O melhor Volkswagen para uma família? Conduzimos a nova Volkswagen Multivan

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Vídeos

O melhor Volkswagen para uma família? Conduzimos a nova Volkswagen Multivan

A nova Volkswagen Multivan foi pensada, pela primeira vez, para ser um veículo de passageiros e nós já a conduzimos, na versão eHybrid.

A nova geração Volkswagen Multivan T7 é, muito provavelmente, a mais importante de toda a “linhagem” Multivan. Isto porque é a primeira a ser desenvolvida de raiz para ser um veículo de passageiros (MPV).

Continua a ser desenvolvida pela Volkswagen Veículos Comerciais, como aconteceu até aqui, mas pela primeira vez não deriva de um modelo comercial, assentando na plataforma MQB, a mesma que serve de base a modelos como o Golf e o Tiguan.

Naturalmente, isto dá-lhe outras responsabilidades enquanto estradista, mas será que esta nova Multivan está à altura das expectativas? A resposta está no vídeo abaixo:

A NÃO PERDER: «Pão de Forma» está de volta. Primeiro teste ao Volkswagen ID. Buzz (2022)

Com 4,973 metros de comprimento, esta nova Multivan é o maior modelo do Grupo Volkswagen na Europa a assentar na plataforma MQB. A somar a isso, tem 1,941 m de largura, 1,903 m de altura e uma generosa distância entre eixos de 3,124 m.

Espaço e Isofix em todos os bancos

Todos estes números ajudam a explicar o espaço e a versatilidade que oferece, sendo que esses acabam mesmo por ser os seus maiores trunfos. Mas há mais, muitos mais.

Pode ter até sete lugares, com as duas filas atrás da primeira (condutor e passageiro) a poderem ser ajustadas longitudinalmente sobre calhas que se estendem por quase todo o chão plano (1,31 m de altura interior útil, permitindo passar da primeira para a segunda fila sem ser necessário sair do veículo), com os bancos da segunda fila a poderem girar para ficarem de frente para os da terceira.

Volkswagen Multivan T7
A consola central deslizante transforma-se numa prática mesa que pode servir os ocupantes das três filas.

Todos os bancos são individuais, podendo os da segunda e terceira filas ser retirados. A Volkswagen diz que estes são mais leves 25% do que antes, mas mesmo assim pesam entre 23 kg e 29 kg dependendo da especificação. E, para alegria dos “pais”, todos os bancos contam com fixações Isofix.

Ao centro, também numa calha, temos uma mesa multifunções que pode assumir-se igualmente como uma simples consola. Esconde vários espaços de arrumação e pode transformar esta Multivan num espaço de trabalho sobre rodas.

Digitalização é palavra de ordem

Ao passar a recorrer à base MQB, a nova Volkswagen Multivan passou a dispor dos mais recentes desenvolvimentos tecnológicos em matéria de conectividade, digitalização e assistência à condução de outros modelos com a mesma base.

LEIAM TAMBÉM: Até 2030 Grupo Volkswagen vai descontinuar 60% dos modelos a combustão na Europa

Por isso mesmo, e tal como acontece, por exemplo, no Volkswagen Golf, encontramos nesta Multivan um painel de instrumentos digital de 10,25” e tecnologias de auxílio à condução que lhe permitem reivindicar condução autónoma de nível 2.

Volkswagen Multivan T7

E os motores?

No que diz respeito aos motores, a Volkswagen Multivan conta com propostas a gasolina, Diesel e também híbrida plug-in.

Na base da oferta a gasolina encontramos o 1.5 TSI com 136 cv e 220 Nm, estando este associado a uma transmissão DSG de sete velocidades. Já no topo dos motores a gasolina está o 2.0 TSI com 204 cv e 320 Nm, que também surge associado a uma transmissão DSG de sete relações.

Volkswagen_Multivan_eHybrid_3 © Miguel Dias / Razão Automóvel

Já a Multivan com motor Diesel recorre ao conhecido bloco 2.0 TDI de 150 cv, associado a uma caixa DSG de sete relações. Contudo, esta versão só vai chegar mais tarde.

A NÃO PERDER: Volkswagen T-Roc. Todos os preços do renovado SUV «Made in Portugal»

Já a versão que testámos foi a eHybrid, que combina o motor a gasolina 1.4 TSI com um motor elétrico, garantindo 218 cv (160 kW) de potência máxima combinada.

Volkswagen_Multivan_eHybrid_1 © Miguel Dias / Razão Automóvel

Nesta versão, a transmissão está a cargo de uma caixa DSG de seis relações, sendo que o motor elétrico é alimentado por uma bateria de 13 kWh que permite uma autonomia em modo 100% elétrico de cerca de 50 km.

E os preços?

Quanto aos preços, arrancam nos 50 051 euros para a versão 1.5 a gasolina com 136 cv. Já a versão aqui testada, a Energetic, que apenas está disponível com motorização híbrida plug-in, vê o preço subir para os 59 680 euros.

Descubra o seu próximo carro:

Ficha técnica
Volkswagen T7 Multivan
Configurar este modelo

Classificação Euro NCAP: N/D

Avaliação
8 / 10
Nota: 8,5. É um dos melhores modelos que a Volkswagen já produziu, simples. É bem construído, é espaçoso, é versátil e é muito confortável em estrada. A isso ainda soma a facilidade de utilização e o leque de tecnologias e de sistemas de auxílio à condução que herdou dos restantes elementos que assentam na plataforma MEB. Face a um SUV de sete lugares, por exemplo, leva vantagem na versatilidade e no espaço. E com Via Verde só paga Classe 1 nas portagens.
  • Espaço
  • Modularidade
  • Versatilidade
  • Capacidade de rolamento
  • Preço
  • Sistema de info-entretenimento algo lento
Sabe responder a esta?
Em que ano foi revelado o Opel Tigra?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Glórias do Passado. Opel Tigra, o “coupé do povo”

Mais artigos em Testes, Ensaio