Esta é a nova «cara» do BMW X7

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Apresentação

Esta é a nova «cara» do BMW X7

Além de uma nova «cara», o BMW X7 recebeu ainda um interior totalmente novo, um sistema mild-hybrid e mais potência.

Tal como antecipavam as fotos-espia, a renovação do BMW X7, o maior SUV da marca bávara, trouxe consigo uma «cara» totalmente nova que também antecipa a dos futuros BMW Série 7, i7 e ainda o XM.

O grande destaque da nova frente do X7 é o de passar a combinar o «duplo rim» XXL com um conjunto de faróis bipartidos, uma solução que apesar de não ser nova na indústria é inédita nos modelos de produção da BMW.

Assim, as óticas superiores em LED desempenham as funções de luzes diurnas enquanto os verdadeiros faróis (médios e máximos) surgem num nível separado mais abaixo, mais «escondidos» no para-choques e escurecidos.

A NÃO PERDER: BMW i3 regressa… como a versão elétrica do Série 3 para a China
BMW x7

Ainda no capítulo visual, o X7 recebeu novos farolins traseiros, 14 novas cores e, quando optamos pelo pack M Sport, temos ainda para-choques e saias laterais específicas, novas saídas de escape ou jantes de até 23”.

Tudo novo por dentro

Não é só à frente que o BMW X7 sofreu uma «revolução» e isso fica bem evidente quando observamos as imagens do interior do maior SUV da marca alemã.

O X7 também passou a contar com o BMW Curved Display, estreado pelo SUV elétrico iX. Este é composto por dois ecrãs: um de 12,3” que desempenha as funções de painel de instrumentos e outro de 14,9” para o sistema de infoentretenimento que já se apresenta com o sistema iDrive 8, a primeira vez que este chega a um BMW com motor de combustão.

A isto juntam-se as saídas de ventilação redesenhadas e o desaparecimento do tradicional comando da caixa de velocidades, que passou a ser um simples botão colocado ao lado do «eterno» comando do sistema iDrive.

Mesmos motores, mas mais potência

No campo das motorizações o renovado BMW X7 vai continuar a recorrer aos mesmos três motores do atual: um seis cilindros em linha Diesel com 3.0 l; outro seis cilindros em linha de 3.0 l, mas a gasolina e um V8 de 4.4 l também a gasolina.

Comum a estes três propulsores é o facto de todos surgirem associados a um sistema mild-hybrid de 48 V que através de um motor gerador elétrico integrado na transmissão oferece 12 cv e 200 Nm extra.

BMW X7

Também comum às três motorizações é a transmissão às quatro rodas (xDrive) através da caixa automática Steptronic Sport.

Esta conta com o modo “Sprint”, que é capaz de reduzir para a relação mais baixa possível para garantir o máximo de aceleração quando o condutor pressiona a patilha da esquerda durante cerca de um segundo.

BMW X7

Com esta renovação, ambos os motores de seis cilindros em linha ganharam potência. O X7 xDrive40d (Diesel) passou a entregar 352 cv e 720 Nm, mais 12 cv e 20 Nm que antes.

VEJAM TAMBÉM: BMW i4 M50 (544 cv). Melhor do que o Tesla Model 3?

Já o X7 xDrive40i (gasolina) deu um salto ainda maior, passando a oferecer 380 cv e 540 Nm, um acréscimo de, respetivamente 47 cv e 90 Nm.

No caso da versão mais desportiva do X7, a M60i xDrive, a única coisa que «aumentou» foi mesmo a sua designação, tomando o lugar do anterior M50i xDrive. O 4.4 V8 biturbo mantém os 530 cv e 750 Nm que já debitava.

Quando chega?

Com lançamento previsto para agosto de 2022, o revisto BMW X7 ainda não viu serem revelados os seus preços para o mercado nacional.

Sabe responder a esta?
Qual era a potência do BMW 333i (E30)?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

BMW 333i (E30). O «primo do M3» que pouca gente conhece

Mais artigos em Notícias