Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Desde 112 550 euros

Testámos a Mercedes-AMG E 53 4MATIC+ Station. O V8 da E 63 é mesmo necessário?

Não tem o encanto da «irmã» E 63 S e do seu V8 biturbo, mas tem muitos e bons trunfos. Mas será que a Mercedes-AMG E 53 4MATIC+ Station chega a convencer?

No papel, a Mercedes-AMG E 53 4MATIC+ Station é claramente ofuscada pela «toda poderosa» E 63 S Station, com um motor V8 biturbo de 612 cv. Mas podem os 435 cv do seu seis cilindros em linha turbo ser suficientes? Passei alguns dias com a E 53 4MATIC+ Station e fui descobrir a resposta.

As versões 53 são uma espécie de degrau intermédio dentro da gama da Mercedes-Benz e no caso da Classe E assinalam a entrada no universo AMG. Menos potente e mais acessíveis, podem elas ser… interessantes?

Bem, convido-vos para a seguinte analogia: pensem nesta versão 53 como uma espécie de menu essencial com cinco pratos de um estrelado chef de cozinha. Não é o menu completo (AMG 63 S), com oito ou nove pratos de pura excelência. Mas chega para nos brindar com uma experiência gastronómica marcante e que queremos repetir.

A NÃO PERDER: Mercedes-AMG E 63 S Station (612 cv). Uma das carrinhas MAIS POTENTES do mundo (vídeo)
Mercedes-AMG E 53 4MATIC+ Station © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Elegância desportiva

A mais recente renovação trouxe a esta versão E 53 4MATIC+ Station da Mercedes-AMG várias novidades estéticas, nomeadamente ao nível da grelha dianteira, dos para-choques e dos grupos óticos, que foram redesenhados.

O visual exterior é suficientemente agressivo, mas dispensa os elementos dramáticos que encontramos noutras propostas da «casa» de Affalterbach.

Mercedes-AMG E 53 4MATIC+ Station © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

O resultado é uma proposta marcadamente desportiva, mas que ainda assim preserva a elegância característica que costumamos associar à Classe E da marca de Estugarda.

As emissões de carbono deste teste serão compensadas pela BP
Saiba como pode compensar as emissões de carbono do seu automóvel Diesel, gasolina ou GPL.

No interior, uma receita em tudo semelhante, com um bom equilíbrio entre a qualidade dos materiais, o refinamento e a aparência desportiva. E isto sempre com uma boa dose de tecnologia, marcada pelos dois ecrãs de 12.3″ cada, que assumem a instrumentação e o sistema multimédia MBUX.

Destaque para o novo volante AMG desportivo, que apesar do aro bastante grosso é muito confortável, e para o espaço a bordo, quer na segunda fila de bancos quer na bagageira, que oferece 640 l de capacidade de carga. É mais do que oferece, por exemplo, o SUV equivalente da marca da estrela, o GLE 53 4MATIC+.

Para famílias apressadas

E é logo aqui, no espaço, que começa o meu encanto por esta proposta. Temos espaço para tudo e todos, mas ao mesmo tempo contamos com 435 cv à nossa disposição.

E por falar em potência, importa explicar qual a sua origem: trata-se de um bloco de seis cilindros em linha, de 3,0 l, sobrealimentado, que surge associado a uma caixa de velocidades automática 9G-TRONIC e a um sistema mild-hybrid de 48 V que oferece, de forma momentânea, mais 22 cv de potência.

No total temos 435 cv e 520 Nm à nossa disposição, que são enviados às quatro rodas e permitem acelerar dos 0 aos 100 km/h em 4,6s e atingir os 250 km/h de velocidade máxima (limitada).

São números «honestos» — sim, eu acabei de escrever isto sobre um carro que faz menos de 5s dos 0 aos 100 km/h… — quando comparados com os da E 63 S, mas chegam a ser muito vigorosos numa utilização diária, no chamado «mundo real».

Aí, estes 435 cv chegam e sobram para praticamente tudo o que exigimos a esta carrinha, que apesar do pedigree desportivo continua a cumprir de forma distinta as responsabilidades familiares que a sigla “E” exige.

Mercedes-AMG E 53 4MATIC+ Station © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Talvez pesada em excesso?

São quase cinco metros de comprimento (4,965 m) e mais de duas toneladas (2025 kg) de massa, características que deixam antever algumas dificuldades na hora de atacar curvas mais rápidas e fechadas. Mas até aqui esta Mercedes-AMG E 53 4MATIC+ Station surpreende positivamente.

