de usar. Uma evolução em relação a outros modelos da DS. Várias funcionalidades podem ser ainda acessíveis através do DS Smart Touch, um pequeno ecrã tátil na consola central.

Até 55 km de autonomia em modo elétrico

Por baixo das suas distintas linhas temos como base a plataforma EMP2, a mesma que equipa, por exemplo, o novo Peugeot 308 e o novo Opel Astra, seus parentes na Stellantis.

Além da plataforma, o DS 4 partilha com eles também a generalidade das motorizações, que podem ser só a combustão (gasolina e Diesel) ou híbridas plug-in, que na DS assumem a designação E-Tense, tal e qual a versão testada pelo Diogo.

A cadeia cinemática híbrida é já familiar dentro da Stellantis: 1.6 PureTech a gasolina com 180 cv combinado com um motor elétrico de 80 kW (109 cv), para uma potência máxima combinada de 225 cv e um binário máximo combinado de 360 Nm. Números que já permitem uma performance respeitável a este «tudo à frente»: 7,7s no arranque até aos 100 km/h e 233 km/h de velocidade máxima.

Porta de carregamento
São precisos 1h40min (22 kW) a 5h30min (2,3 kW) para carregar as baterias.

Talvez mais importante num híbrido plug-in como este DS 4 E-Tense Cross é a parte elétrica da cadeia cinemática. O motor elétrico é alimentado por uma bateria de 12,4 kWh de capacidade, o que se traduz em até 54 km de autonomia em modo elétrico.

Suspensões pilotadas: conforto e eficácia

Em andamento a posição de condução mais elevada — mais próxima da dos crossover — faz com que o DS 4 E-Tense Cross se distinga ainda mais dos rivais germânicos, assim como o foco muito francês no conforto.

Jantes 19"
Jantes de 19″ de série, mas também há de 20″ opcionais.

Contudo, não significa que o DS 4 não tenha um comportamento eficaz ou preciso. Isto porque os DS 4 E-Tense tem o auxílio, de série, de suspensões pilotadas (um opcional de 1100 euros em alguns DS 4 só a combustão), que se distinguem das mais habituais adaptativas, por fazerem uso da câmara dianteira e outros sensores.

Isto significa que consegue «ver» a estrada à sua frente, ajustando em tempo real o amortecimento em cada roda individualmente, antes de passar por essa secção de asfalto. Tudo para garantir sempre os maiores níveis de conforto e eficácia de comportamento.

É o carro certo para mim?

Não faltam argumentos ao DS 4 E-Tense para confrontar, sem receios, os peso-pesados alemães da classe.

O facto de ser diferente, seja em estilo ou em «filosofia», faz dele uma verdadeira alternativa aos germânicos, ao mesmo tempo apresentando-se com elevados níveis de qualidade geral, conforto a bordo e ainda muita tecnologia e equipamento disponível.

O DS 4 E-Tense Cross Rivoli, é a versão topo de gama do familiar compacto francês, e por isso o preço começa nuns algo elevados 48 850 euros. O DS 4 E-Tense mais acessível, contudo, começa nos 39 550 euros.

Versão base: €48.850

IUC: €137

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cil. em linha + motor elétrico
    • Capacidade: 1598 cm3
    • Posição: Dianteira Transversal
    • Carregamento: Motor de combustão: Injeção direta, Turbo, Intercooler; Motor elétrico: bateria de 12,4 kWh (9,9 kWh úteis)
    • Distribuição: 2 a.c.c.; 4 válv./cil. (16 válv.)
    • Potência: Motor combustão: 180 cv às 6000 rpm; Motor elétrico: 80 kW (109 cv); Potência máxima combinada: 225 cv
    • Binário: Motor combustão: 300 Nm às 3000 rpm; Motor elétrico: 320 Nm; Binário máximo combinado: 360 Nm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Automática (conversor de binário) de 8 velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4400 mm / 1830 mm / 1470 mm
    • Distância entre os eixos: 2675 mm
    • Bagageira: 390 l
    • Jantes / Pneus: 205/55 R19
    • Peso: 1728 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 1,3 l /100 km; Autonomia em modo elétrico: 54 km
    • Emissões de CO2: 30 g/km
    • Vel. máxima: 233 km/h
    • Aceleração: 7,7s

Mais artigos em Testes, Ensaio