Apresentação

Até 770 km de autonomia e 523 cv. Os números do Mercedes-Benz EQS

Depois de ter revelado o interior do Mercedes-Benz EQS, a marca alemã desvenda agora alguns dos principais dados técnicos do seu topo de gama elétrico.

O Mercedes-Benz EQS tem-se dado a conhecer aos poucos e depois de termos visto o seu interior marcado (opcionalmente) pelo MBUX Hyperscreen, agora é-nos dado a conhecer alguns dos números associados ao seu grupo motriz elétrico.

Começando pelas baterias, estas contam com uma arquitetura de 400 V e apresentam-se com 90 kWh ou 107,8 kWh de capacidade útil, permitindo ao EQS alcançar uma autonomia máxima de até 770 km (WLTP).

Dotadas de refrigeração líquida, estas podem ser pré-aquecidas ou arrefecidas antes ou durante a viagem, tudo para assegurar que chegam a um posto de carregamento rápido sempre à temperatura ótima de funcionamento.

A NÃO PERDER: Mercedes-Benz EQE. Fotos-espia revelam o Classe E dos elétricos
Mercedes-Benz EQS
A Mercedes-Benz oferece uma garantia de 10 anos ou 250 mil quilómetros para a bateria.

Por falar em carregamento, o Mercedes-Benz EQS contará com um carregador de bordo de 22 kW para uso doméstico. Já nos postos de carregamentos rápidos DC (corrente direta) o topo de gama alemão será capaz de carregar até uma potência de 200 kW.

Nesse cenário e de acordo com a Mercedes-Benz, em apenas 15 minutos será possível repor 300 km de autonomia nas unidades equipadas com a maior bateria. Curiosamente, no Japão, o EQS será capaz de “devolver” energia à rede elétrica.

E a potência?

Além de ter revelado os número relativos às baterias e autonomia do EQS, a Mercedes-Benz aproveitou também para dar a conhecer os primeiros valores de potência do seu novo topo de gama elétrico.

Para já estarão disponíveis duas versões, uma com tração traseira e só um motor (EQS 450+) e outra com tração integral e dois motores (EQS 580 4MATIC). Para mais tarde está prevista a chegada de uma versão desportiva ainda mais potente.

Esquema da instalação da bateria do EQS
O sistema “Plug & Charge” facilita o carregamento, bastando em alguns casos (como na rede IONITY) ligar o carro ao carregador para que o carregamento comece automaticamente, com o pagamento a ocorrer de forma automática e sem cartões.
A NÃO PERDER: Testámos o Mercedes-Benz GLC 300 de. Compensa eletrificar o Diesel?

Começando pelo EQS 450+, este apresenta-se com 333 cv (245 kW) e 568 Nm, com os consumos a fixarem-se entre os 16 kWh/100 km e os 19,1 kWh/100 km.

Já o mais potente EQS 580 4MATIC debita 523 cv (385 kW), cortesia de um motor com 255 kW (347 cv) atrás e um com 135 kW (184 cv) à frente. Quanto aos consumos, estes andam entre os 15,7 kWh/100 km e os 20,4 kWh/100 km.

Mercedes-Benz EQS
De momento, o interior foi a única parte do EQS que pudemos ver sem camuflagem.

Quanto às prestações, para já a Mercedes-Benz limitou-se a revelar a velocidade máxima que, independentemente da versão, se encontra limitada aos 210 km/h.

Há muitas formas de poupar energia

Como seria de esperar, a autonomia estimada de até 770 km não é conseguida apenas com base na generosa capacidade das baterias.

Assim, para ajudar o EQS a “esticar a autonomia”, a Mercedes-Benz dotou-o de um sistema de regeneração de energia com vários modos cuja intensidade pode ser ajustada através de duas patilhas colocadas atrás do volante e que é capaz de recuperar até 290 kW de energia.

Mercedes-Benz EQS

A juntar a tudo isto, temos ainda um coeficiente aerodinâmico de apenas 0,20, um valor referencial que faz do Mercedes-Benz EQS o modelo de produção mais aerodinâmico do mundo. Entre os detalhes que lhe permitem “cortar o ar” encontram-se os puxadores retráteis ou as jantes de desenho aerodinâmico.

Sabe responder a esta?
Em que ano foi revelado o Mercedes-Benz 190 (W201)?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Mercedes-Benz 190 (W201), antecessor do Classe C, celebra 35 anos

Mais artigos em Notícias