Suzuki Vision Gran Turismo «casa» motor da Hayabusa com três motores elétricos

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Apresentação

O desportivo que faltava? Suzuki Vision Gran Turismo «casa» motor da Hayabusa com três motores elétricos

Infelizmente o Suzuki Vision Gran Turismo terá apenas uma existência virtual, e imagina um desportivo leve híbrido com o motor da Hayabusa.

A Suzuki é conhecida tanto por ser uma marca automóvel como de motas, mas raramente vemos a marca japonesa fazer uma ligação entre esses seus dois universos — o Suzuki Vision Gran Turismo procura ser esse elo de ligação.

Infelizmente este exercício é apenas virtual, com a Suzuki a ser a mais recente marca a criar um modelo em específico para o Gran Turismo 7, com o Vision Gran Turismo a estar disponível na mais recente atualização do famoso jogo.

E dizemos infelizmente porque para qualquer entusiasta automóvel, mais um desportivo de raíz nunca é demais e a verdade é que parecem ser cada vez menos. E este Suzuki Vision Gran Turismo parece ter muito a seu favor.

VEJAM TAMBÉM: Novo Suzuki Vitara híbrido promete consumos mais baixos. Cumpre o prometido?

Afinal trata-se de um muito baixo roadster equipado com o gritante quatro cilindros em linha de 1340 cm3 da incontornável Hayabusa. A arquitetura base é a mais clássica de todas: o motor da Hayabusa está instalado longitudinalmente, atrás do eixo dianteiro e ligado às rodas traseiras.

E com a marca japonesa a anunciar uma massa de apenas 970 kg — um pouco menos que o mais leve dos Mazda MX-5 —, acreditamos que o quatro cilindros da Hayabusa não tivesse grandes dificuldades em movimentar o Vision Gran Turismo e subir até umas estridentes 9700 rpm.

TÊM DE VER: Suzuki Hayabusa. A história completa da rainha da velocidade

Eletrizante, literalmente

Só que a cadeia cinemática deste desportivo virtual não se fica por aqui. O Suzuki Vision Gran Turismo, para fazer jus aos tempos que vivemos, é também um veículo híbrido e além do motor de combustão conta com três motores elétricos.

Dois deles garantem tração às rodas dianteiras, enquanto o terceiro junta-se ao motor de combustão para dar tração ao eixo traseiro. Ou seja, este roadster compacto tem tração integral, ainda que favoreça mais o eixo traseiro.

No total, a Suzuki anuncia uma potência máxima combinada de 432 cv às 9700 rpm e um binário máximo combinado de 610 Nm. O que combinado com a massa abaixo da tonelada deve garantir performances de «gente grande».

Genes de Swift Sport?

Se a cadeia cinemática impressiona, o design também cativa. As proporções são típicas de um desportivo com esta arquitetura — frente longa com habitáculo imediatamente à frente do eixo traseiro —, mas as escolhas estilísticas para este desportivo são curiosas.

A sensação de familiaridade é grande pois a Suzuki deu ao Vision Gran Turismo uma «cara» que nos remete imediatamente para o Swift Sport, ainda que num tom mais agressivo. As óticas são mais angulares e apresenta uma assinatura luminosa distinta, mas a grelha parece decalcada do pocket-rocket japonês.

Estaremos aqui a ter um primeiro vislumbre de alguns dos detalhes estéticos da próxima geração do Swift? Os rumores dizem que uma nova geração do Swift será revelada ainda este ano, com um novo Swift Sport programado para 2023.

Suzuki Vision Gran Turismo

Destaque ainda para o futurista e minimalista interior do Suzuki Vision Gran Turismo que concentra no condutor toda a informação. Temos um volante aberto no topo, com vários comandos, e um pequeno ecrã que serve de painel de instrumentos. A ladeá-lo estão dois ecrãs que servem de retrovisores, mostrando as imagens captadas pelas câmaras exteriores.

Não é o primeiro com o motor da Hayabusa

Não é a primeira vez que a Suzuki nos tenta com um desportivo equipado com o motor da Hayabusa. Há mais de 20 anos, em 2001, a marca japonesa revelou o protótipo — bem real e nada virtual — GSX-R/4. E em 2002 mostrou o Hayabusa Sport Prototype.

O primeiro era um roadster de aparência radical, muito compacto e leve — apenas 640 kg. Já o segundo parecia um mini-protótipo para Le Mans, com uma carroçaria coupé a lembrar os TVR Tuscan ou os Panoz Esperante da altura. Conseguia ser ainda mais leve, com apenas 550 kg.

Ambos estavam equipados com o motor da Hayabusa que debitava 175 cv às 9800 rpm, mas enquanto o GSX-R/4 colocava-o atrás dos ocupantes, o Hayabusa Sport Prototype colocava-o longitudinalmente à frente.

Suzuki Vision Gran Turismo

Mais artigos em Notícias