Nissan Juke Hybrid está a chegar a Portugal. Quanto vai custar?

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Preços

Nissan Juke Hybrid está a chegar a Portugal. Quanto vai custar?

Pela primeira vez, o crossover mais pequeno da Nissan receber uma variante híbrida, o Juke Hybrid. Encomendas nacionais abrem a 20 de junho.

O Nissan Juke Hybrid é a inédita variante híbrida do conhecido crossover — até agora estava apenas disponível apenas com o 1.0 DIG-T de 114 cv — e a sua chegada ao mercado nacional está para muito breve.

A marca japonesa acaba de anunciar a abertura das encomendas para o próximo dia 20 de junho, com um preço recomendado a partir dos 32 700 euros.

Além da introdução da motorização híbrida, a Nissan aproveitou a oportunidade para «refrescar» a aparência do seu mais pequeno crossover, e também melhorar a sua performance aerodinâmica — melhorias que garantem por si só garantem uma redução das emissões de CO2 de 2 g/km, podendo chegar às 5 g/km nos Juke só a combustão.

VEJAM TAMBÉM: Nissan Micra Kiiro. Série especial limitada já tem preço para Portugal

A motorização híbrida

Claro que o destaque no Juke Hybrid é a motorização híbrida que lhe dá o nome. Fazendo uso das sinergias existentes na Aliança, o novo Nissan Juke Hybrid faz uso da mesma cadeia cinemática híbrida estreada pelo Renault Clio E-Tech — que também já passou pela garagem da Razão Automóvel.

Nissan Juke Hybrid

Esta combina um quatro cilindros em linha com 1,6 l naturalmente aspirado de 94 cv de potência e 148 Nm, com um motor elétrico de tração de 36 kW (49 cv) e 205 Nm, juntando-se ainda um motor-gerador elétrico de 15 kW (20 cv), um inversor e uma bateria arrefecida por via líquida de 1,2 kWh de capacidade.

A transmissão é a parte mais intrigante da cadeia cinemática do Juke Hybrid, sendo feita através de uma caixa de velocidades multimodal de baixa fricção. Esta tem quatro relações para o motor de combustão e duas relações para o motor elétrico, não possuindo uma embraiagem convencional — recorre a embraiagens de patilhas e não anéis sincronizadores convencionais para mudar de relação.

Contas feitas, o novo Juke Hybrid anuncia uma potência máxima combinada de 105 kW ou 143 cv, mais 29 cv que o 1.0 DIG-T, ao mesmo tempo que garante consumos, declara a Nissan, até 40% inferiores em ciclo urbano e até 20% inferiores em ciclo combinado.

Nissan Juke Hybrid
Atrás, destaque ainda para o spoiler traseiro redesenhado, para garantir um fluxo de ar mais limpo.

Os números finais de consumos e emissões de CO2 ainda vão ser sujeitos à homologação WLTP, mas a marca japonesa anuncia 5,0-5,2 l/100 km (ciclo combinado) e 114-117 g/km.

VEJAM TAMBÉM: Nissan Ariya (2022) em vídeo ao «vivo e a cores» em Portugal

Os arranques são sempre feitos em modo elétrico e os dois motores elétricos são também usados para sincronizar as engrenagens da transmissão, de modo a proporcionar uma aceleração suave e responsiva. Em modo elétrico é capaz de atingir 55 km/h e a Nissan diz que até 80% em utilização urbana pode ser conseguida apenas com zero emissões.

Tal é conseguido também com o auxílio da travagem regenerativa, em que permite transformar a energia cinética da desaceleração ou travagem, em energia elétrica que será armazenada na bateria.

O novo Juke Hybrid é brindado ainda com a funcionalidade e-Pedal, como acontece no 100% elétrico Leaf, que permite usar apenas o pedal do acelerador para controlar o progresso do veículo. Quase que não é preciso tocar no pedal do travão na maioria das situações de condução, à exceção de quando é preciso uma desaceleração mais vigorosa ou parar completamente o veículo.

Nissan Juke Hybrid

Mais artigos em Notícias