Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Disponível em 2022

Exclusivo. Já testámos o protótipo da Peugeot 308 SW

Fomos até à fábrica da Peugeot em Mulhouse, França, para conhecer o protótipo final da Peugeot 308 SW. Chega a Portugal em janeiro mas nós já a conduzimos.

Em Mulhouse, França

A nova gama Peugeot 308 tem as suas prioridades muito bem definidas. Perante a crescente ofensiva dos SUV, a terceira geração do Peugeot 308 aposta mais do que nunca no design, na tecnologia e numa ampla oferta de motorizações para continuar a cativar os consumidores. Sensações que ficaram bem patentes no nosso primeiro teste ao Peugeot 308 hatchback.

Mas a nossa ida às instalações da Peugeot em Mulhouse, França, reservou-nos outra surpresa. Testámos os protótipos finais — ainda camuflados — da Peugeot 308 SW antes da sua revelação oficial.

Tivemos à nossa disposição três unidades, com especificações diferentes. Devido à camuflagem, só vimos as suas formas finais no final do dia (formas essas que entretanto foram reveladas e podem rever aqui), mas antes disso, já tínhamos percorrido as estradas que circundam Mulhouse para descobrir todas as novidades desta nova carrinha francesa.

A NÃO PERDER: Novo Peugeot 508 PSE (360 cv). TRÊS MOTORES no Peugeot de produção mais potente de sempre

Os primeiros quilómetros na Peugeot 308 SW 2022

A primeira versão da Peugeot 308 SW 2022 que testámos foi a mais potente da gama. Tratava-se da versão GT com 225 cv de potência, fruto da aliança entre o motor 1.6 Puretech de 180 cv e um motor elétrico de 81 kW (110cv).

É a primeira vez que a Peugeot 308 SW recebe uma versão eletrificada e fá-lo da melhor maneira. Graças ao casamento destes motores com uma bateria de 12,4 kWh, a marca anuncia para a Peugeot 308 SW mais potente de sempre até 60 km em modo 100% elétrico (ciclo WLTP). Neste primeiro contacto não foi possível aferir com precisão os consumos, mas os valores reais não deverão estar muito distantes do anunciado.

Relativamente à performance, os 225 cv de potência dão muito bem conta de si. Temos sempre muita potência disponível, mesmo quando apenas está em funcionamento o motor elétrico. Sem ajuda do motor de combustão, este é capaz de nos acompanhar até aos 120 km/h sem gastar uma gota de combustível.

Mas é quando os dois motores trabalham em conjunto que sentimos verdadeiramente aquilo que a carrinha francesa é capaz de fazer. Os 225 cv impulsionam todo o conjunto com muita facilidade para lá dos limites legais. Talvez até demasiada facilidade, uma vez que a boa insonorização e o conforto da suspensão ajudam a disfarçar a velocidade. Apenas a caixa automática e-EAT8 tem por vezes dificuldade em acompanhar o ímpeto destes dois motores, revelando ocasionalmente alguma indecisão quando «apertamos» mais o ritmo.

LEIAM TAMBÉM: Peugeot 3008 GT HYBRID4 testado. O mais potente de sempre

A anterior geração da 308 SW já era conhecida pelo seu acerto dinâmico e conforto, mas esta nova geração sobe dois patamares a esse respeito. Não é só a suspensão que trabalha melhor em todo o tipo de pisos, é também a insonorização e a solidez demonstrada por todos os materiais que impressiona.

Os últimos quilómetros do nosso teste foram feitos ao volante da versão 1.2 Puretech de 130 cv — provavelmente a versão que mais procura vai ter no mercado nacional. Apesar desta nova geração ser maior que a sua antecessora, os nossos receios relativamente à potência deste motor revelaram-se infundados.

Mesmo com este motor 1.2 Puretech de 130 cv a Peugeot 308 SW revela «músculo» para a maioria das situações. Como é tradição neste motor da marca francesa, a resposta desde os regimes mais baixos é cheia — o que é muito importante em cidade — e nos regimes intermédios mostra desenvoltura suficiente para as viagens maiores. Quanto à insonorizações, mais uma vez, a Peugeot 308 SW mostrou ter evoluído no melhor sentido, mesmo com este motor de três cilindros — que é tendencialmente mais ruidoso.

No que diz respeito à componente dinâmica, temos de ser categóricos: a Peugeot 308 SW está entre as melhores do segmento. Apesar de não contar com suspensões adaptativas, o acerto encontrado pelos engenheiros franceses consegue aliar um bom conforto de rolamento a uma capacidade dinâmica capaz de entusiasmar. Em abono da verdade, a culpa não é apenas do novo acerto das suspensões. A plataforma EMP2 — na qual continua a assentar a nova geração do 308 — está mais larga e também mais baixa, dando ao condutor uma sensação de conexão com a estrada superior à anterior geração.

