Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Veículos Autónomos

Daimler e Bosch já não vão fazer táxis-robô juntas

O acordo de 2017 prometia táxis-robô (veículos autónomos de nível 4 e 5) no início desta década, mas Daimler e Bosch decidiram terminar a parceria.

Em 2017, o acordo estabelecido entre a Daimler e a Bosch era o de desenvolver hardware e software para veículos autónomos, com o objetivo final de colocar em circulação, em ambiente urbano, táxis-robô no início desta década.

A parceria entra as duas empresas, cujo projeto foi dado o nome de Athena (deusa grega da sabedoria, civilização, artes, justiça e habilidade), chega agora ao fim sem resultados práticos, segundo avança o jornal alemão Süddeutsche Zeitung, Tanto a Daimler como a Bosch irão agora perseguir em separado o desenvolvimento de tecnologias para veículos autónomos.

Uma notícia que não deixa de surpreender, quando vemos serem anunciadas várias parcerias para o desenvolvimento de veículos autónomos (nível 4 e 5) e também para colocar em serviço táxis-robô, criando novas unidades de negócio associadas à mobilidade.

VEJAM TAMBÉM: Audi skysphere. No futuro elétrico e autónomo da Audi ainda podemos conduzir
Táxi-robô daimler bosch
No final de 2019, a parceria entre a Daimler e a Bosch dava um passo significativo ao colocar em circulação alguns Classe S autónomos, mas ainda com condutor humano presente, na cidade de San José, no Sillicon Valley, nos EUA. Daimler AG

O Grupo Volkswagen, através da sua subsidiária Volkswagen Veículos Comerciais e em parceria com a Argo, anunciou a intenção de colocar os primeiros táxis-robô em circulação na cidade de Munique, Alemanha, em 2025. Também a Tesla tinha anunciado que teria táxis-robô a circular… em 2020 — os prazos estabelecidos por Elon Musk a revelarem-se, mais uma vez, otimistas.

Empresas como a Waymo e a Cruise, já têm diversos protótipos de teste em circulação por algumas cidades norte-americanas, ainda que, por enquanto, tenham um condutor humano presente nesta fase de testes. Entretanto na China, a Baidu já colocou em funcionamento o seu primeiro serviço de táxis-robô.

“Desafio é maior do que muitos teriam pensado”

Fica por justificar as razões por detrás da decisão da Daimler e Bosch, mas segundo fontes internas, já há alguma tempo que a cooperação entre as duas estava “acabada”. Já se tinha assistido à recolocação de vários funcionários em outros grupos de trabalho ou tarefas, fora do âmbito da parceria.

táxi-robô Daimler Bosch

Harald Kröger, diretor gerente da Bosch, em declarações ao jornal alemão diz que para eles “é apenas uma transição para a fase seguinte”, acrescentando que “continuarão a acelerar a fundo em relação a condução altamente automatizada”.

No entanto, talvez dando pistas sobre o porquê do fim desta parceria, Kröger admite que o desafio de desenvolver táxis-robô para lidarem com o tráfego na cidade é “maior do que muitos teriam pensado”.

VEJAM TAMBÉM: Condução semiautónoma torna os condutores mais distraídos e menos seguros

Ele vê as funções de condução autónoma chegar primeiro à produção em série noutras áreas, como por exemplo, na logística ou em parques de estacionamento, onde os automóveis podem, sozinhos, procurar um lugar e estacionar por eles próprios — curiosamente, um projeto-piloto deverá entrar em funcionamento ainda este ano no aeroporto de Estugarda, numa parceria paralela entre a Bosch e… a Daimler.

Daimler Bosch táxis-robô

Do lado da Daimler, é já a segunda parceria relacionada com a condução autónoma que não chega a bom porto. A empresa alemã já tinha firmado um acordo com a arquirrival BMW para o desenvolvimento de algoritmos relacionados com condução autónoma, mas de nível 3 e fora da malha urbana e não nível 4 e 5 como com a Bosch. Mas também essa parceria foi terminada em 2020.

Mais artigos em Notícias