Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Antevisão

A partir de 2025 todos os modelos da Mercedes-Benz terão uma versão 100% elétrica

Mercedes-Benz detalhou um plano ambicioso que irá torná-la 100% elétrica até ao final da década nos mercados onde isso for possível.

A Mercedes-Benz revelou esta quinta-feira um plano ambicioso para se tornar 100% elétrica até ao final da década, “onde as condições de mercado o permitam”.

Num processo que prevê acelerar vários objetivos que já tinham sido anunciados anteriormente na estratégia “Ambition 2039”, a Mercedes-Benz confirma que vai passar a oferecer um veículo a bateria em todos os segmentos a partir de 2022 e que a partir de 2025 todos os modelos da gama terão uma versão 100% elétrica.

Para o mesmo ano, a Mercedes-Benz anuncia outra importante decisão: “de 2025 em diante, todas as plataformas lançadas serão apenas para elétricos”, sendo que para essa altura estão previstas surgirem três novas plataformas: MB.EA, AMG.EA e VAN.EA.

A NÃO PERDER: Mercedes-Benz EQS. O elétrico que quer redefinir o luxo
Mercedes-Benz EQS
Mercedes-Benz EQS

A primeira (MB.EA) será destinada a automóveis de passageiros médios e grandes. Já a AMG.EA, tal como o nome sugere, servirá de base aos futuros desportivos elétricos de Affalterbach. Por fim, a plataforma VAN.EA, será usada para veículos comerciais ligeiros.

Elétricos para todos os gostos

Depois dos lançamentos do EQA, EQB, EQS e EQV, todos em 2021, a Mercedes-Benz prepara-se para lançar em 2022 a berlina EQE e os correspondentes SUV dos EQE e EQS.

Quando todos estes lançamentos estiverem concluídos, e contando já com o EQC, a marca de Estugarda terá oito automóveis totalmente elétricos no mercado dos automóveis de passageiros.

Mercedes_Benz_EQS
Mercedes-Benz EQS

De destacar ainda as duas variantes previstas para o EQS: uma variante mais desportiva, com a assinatura da AMG, e uma variante mais luxuosa com a assinatura da Maybach.

A somar a tudo isto, propostas híbridas plug-in com autonomias elétricas extensas, como é o caso do novo Mercedes-Benz C 300 e que acabámos de testar, vão continuar a representar um papel muito importante na estratégia da marca.

LEIAM TAMBÉM: Mercedes-Benz Classe C 300 e. Guiámos o híbrido plug-in que faz mais de 100 km em modo elétrico

Margens são para manter, apesar do maior investimento

“A mudança para os veículos elétricos está a ganhar velocidade, sobretudo no segmento de luxo, onde a Mercedes-Benz pertence. O ponto de inflexão está a aproximar-se e estaremos prontos à medida que os mercados mudarem para 100% elétricos no final desta década”, referiu Ola Källenius, diretor executivo da Daimler e da Mercedes-Benz.

Ola Kaellenius CEO Mercedes-Benz
Ola Källenius, CEO da Mercedes-Benz, durante a apresentação da app Mercedes me

Esta etapa marca um profundo reajuste de capital. Ao gerir essa transformação rápida ao mesmo tempo que salvaguardamos os nossos objetivos de lucro, vamos garantir o longo sucesso da Mercedes-Benz. Graças à nossa força de trabalho qualificado e motivado, estou convencido de que seremos bem sucedidos nesta excitante nova era.

Ola Källenius, diretor executivo da Daimler e da Mercedes-Benz
A NÃO PERDER: O elétrico Mercedes-Benz EQS vai ser rentável, mas menos que o Classe S de motor de combustão

A Mercedes-Benz vai investir mais de 40 mil milhões de euros para o desenvolvimento de novos veículos elétricos e confirmou que vai manter as margens que tinha traçado em 2020, ainda que esses objetivos tenham sido baseados na “suposição de vender 25% de veículos híbridos e elétricos em 2025”.

Agora, a marca alemã acredita que este tipo de veículos já vão representar cerca de 50% da quota de mercado nesse mesmo ano.

Mercedes-Maybach Classe S W223
Maybach será, em breve, sinónimo de eletricidade.

Para manter as margens de lucro na nova era elétrica, a Mercedes-Benz vai tentar “aumentar a receita líquida” por cada exemplar vendido e potencializar as vendas de modelos Maybach e AMG. A isto, temos ainda que somar as vendas através dos serviços digitais, que serão cada vez mais uma tendência das marcas.

LEIAM TAMBÉM: Este Mercedes 230 E nunca foi matriculado e está à venda. Adivinham o preço?

Com base nisto, a uniformização da gama no que às plataformas diz respeito também é fundamental, uma vez que vai permitir uma importante redução de custos.

Oito gigafábricas “a caminho”

Para suportar esta transição quase em absoluto para a eletricidade, a Mercedes-Benz anunciou a construção de oito novas gigafábricas em todo o mundo (sabe-se que uma delas será nos EUA e quatro na Europa), que terão uma capacidade de produção de 200 GWh.

As baterias de próxima geração da Mercedes-Benz serão “altamente padronizadas e adequadas para serem usadas em mais de 90% dos carros e carrinhas da Mercedes-Benz”, sendo que o objetivo para aumentar a densidade seja para oferecer “autonomias inéditas e tempos de carga mais curtos”.

Vision EQXX terá autonomia superior a 1000 km

O protótipo Vision EQXX, que a Mercedes-Benz vai apresentar em 2022, será uma espécie de montra de tudo isto e promete ser o elétrico com mais autonomia de sempre e também o mais eficiente.

mercedes vision eqxx

Além de mostrar uma imagem teaser, a marca germânica confirmou ainda que este modelo terá uma autonomia “no mundo real” superior a 1000 km e um consumo em autoestrada de mais de 9,65 km por cada kWh (ou seja, um consumo inferior a 10 kWh/100 km)

A equipa de desenvolvimento do Vision EQXX conta com “especialistas da divisão F1 High Performance Powertrain (HPP)” da Mercedes-Benz, que fez questão de realçar que a maior autonomia não foi alcançada recorrendo simplesmente a uma bateria de maior capacidade.

Sabe responder a esta?
Qual era a potência do Brabus 190E 3.6S Lightweight?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Brabus 190E 3.6S Lightweight. É exatamente aquilo que parece…

Mais artigos em Notícias