Descubra o seu próximo carro:

A nova Peugeot 308 SW por fora

Depois de conduzirmos as unidades camufladas da Peugeot 308 SW, chegou finalmente a altura de conhecer as formas finais da sua carroçaria. A Peugeot transformou um dos seus armazéns no local de apresentação do modelo, para evitar deslocações e eventuais fugas de imagens antes de tempo.

Resultou. Foi das poucas vezes em que assistimos à revelação de um modelo sem conhecer antecipadamente as suas formas — as fugas de imagens são cada vez mais comuns. Talvez por isso a surpresa tenha sido ainda maior. Assim que o pano caiu, os elogios às formas da 308 SW sucederam-se entre as dezenas de jornalistas internacionais que estavam presentes.

Bem sabemos que o estilo é sempre algo bastante subjetivo, mas as formas da Peugeot 308 SW parecem ter agradado a todos os presentes. Agnès Tesson-Faget, gestora de produto da gama 308, avançou um motivo para isso: “a Peugeot 308 SW foi desenvolvida de raiz com se fosse um modelo totalmente novo”.

Peugeot 308 SW
O terceiro volume da Peugeot 308 SW é totalmente diferente da restante gama. Manteve-se a assinatura luminosa, mas todos os painéis e superfícies são diferentes. O resultado foi uma carrinha que é inclusivamente mais aerodinâmica do que a versão hatchback.

Os designers da marca francesa partiram para o design da Peugeot 308 SW com uma folha em «branco». Segundo Agnès Tesson-Faget, isto deu “liberdade ao departamento de design para criar uma traseira mais harmoniosa. Não se trata de um modelo derivado do 308 hatchback, mas de uma carrinha com a sua própria identidade”.

No interior, encontramos exatamente as mesmas soluções da restante gama 308. O sistema i-Cockpit 3D de última geração, o novo sistema de infoentretenimento com i-toggles (teclas de atalho) e um cuidado com os materiais e montagem que faz inveja às marcas premium. A grande diferença surge na capacidade da bagageira, que oferece agora uns muito generosos 608 litros de capacidade , extensível aos 1634 litros com o banco traseiro totalmente rebatido.

A NÃO PERDER: Peugeot. Novo logótipo para o início de uma nova era

A gama da Peugeot 308 SW

Com chegada ao mercado prevista para o início de 2022, a Peugeot 308 SW partilha a gama de motorizações com o hatchback. Desta forma, a oferta é composta por motorizações a gasolina, Diesel e híbridas plug-in. 

A oferta híbrida plug-in recorre ao motor a gasolina 1.6 PureTech — de 150 cv ou 180 cv — que surge associado a um motor elétrico sempre de 81 kW (110 cv). No total há duas versões, sendo que ambas recorrem à mesma bateria de 12,4 kWh:

  • Hybrid 180 e-EAT8 — 180 cv de potência máxima combinada, até 60 km de autonomia e emissões de CO2 de 25 g/km;
  • Hybrid 225 e-EAT8 — 225 cv de potência máxima combinada, até 59 km de autonomia e emissões de CO2 de 26 g/km.

Já a oferta exclusivamente a combustão assenta nos nossos já bem conhecidos motores BlueHDI e PureTech:

  • 1.2 PureTech — 110 cv, caixa manual de seis velocidades;
  • 1.2 PureTech — 130 cv, caixa manual de seis velocidades;
  • 1.2 PureTech — 130 cv, caixa automática (EAT8) de oito velocidades;
  • 1.5 BlueHDI — 130 cv, caixa manual de seis velocidades;
  • 1.5 BlueHDI — 130 cv, caixa automática (EAT8) de oito velocidades.

Primeiras impressões

8 / 10
Não vou arriscar dar uma nota superior à Peugeot 308 SW porque ainda não conhecemos os seus preços e níveis de equipamento para Portugal. Mas de tudo aquilo que já tivemos oportunidade de ver da nova carrinha francesa, vai ser um osso duro de roer para a concorrência. Tem os motores certos, o design adequado e uma oferta tecnológica muito forte. Todos os condimentos necessários para fazer frente à sua concorrência direta e também aos SUV's que parecem ameaçar este segmento dos familiares compactos. Assim, vamos aguardar por janeiro de 2022, altura em que a 308 SW chega ao nosso mercado para tirar as derradeiras conclusões. Mas isto promete...

  • Gama de motorizações ampla;

  • Conforto de rolamento;

  • Isolamento acústico;

  • Design;

  • Sem suspensão adaptativa;

  • Caixa e-EAT8 por vezes hesitante;


Sabe responder a esta?
Em que ano foi revelado o Peugeot 405?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

E dura, dura, dura… o Peugeot 405 continua a ser produzido

Mais artigos em Testes, Primeiro Contacto