Ambition 2030. O plano da Nissan para lançar 15 elétricos e baterias em estado sólido até 2030

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Indústria

Ambition 2030. O plano da Nissan para lançar 15 elétricos e baterias em estado sólido até 2030

Designado "Ambition 2030", o plano da Nissan até ao final da década este ano iniciada está completamente focado na eletrificação.

Uma das pioneiras na oferta de automóveis elétricos, a Nissan quer recuperar o lugar de destaque que outrora foi seu nesse «segmento» e para tal revelou o plano “Ambition 2030”.

Com o objetivo de assegurar que, em 2030, 50% das suas vendas globais correspondem a modelos eletrificados e de que em 2050 todo o ciclo de vida dos seus produtos é neutro em carbono, a Nissan prepara-se para investir dois biliões de yen (cerca de 15 mil milhões de euros) nos próximos cinco anos para acelerar os seus planos de eletrificação.

Esse investimento vai traduzir-se no lançamento de 23 modelos eletrificados até 2030, sendo que 15 deles serão exclusivamente elétricos. Com isto a Nissan espera aumentar até 2026 as suas vendas em 75% na Europa, 55% no Japão, 40% na China e até 2030 em 40% nos EUA.

A NÃO PERDER: Nissan Leaf. 148 baterias chegam para iluminar um estádio de futebol
Nissan Ambition 2030
O plano “Ambition 2030” foi apresentado pelo diretor-executivo da Nissan, Makoto Uchida e por Ashwani Gupta, o diretor de operações da marca japonesa.

Baterias em estado sólido são aposta

Além de novos modelos, o plano “Ambition 2030” contempla ainda um investimento considerável no campo das baterias em estado sólido, com a Nissan a planear lançar esta tecnologia no mercado em 2028.

Com a promessa de reduzir os tempos de carregamento em um terço, estas baterias permitem, segundo a Nissan, reduzir os custos em 65%. De acordo com a marca japonesa, em 2028 o custo por kWh estará nos 75 dólares (66 euros) — 137 dólares por kWh (121 €/kWh) em 2020 — descendo mais tarde até aos 65 dólares por kWh (57 €/kWh).

Para preparar esta nova era, a Nissan anunciou que vai inaugurar em 2024 uma fábrica-piloto em Yokohama para produzir as baterias. Ainda no campo da produção, a Nissan anunciou que vai incrementar a sua capacidade de produção de baterias dos 52 GWh em 2026 para os 130 GWh em 2030.

A NÃO PERDER: Lembram-se da Ebro? A marca espanhola regressa com uma pick-up elétrica

Quanto à produção dos seus modelos, a Nissan pretende torná-la mais competitiva, levando para o Japão, China e EUA o conceito EV36Zero estreado no Reino Unido.

Cada vez mais autónomos

Outra das apostas da Nissan são os sistemas de assistência e ajuda à condução. Assim, a marca japonesa planeia expandir a tecnologia ProPILOT a mais de 2,5 milhões de modelos da Nissan e Infiniti até 2026.

A Nissan anunciou ainda que vai continuar a desenvolver as suas tecnologias de condução autónoma para incorporar a próxima geração de LiDAR em todos os seus novos modelos a partir de 2030.

Reciclar “é a ordem”

Quanto à reciclagem das baterias usadas por todos os modelos elétricos que a Nissan planeia lançar, A Nissan estabeleceu ainda como uma das suas prioridades a reciclagem das baterias usadas por todos os modelos elétricos que planeia lançar, contando para tal com a experiência da 4R Energy.

Assim, a Nissan planeia abrir já em 2022 novos centros de reciclagem de baterias na Europa (por enquanto estão somente no Japão) e em 2025 o objetivo passa por levar para os EUA estes espaços.

Por fim, a Nissan vai também apostar na infraestrutura de carregamento, estando previsto um investimento de 20 mil milhões de yen (cerca de 156 milhões de euros).

Sabe responder a esta?
Em que ano é que o Nissan Patrol começou a ser produzido em Espanha?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Foi há 35 anos que o Nissan Patrol começou a ser produzido na Europa

Mais artigos em Notícias