Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Evento

Nos 40 anos da Renault Cacia, o Presidente da República condecorou um dos trabalhadores mais antigos

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, esteve na cerimónia do 40.º aniversário da fábrica da Renault Cacia e condecorou com a Ordem de Mérito um dos mais antigos trabalhadores.

A Renault Cacia celebra este ano o seu 40.º aniversário e, para assinalar esta data, a marca francesa organizou um evento especial que contou com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa e com o Diretor Mundial para a Indústria do Grupo Renault e Diretor Geral do Grupo Renault em Portugal e Espanha, José Vicente de Los Mozos.

Durante o evento, José Vicente de Los Mozos fez questão de apresentar a fábrica ao Presidente da República, mais concretamente a nova linha de montagem de onde sai a nova caixa de velocidades JT 4 (manual de seis velocidades), destinada aos motores a gasolina 1.0 (HR10) e 1.6 (HR16) presentes nos modelos Clio, Captur e Mégane da Renault e Sandero e Duster da Dacia.

Desde o final do ano passado que a fábrica de Cacia, que também produz bombas de óleo, árvores de equilibragem e outros componentes em ferro fundido e alumínio, garantiu a produção em exclusivo desta caixa de velocidades, num investimento que superou os 100 milhões de euros. A capacidade de produção anual ronda as 600 mil unidades.

A NÃO PERDER: De Portugal para o mundo. Renault Cacia com produção exclusiva de nova caixa de velocidades
Presidente da República na Renault Cacia (3)

Marcelo Rebelo de Sousa, teve ainda oportunidade de “passear” pelo complexo industrial ao volante de um Renault ZOE, destacou a importância da fábrica para a região e para o país, sobretudo no impulso que gerou após o 25 de abril.

A implantação da Renault em Portugal significou um passo muito importante no caminho do desenvolvimento e da integração europeia. Tratava-se de um investimento de grande significado. Trazia um parceiro europeu, a França, que o futuro mostraria vir a ser cada vez mais importante para Portugal, como acontece hoje.

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República Portuguesa
Presidente da República na Renault Cacia (3)

“Agora, à distância de 40 anos e depois de tudo aquilo que vivemos, parece natural, parece fácil, parece óbvio, e tende-se a minimizar, na altura o que foi um gesto de coragem, de audácia, de visão a longo prazo. O difícil é entender o que foi, onde foi e mal se imaginava o que viria a ser. E viria a ser um grupo com 2000 postos de trabalho diretos e mais de 1800 indiretos, líder do mercado em 35 dos últimos 42 anos e já há 23 anos consecutivos”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, que acabou o seu discurso dizendo:

Para os trabalhadores da Renault, de hoje, de ontem e de amanhã… Muito grato pelo que ajudaram a mudar Portugal. Para a investidora, os gestores, os responsáveis, o meu reconhecimento.

Trabalhador homenageado com Ordem do Mérito

Seguiu-se uma homenagem “a um trabalhador, por não ser possível homenagear todos”, em que Marcelo Rebelo de Sousa condecorou com a Ordem do Mérito, Hipólito Rodrigues Branco, um dos trabalhadores mais antigos desta fábrica.

Tem 40 anos da Renault Cacia e mais seis de uma empresa que ela entretanto comprou. Ao condecorá-lo com a Ordem do Mérito, eu nele homenageio todos os demais, todo o passado, todo o presente e todo o futuro da instituição.

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República Portuguesa

 

José Vicente de Los Mozos, Diretor Mundial para a Indústria do Grupo Renault e Diretor Geral do Grupo Renault em Portugal e Espanha, também discursou, lembrando que “com um volume de negócios de 213 milhões de euros em 2020” a Renault Cacia “é uma das maiores empresas exportadoras do país”.

VEJAM TAMBÉM: Volkswagen Autoeuropa reduziu 79,8% de emissões de CO2 em 10 anos

“Desde 1981 que a Renault Cacia tem desempenhado um papel fundamental no desenvolvimento desta região, bem como da economia nacional, contando atualmente com mais de 1100 pessoas que asseguram uma mão de obra qualificada”, salientou.

Olhos postos no futuro

Durante a cerimónia houve ainda tempo para falar sobre o futuro daquela unidade de produção, que em breve começará a dar os primeiros passos rumo à descarbonização.

Presidente da República na Renault Cacia (3)

Já no final deste ano vai começar a ser instalado o “maior sistema de autoconsumo fotovoltaico em Portugal” que será capaz de gerar “uma autonomia energética de 13% e evitar a emissão de 1,8 mil toneladas de CO2 por ano”, anunciou José Vicente de Los Mozos.

O projeto, desenvolvido com a ENGIE Hemera, terá 13 mil módulos fotovoltaicos e vai ocupar uma área total de 46 000 m2, o equivalente a mais de quatro campos de futebol. O sistema terá uma potência instalada de 6 MWp (megawatt-pico), gerando, em média, uma produção energética anual de 8 GWh.

Em funcionamento desde setembro de 1981, a Renault Cacia é a segunda maior unidade industrial de construtores de automóveis em Portugal, apenas superada pela Autoeuropa, e uma das unidades mais importantes da zona onde está localizada, em Aveiro.

Mais artigos em Notícias