One-Off

Alpine Ravage. Um A110 único inspirado no mundo dos ralis

Produzido por uma pequena empresa francesa a pedido de um cliente, este A110 Ravage é uma homenagem ao passado de competição da Alpine.

O Alpine A110 é um desportivo com raízes bem profundas nos ralis e tudo começou em 1971, ano em que o modelo francês alcançou os três lugares do pódio do Rali de Monte Carlo, com Ove Andersson e David Stone a festejarem a vitória.

Em 2019, já depois de a fabricante francesa ter recuperado o modelo para o século XXI, ficámos a conhecer a versão A110 Rally, derivada do A110 de produção em série mas especialmente adaptada para os ralis, num projeto que ficou a cargo da Signatech.

Agora, dois anos depois, chega-nos um Alpine A110 de ralis com autorização para andar na estrada. Sim, isso mesmo. Trata-se de um one-off imaginado pelo seu proprietário — que já o recebeu mas prefere manter o anonimato — e que foi tornado realidade pela Ravage Automobile.

A NÃO PERDER: O que vale o novo Alpine A110S em pista? Nós já sabemos
alpine-a110-ravage

Inspirado nos modelos do grupo B do Mundial de Ralis, o Alpine A110 Ravage — como é denominado — partiu de um A110 Premiere Edition e manteve o motor 1.8 de quatro cilindros com 252 cv de potência e 320 Nm do modelo de fábrica.

Estes números são suficientes para levar este Alpine Ravage dos 0 aos 100 km/h em 4,5s e até aos 250 km/h de velocidade máxima. Contudo, os responsáveis da Ravage indicam que já realizaram testes que lhes permitiram confirmar que é possível extrair até 320 cv e 350 Nm deste motor, registos semelhantes aos que oferecem os A110 de competição.

RELACIONADO: Um A110 para os ralis? O Alpine A110 SportsX pode ser a solução
alpine-a110-ravage

Apesar da maior largura e das muitas modificações estéticas, o peso deste desportivo gaulês manteve-se inalterado, muito por culpa de uma cuidadosa seleção dos materiais a usar. Os arcos traseiros e os novos para-choques são feitos a partir de fibra de carbono e alumínio e resultam de um processo completo de modelagem CAD e em argila.

Ainda na traseira, salta igualmente à vista o novo sistema de escape direto, sendo que de perfil são as jantes de 18” — em alumínio e aço inoxidável — inspiradas nas usadas pelos Alpine de rali originais que mais se destacam, bem como as palas em vermelho.

LEIAM TAMBÉM: Mais de 300 cv no Alpine A110? Fácil e não custa os olhos da cara
alpine-a110-ravage

Na dianteira, uma grelha totalmente redesenhada, faróis amarelos, holofotes LED de longo alcance da Cibié e três listas que se prolongam ao longo do capot — em direção à traseira — com as cores da bandeira francesa: azul, branco e vermelho.

As ligações ao solo também não ficaram esquecidas, já que este Alpine A110 Ravage conta com amortecedores com dois níveis de ajuste e vias mais largas, o que permitiu a instalação de um conjunto de pneus Michelin Pilot Sport Cup 2 que prometem fazer maravilhas pela estabilidade e pela tração deste desportivo.

A NÃO PERDER: Sucessor do Alpine A110 será elétrico e desenvolvido com a Lotus
alpine-a110-ravage

Por esta altura já devem ter percebido que este projeto não saiu barato ao proprietário que o encomendou e não podiam estar mais certos. A Ravage revela que este Alpine de ralis está avaliado em 115 000 euros e não fecha a porta à produção de mais exemplares.

Para já esta unidade que  mostramos é única, mas se houver interessados suficientes, a Ravage já anunciou que está disposta a fazer uma série limitada do modelo.

Sabe responder a esta?
Em que ano surgiu o primeiro Renault 5 Turbo?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Renault 5 Turbo celebra 40 anos. A história (quase) completa

Mais artigos em Notícias