Leilão

Grupo B. Os «sete magníficos» vão a leilão

A Bonhams vai levar a leilão sete máquinas muito especiais. Falamos das versões de homologação do extinto Grupo B.

Marca na tua agenda: dia 18 de agosto, Quail Lodge & Golf Club em Carmel, California. É neste evento anual que Bonhams levará a leilão sete preciosidades automobilísticas. Todos eles versões especiais de homologação. Verdadeiros protótipos de competição que pouco ou nada tinham a ver com os outros automóveis de série produzidos pelos seus construtores.

Derivados diretamente de máquinas que fizeram história nos campeonatos mundiais de ralis, estes modelos eram “civilizados” apenas o estritamente necessário para poderem circular legalmente na via pública. No conjunto dos sete modelos, são os derivados dos Grupo B que dominam, com seis exemplares: Audi Sport Quattro S1, Ford RS200, Ford RS200 Evolution, Lancia-Abarth 037 Stradale, Lancia Delta S4 Stradale e Peugeot 205 Turbo 16. O sétimo exemplar, não menos espectacular, é o Lancia Stratos HF Stradale, anterior aos Grupo B, que nasceu segundo as regras do Grupo 4.

1975 Lancia Stratos HF Stradale

1975 Lancia Stratos HF Stradale

Desenhado e construído pela Bertone, o Lancia Stratos permanece um ícone. Foi concebido de raiz apenas e só com um propósito: vingar no mundial ralis. Mas as regras obrigavam a produzir 500 unidades de estrada, para poder ser homologado na competição e assim nasce o Lancia Stratos HF Stradale. Atrás dos ocupantes está o V6 de 2.4 litros com 190 cavalos, capaz de empurrar os menos de 1000 kg do Stratos até aos 100 km/h em 6.8 segundos e atingir uma velocidade máxima de 232 km/h. Esta unidade em particular tem apenas 12 700 km.

1983 Lancia-Abarth 037 Stradale

1983 Lancia-Abarth 037 Stradale

O último carro de tração traseira a ganhar um campeonato mundial de ralis, precisamente no ano desta unidade que vai a leilão (1983). Uma carroçaria em Kevlar reforçada com fibra de vidro e o motor de 2.0 litros, com quatro cilindros e compressor montados longitudinalmente em posição central traseira definiam-no. Produzia 205 cavalos e tinha 1170 quilos de peso. Apenas 9400 km no odómetro.

1985 Audi Sport Quattro S1

1985 Audi Sport Quattro S1

Este modelo foi a resposta da Audi aos monstros de motor central traseiro da Lancia e da Peugeot. Relativamente ao Quattro que o antecedeu, o S1 destacava-se pela distância entre eixos mais curta em cerca de 32 centímetros. Mantinha o sistema de tração total e, “pendurado” na frente, lá estava o cinco cilindros em linha turbo de 2.1 litros com pouco mais de 300 cavalos. Esta unidade traz a assinatura de Walter Röhrl no volante. Que é como quem diz: “o Rei esteve aqui”.

1985 Lancia Delta S4 Stradale

1985 Lancia Delta S4 Stradale

A versão Stradale impressionava tanto quanto a versão de competição. Apenas foram produzidas 200 unidades, e tal como no carro de competição, o motor de 1.8 litros recorria a dupla sobrealimentação (turbo+ compressor) para combater o turbo lag. Nesta versão civilizada, debitava “apenas” 250 cavalos, o suficiente para levar os 1200 kg até aos 100 km/h em 6.0 segundos. Trazia luxos como interior forrado a alcantara, ar condicionado, direção assistida e computador de bordo. Esta unidade conta apenas com 8900 km.

1985 Peugeot 205 Turbo 16

1985 Peugeot 205 Turbo 16

Parece um Peugeot 205, mas de 205 não tem quase nada. O 205 T16, tal como o Delta S4 era um monstro com motor central traseiro e tração total. Também produzido em 200 unidades, o 205 T16 debitava 200 cavalos extraídos de um quatro cilindros turbo com 1.8 litros. Esta unidade tem apenas 1200 km percorridos.

1986 Ford RS200

1986 Ford RS200

Ao contrário do Delta e do 205, o Ford RS200 não tinha laços com nenhum modelo de produção, nem que fosse apenas pelo nome ou aparência. Tal como os seus rivais era um monstro com tração às quatro, motor central traseiro, com 1.8 litros, quatro cilindros, turbo, desenvolvido pela Cosworth. No total debitava 250 cavalos e esta unidade até vem com caixa de ferramentas específica incluída.

1986 Ford RS200 Evolution

1986 Ford RS200 Evolution

Das 200 unidades produzidas do Ford RS200, 24 foram convertidas para uma especificação mais evoluída, acompanhando a evolução do carro de competição. A título de exemplo, o motor cresceu dos 1.8 para os 2.1 litros. Deveria estrear-se em competição em 1987, mas tal nunca chegou a acontecer, devido à extinção dos grupo B. Porém, alguns exemplares continuaram a competir em ralis europeus e um dos RS200 Evolution tornou-se campeão europeu de Rallycross em 1991.

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos

Pub