LEIAM TAMBÉM: Dos SUV aos desportivos, Mercedes «ataca» em todas as frentes em 2022

A aceleração nem é questão. As subidas de ritmo são sempre feitas de forma convincente e nunca há lugar para dúvidas: premimos o pedal do acelerador e ela dispara!

Mercedes-AMG E 53 4MATIC+ Station © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Isto é naturalmente útil quando atacamos uma estrada de montanha com mais vigor, mas também ganha especial relevância numa utilização «normal», como quando precisamos de fazer uma ultrapassagem. A resposta é sempre fantástica e vem sempre acompanhada pelo borbulhar típico dos escapes da «casa» de Affalterbach.

Mas tendo conduzido já outras propostas com o cunho AMG, não posso dizer que isto me tenha surpreendido. Já esperava que assim fosse. O mesmo não posso dizer do comportamento em curva.

Mercedes-AMG E 53 4MATIC+ Station
Unidade que testámos tinha «calçadas» jantes de 20″. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

É certo que a massa não passa despercebida, sobretudo nas curvas mais apertadas. Mas a verdade é que no geral a carroçaria mostra-se sempre muito controlada, o que só deixa à vista a qualidade deste chassis. O sistema de tração integral, que consegue enviar forças diferentes para as rodas de forma a garantir sempre a tração ideal, dá-nos sempre muita confiança e permite passagens em curva a velocidades bem altas.

A NÃO PERDER: BMW 545e xDrive. Um híbrido plug-in com genes de M5?

Já a direção mostra-se sempre muito comunicativa e a suspensão, apesar de firme nos modos de condução mais desportivos, continua a oferecer níveis interessantes de conforto no modo Comfort, ainda que não seja, naturalmente, um Classe E «normal».

Mercedes-AMG E 53 4MATIC+ Station
Dianteira muito agressiva contribui para uma enorme presença em estrada. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

O que gostei menos?

No capítulo dinâmico, apenas dois pontos que deixaram um travo menos conseguido: caixa AMG Speedshift e travões. Ambos são muito competentes, mas não são perfeitos.

No caso da caixa, mesmo no modo manual (“M”), quando recorremos às patilhas no volante, a caixa tem sempre alguma tendência para intervir: em condução mais desportiva aconteceu algumas vezes eu reduzir e, quase em simultâneo, a caixa reduzir também, obrigando-me logo de seguida a voltar a subir uma relação.

LEIAM TAMBÉM: Audi S4 Avant. Será que uma carrinha desportiva Diesel faz sentido? (vídeo)

Já os travões, mesmo mostrando uma eficácia tremenda e muito poucos sinais de fadiga, apresentam um tato algo artificial, sobretudo no início do seu curso, algo motivado, naturalmente, pela capacidade do sistema de travagem recuperar energia.

Mercedes-AMG E 53 4MATIC+ Station
Volante tem uma pega muito grossa, mas é confortável. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

E os consumos?

Aqui, não há grandes surpresas: durante este ensaio nunca consegui andar abaixo dos 10 l/100 km, sendo que quando subi o ritmo os consumos rapidamente dispararam para perto dos 15 l/100 km.

Nos quatro dias que passei com esta «super carrinha», numa utilização mista que envolveu cidade, autoestrada e muitas acelerações, alcancei uma média de consumos de 12,8 l/100 km.

Mercedes-AMG E 53 4MATIC+ Station
É no modo Sport+ que conseguimos tirar o máximo proveito desta “super carrinha”. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Não é um registo notável, longe disso. Mas importa recordar que estamos perante uma proposta com mais de duas toneladas e 435 cv. E isso vem acarreta consequências.

Descubra o seu próximo carro:

É o carro certo para si?

Para os poucos que continuam a não querer aderir à moda dos SUV e que procuram atributos desportivos num veículo de cariz mais familiar, esta carrinha Mercedes-AMG E 53 4MATIC+ Station continua a ser uma excelente proposta.

Mercedes-AMG E 53 4MATIC+ Station © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

A renovação da gama deixou-a ainda melhor. É certo que no papel está muito distante da «irmã» E 63 S Station, bem mais potente, rápida e agressiva. Mas os preços também são muito diferentes.

Se a E 53 Station arranca nos 112 550 euros, a E 63 S Station só começa nos 175 800 euros. A calculadora nunca engana e são mais de 60 000 euros de diferença. Mesmo a este nível tem de ser um elemento a ter em conta.

