Já testámos a SEAT MÓ 125. Custo por 100 km mais barato que um café

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

E-scooter

Já testámos a SEAT MÓ 125. Custo por 100 km mais barato que um café

Durante uma manhã, troquei as «quatro rodas» dos automóveis pelas duas rodas da SEAT MÓ 125. Custou-me regressar às quatro...

Capacete, casaco e luvas. Não é o equipamento mais habitual nos testes da Razão Automóvel, mas desta vez, o veículo assim o exigiu.

Tínhamos à nossa espera, em Belém, a nova scooter elétrica da SEAT: a SEAT MÓ 125. Uma scooter 100% elétrica que pode ser conduzida com carta de carro.

Depois de passar uma manhã a «fintar» o trânsito ao seus comandos, confesso que me custou regressar ao automóvel.

LEIAM TAMBÉM: Este Citroën não é um automóvel. Testámos o novo Citroën AMI

SEAT MÓ 125. Muito despachada

Equipada com um motor elétrico com 9 kW (12 cv) de potência (em modo overboost), esta scooter elétrica equipara-se a um motociclo com motor de combustão de 125 cm3 — pode ser conduzida com carta de carro (categoria B).

Mas em estrada, o sentimento é de maior potência. Muito por culpa dos 240 Nm(!) de binário máximo disponibilizado pelo motor elétrico — comparativamente, há automóveis com menos binário que esta SEAT MÓ 125.

Assim, sem surpresa, quando enrolamos o punho, alcançamos os 50 km/h em apenas 3,9 segundos. A velocidade máxima está limitada a 95 km/h, e atingimos esta velocidade com facilidade e sem vibrações.

Três modos de entrega de potência

Para aqueles que não têm experiência em duas rodas, a entrega de potência da SEAT MÓ 125 exige alguma habituação. Ou então, um maior recurso aos modos de condução.

Tal como vemos em muitos automóveis, a scooter elétrica espanhola apresenta-se com três modos de condução: Eco, City e Sport. Sendo este último o mais interessante mas também o menos recomendado para quem vai começar agora nas lides das duas rodas.

Muito fácil de utilizar

Como não existem mudanças e temos um centro de gravidade baixo, rapidamente sentimos que estamos em casa aos comandos desta scooter elétrica.

SEAT MÓ 125
Comercializada pela SEAT MÓ e produzida pela SILENCE, é a história desta escooter. Uma empresa na qual a marca espanhola tem uma participação cada vez mais importante.

Para facilitar as manobras mais complicadas, temos inclusivamente um sistema de marcha-atrás muito útil para sair de um lugar inclinado. Assim não são as nossas «pernas» que têm de lidar com os 152 kg de peso desta SEAT MÓ 125.

Debaixo do banco, encontramos ainda espaço para dois capacetes integrais ou para as compras do supermercado. O espaço oferecido é mesmo muito generoso, mas talvez por causa disso a altura do banco tenha saído prejudicada — pessoas com menor estatura terão um pouco mais de dificuldades em chegar com os pés ao chão.

LEIAM TAMBÉM: Amesterdão vai banir carros a gasolina, Diesel e motas em 2030

Muito ágil e estável

Uma das grandes vantagens da SEAT MÓ 125 — além da resposta do seu motor elétrico… — é a sua estabilidade. As suspensões e o quadro fazem um ótimo trabalho.

Sentimos imediatamente confiança para aproveitar todas as vantagens deste veículos no trânsito urbano. Contornamos os carros e os obstáculo de forma quase telepática.

Porém, esta estabilidade tem um preço. Sempre que o piso é mais irregular a SEAT MÓ 125 não gosta, e transmite mais vibrações do que gostaríamos ao guiador. Não chega para ser desconfortável mas nota-se que esta scooter elétrica prefere os pisos mais regulares.

100 km pelo preço de um café

Equipada com um pack de baterias de 5,6 kWh de capacidade, esta scooter da SEAT promete mais de 130 km de autonomia. Não tivemos tempo para aferir a autonomia real, mas não nos parece ficar longe deste registo.

Não tem garagem? Pode desmontar as baterias e levar o pack para a sua casa. O carregamento numa tomada doméstica demora menos de 3 horas.

Mas talvez tão ou mais interessante que a autonomia é o custo de utilização. Feitas as contas estamos a falar de um custo por cada 100 km inferior ao preço de um café — assumindo um custo de 0,12 euros por kW numa rede doméstica.

Com menos de 60 cêntimos é possível “abastecer” esta scooter elétrica.

SEAT MÓ 125 desde 123 euros por mês

Esta scooter elétrica da SEAT não é propriamente barata. A SEAT MÓ 125 é proposta no nosso país por 6225 euros (mais despesas).

Um valor que a marca justifica com a qualidade de construção e equipamento proposto de série, muitos furos acima de alguma concorrência chinesa, mas que mesmo assim não contempla um sistema de ABS, uma falha que a SEAT MÓ tem obrigação de rever.

VEJAM TAMBÉM: Mobilize EZ-1. O primeiro da nova marca de mobilidade da Renault

Talvez a melhor forma de aquisição passe pelo financiamento da marca, que permite aceder a esta scooter elétrica a partir de 123 euros por mês.

Quanto aos custos de utilização, esta proposta da SEAT MÓ quase não necessita de manutenção. O que a somar aos consumos reduzidos prometem fazer desta scooter elétrica uma ótima parceira para o dia-a-dia.

Primeiras impressões

7 / 10
É difícil não ficar rendido aos encantos da mobilidade elétrica em duas rodas. Rápida, poupada, prática e confortável. O preço ainda a coloca longe das alternativas com motor de combustão mas a facilidade de utilização desta SEAT MÓ 125 é inquestionável. Só não entendo a ausência de ABS, um dispositivo de segurança que devia ser obrigatório — principalmente num produto do Grupo Volkswagen.

  • Resposta do motor

  • Facilidade de utilização

  • Custo de utilização

  • Design

  • Espaço para capacetes generoso

  • Ausência de ABS

  • Preço

Preço

6.225

Sabe responder a esta?
Qual foi o primeiro modelo da SEAT?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

SEAT 1400. Este foi o primeiro automóvel da marca espanhola

Mais artigos em Testes, Primeiro Contacto