Indústria

Luca De Meo: “o custo do motor de combustão nos utilitários vai duplicar com a Euro 7”

Ameaçados pelas normas antipoluição, o futuro dos citadinos e utilitários passa, para o CEO da Renault, Luca de Meo, pela eletrificação.

Numa entrevista dada à Autocar e na qual falou acerca do plano “Renaulution”, Luca de Meo, o diretor executivo do grupo gaulês, abordou ainda o futuro dos modelos mais pequenos.

Há muito ameaçados pelas cada vez mais exigentes normas antipoluição, os citadinos e utilitários não terão, segundo Luca de Meo, a vida “facilitada” com a chegada da temida norma Euro 7.

De acordo com o executivo italiano, o custo de fazer o motor de combustão para citadinos e utilitários para cumprir as novas normas de emissões deverá duplicar no final de 2025.

A NÃO PERDER: Bosch continua a apostar nos motores térmicos e critica a aposta (quase) única da UE nos elétricos
Luca DE MEO
Luca de Meo, CEO do Grupo Renault.

Tal como Luca de Meo relembrou, “há um preço base para “limpar” qualquer motor de combustão (…) é preciso um filtro de partículas com materiais caros como a platina e o ródio, e o preço deste é igual seja para um Clio de 15 mil euros, seja para um Mercedes-Benz Classe S de 120 mil euros”.

E apesar de admitir que no Classe S o filtro é um pouco maior, Luca de Meo relembra que “a percentagem que esse filtro representa no preço final (do veículo) é muito menor”.

Futuro? Tem de ser elétrico

Tendo em conta estas declarações, muitos seriam tentados a assumir que para Luca de Meo não há futuro para os citadinos e utilitários. Contudo, o diretor executivo da Renault tem uma “solução”: a eletrificação.

Acerca disto, de Meo relembra: “De acordo com a nossa experiência, o custo das baterias está a cair cerca de 10% ao ano. Como os carros elétricos pequenos precisam de baterias menores, são mais baratos em termos percentuais do que os veículos elétricos maiores”.

O diretor executivo da Renault referiu ainda que “à medida que os preços dos carros pequenos a combustão aumenta, o dos elétricos equivalentes cai. Está a chegar a altura em que as duas curvas de custo se vão cruzar, e nessa altura o carro elétrico será o mais viável na Europa”.

Aliás, para Luca de Meo essa é uma grande oportunidade para as marcas, relembrando: “Será um grande momento porque democratizará os carros elétricos na Europa. A empresa que chegar primeiro será uma grande vencedora”.

Qual a data prevista para que essa meta seja alcançada? Luca de Meo avança “a maioria da indústria espera que esta linha seja cruzada em 2025/2026. Mas nós podemos chegar primeiro se criarmos um projeto inteligente”.

Fontes: Autocar.

Sabe responder a esta?
Em que ano é que a Renault alcançou a sua primeira vitória na Fórmula 1?

Mais artigos em Notícias