Mercedes-AMG E 53 4MATIC+ Station © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

É certo que o preço dos opcionais é elevado e os consumos podiam ser mais contidos, mas continuamos perante uma proposta de porte atlético que não abdica da versatilidade e da funcionalidade de uma carrinha, mas que oferece uma resposta e uma emoção que poucas propostas no mercado conseguem entregar.

Preço

unidade ensaiada

120.180

Versão base: €112.550

IUC: €723

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 6 cilindros em linha
    • Capacidade: 2999 cm3
    • Posição: Dianteira longitudinal
    • Carregamento: Injeção directa + Turbo + Compressor + Intercooler
    • Distribuição: 2 a.c.c., 4 válv. por cil. (24 válv.)
    • Potência: 435 cv às 6100 rpm (motor de combustão) + 22 cv (motor elétrico)
    • Binário: 520 Nm entre as 1800 e as 5800 rpm + 250 Nm (motor elétrico)
  • Transmissão
    • Tracção: Integral
    • Caixa de velocidades: Automática (conversor de binário) de 9 velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4965 mm / 1860 mm / 1461 mm
    • Distância entre os eixos: 2939 mm
    • Bagageira: 640 litros (1820 litros)
    • Jantes / Pneus: FR: 245/35 R20; TR: 275/30 R20
    • Peso: 2025 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 9,5 l/100 km
    • Emissões de CO2: 215 g/km
    • Vel. máxima: 250 km/h
    • Aceleração: 4,6s
  • Equipamento
    • Pack Integração de Smartphone (Android Auto e Apple CarPlay)
    • Estofos Pele ARTICO/DINAMICA Preto
    • Assistente de ângulo morto
    • Active brake assist
    • Airbag de joelho
    • Sistema PRE-SAFE
    • Suspensão AIRMATIC
    • Sistema Multimédia MBUX
    • THERMATIC, Ar Condicionado Automático
    • Pack de Iluminação Interior
    • Portão traseiro EASY PACK
    • Volante desportivo AMG PERFORMANCE em Pele
    • Linha de design interior AMG
    • Pack luz ambiente premium
    • Tablier em Pele ARTICO
    • Tapetes AMG
    • Linha de design exterior AMG
    • Barras de Tejadilho em Preto
    • Estética AMG
    • MULTIBEAM LED
    • Pack parking com câmara 360º
    • Active Parking Assist
    • Pack Espelhos
    • Pack Bancos Conforto
    • MBUX Navegação Plus
    • Depósito de 80L
    • Assistente de Sinais de Trânsito
    • 2 portas USB na traseira
    • AMG Track Pace
    • Sistema de escape performance AMG
    • Acabamentos interiores em madeira de freixo preta porosa
    • Consola Central em Madeira de freixo preto porosa
    • Embaladeiras das portas dianteiras iluminadas
    • Realidade aumentada MBUX para sistema de navegação
    • Tomada de 12V na bagageira
    • Proteção para peões
    • Cinto de Segurança designo em Vermelho
Extras
Pintura Cinzento Graphite — 894 €; Sistema Hidro-Pneumático de Fecho das Portas — 569 €; Pack Night AMG (Vidros laterais traseiros e óculo traseiro escurecidos) — 975 €; Telefonia Multifunções — 609 €; Pack Premium (Cockpit Panorâmico e Bancos dianteiros aquecidos) — 2317 €; Jantes em liga leve AMG 5 raios duplos 20'' — 1138 €.
Avaliação
7 / 10
Nota: 7,5. No papel, as diferenças para a «toda poderosa» carrinha E 63 S são mais do que muitas e acabam por ofuscar quase por completo a Mercedes-AMG E 53 4MATIC+ Station. Mas a verdade é que esta carrinha dá muito boa conta de si e afirma-se como uma excelente alternativa para quem procura um «foguete familiar». Tem espaço, é versátil e fácil de usar. Mas consegue «abalar-nos» com a sua capacidade de resposta e com a eficácia do chassis, nunca nos deixando a desejar ter mais potência debaixo do nosso pé direito.
  • Rendimento
  • Versatilidade
  • Espaço
  • Opcionais caros
  • Consumos
  • Tacto do pedal do travão
Sabe responder a esta?
Em que ano foi apresentado o Mercedes-Benz 190 (W201)?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Mercedes-Benz 190 (W201), antecessor do Classe C, celebra 35 anos

Mais artigos em Testes, Ensaio