Lista

Dia Mundial do Livro. Fica a conhecer as sugestões da equipa da Razão Automóvel

Hoje, dia 23 de abril, é o Dia do Livro e aqui, na Razão Automóvel, não podíamos deixar de passar a ocasião. Vê as sugestões de leitura da nossa equipa.

Neste Dia do Livro, aqui na Razão Automóvel, juntamos o melhor de dois mundos: a nossa paixão pelos automóveis e o nossa paixão, também, pela leitura.

E nas circunstâncias inéditas que vivemos, com as restrições com que temos de viver, a companhia de um bom livro pode ser um bálsamo para quem o tempo parece ter parado.

Numa volta pelos membros da redação da Razão Automóvel, reunimos as suas sugestões para entreter e até enriquecer um pouco mais a  cultura automóvel de todos nós.

As sugestões do Guilherme

Devo aos livros, e mais tarde às revistas, o gosto que nutro pelos automóveis. Tinha  quatro anos de idade quando os meus pais me ofereceram o livro de ilustrações “Carros”, da coleção Livros Maravilhosos da Porto Editora. Longe estava eu de adivinhar — no já longínquo ano de 1990 — que um dia a minha vida seria escrever sobre automóveis.

Carros

Américo Nunes, O Senhor dos Porsche
Ricardo Grilo, Edições Vintage

Américo Nunes, o Senhor dos Porsche

Dito isto, escolhi dois livros portugueses para assinalar esta data. O primeiro,  «Américo Nunes – O Senhor dos Porsche» ( Ricardo Grilo, Edições Vintage) pela admiração que nutro pela carreira de Américo Nunes e pela sua história de vida, que é um exemplo de superação e amor aos carros.

A NÃO PERDER: Há um santuário Porsche escondido em Lisboa

Os Estaleiros H. Parry & Son e o fracasso da indústria automóvel portuguesa
José Barros Rodrigues, Edições Caleidoscópio

Os Estaleiros H. Parry & Son e o fracasso da indústria automóvel portuguesa

A segunda escolha foi mais difícil, mas teria de destacar um dos vários livros do Eng.º José Barros Rodrigues, que me desvendaram muitos segredos da história da indústria e do desporto automóvel em Portugal. Destaco por isso o mais recente de todos:  «Os Estaleiros H. Parry & Son e o fracasso da indústria automóvel portuguesa (Edições Caleidoscópio).

VÊ TAMBÉM: O primeiro TT foi uma pick-up da Ford. Já lá vão 100 anos

As sugestões do Diogo

Escolhi estes dois livros, tão distintos entre si, pela admiração que tenho pelo fenómeno automóvel no seu todo, seja enquanto atividade económica racional, seja enquanto atividade desportiva plena de paixão.

Salvador Caetano, Fragmentos de uma vida
Fernandes (A. Silva) & Cruz (José) & Cruz (J. Marques da), Fundação Salvador Caetano

Salvador Caetano

No livro Salvador Caetano, Fragmentos de uma vida, ficamos a conhecer a vida de um dos maiores industriais do país, Salvador Fernandes Caetano. Um homem que revolucionou o tecido industrial do norte e cuja obra continua bem presente.

Um trajeto que começou a trilhar com apenas 20 anos de idade, e que em menos de 10 anos o levou à liderança da sua primeira atividade — a produção de autocarros — e mais tarde importação e produção de modelos Toyota.

A NÃO PERDER: Como é que a Toyota chegou a Portugal?

50 anos Rally de Portugal
Automóvel Club de Portugal

50 Anos do Rally de Portugal

No livro 50 anos Rally de Portugal, do Automóvel Clube de Portugal, recuo à minha infância e a uma prova que tanto nos diz aqui na Razão Automóvel. Lembro-me de ser ainda criança e ir ver as etapas com o meu pai e com o meu avô, em Fafe.

Depois mais tarde voltei a fazê-lo, apenas com o meu pai. Hoje acompanho o Rally de Portugal por razões profissionais, algo que aquela criança nos anos 90 não sonhava que ia fazer. É muito diferente. É bom voltar às imagens e às histórias desta prova, talvez para me relembrar de quando era apenas uma criança que adorava automóveis. Foi por causa desses dias que estou aqui hoje.

A NÃO PERDER: Os 50 carros que venceram o Rally de Portugal

As sugestões do Fernando

Automóveis Portugueses
José Barros Rodrigues, Salvador Patrício Gouveia, Teófilo Santos; Museu do Caramulo

Automóveis Portugueses

Já me perguntaram tantas vezes porque é que nunca houve uma marca de automóveis portuguesa, que ficam sempre surpreendidas quando lhes digo que já houve, e não foi uma só: Alba, DM, Edfor, Felcom, Lusito, Marlei, MG Canelas, Olda, Portaro, Sado e a incontornável UMM. Ok… não sobreviveram até aos nossos dias, mas não foi por falta de audácia.

A NÃO PERDER: Estas 11 marcas de automóveis são portuguesas. Conheces todas?

H-Point 2nd Edition: The Fundamentals of Car Design & Packaging
Stuart Macey, Geoff Wardle; Design Studio Press

H Point
Daniel Simon, Oshkosh Airshow 2013

Foi o design automóvel que me fez gostar de automóveis. O que está por detrás das linhas, das formas, dos volumes dos automóveis que vemos na rua é uma matéria complexa e ao mesmo tempo fascinante. Este livro é uma das “bíblias” para todos os interessados em seguir design automóvel — já é usado por algumas universidades até como manual de ensino.

Este livro não te vai ensinar a desenhar, mas sim vai-te levar a perceber o que tens de ter em conta na concepção de um veículo, desmistificando o processo de design. Este é mesmo uma daquelas obras imprescindíveis. H-Point vai atualmente na segunda edição, que foi completamente revista e ganhou mais 68 páginas.

A NÃO PERDER: Como nasce um automóvel? Um dia com os designers da Mazda

As sugestões do João

Vitória nas 24 Horas de Le Mans
Bernard Clavel, Europa-América

Vitória nas 24 Horas de Le Mans

Foi através deste livro que me apaixonei pela prova decorrida no circuito de La Sarthe. A história é contada pelo jornalista Bernard Clavel que foi admitido na equipa do carro n.º 47, um Alpine A210, pilotado por Jean-Claude Andruet e Robert Bouharde na edição de 1967.

Através do seu relato podemos experienciar como é viver de perto a prova, não só em pista como nos bastidores.  Gostei do livro principalmente porque nos mostra o lado menos glamoroso de Le Mans e nos leva a acompanhar uma equipa que não luta pela vitória, mas sim por chegar ao fim, uma espécie de “underdog”.

A NÃO PERDER: Jacky Ickx. O homem que acabou com as «correrias» em Le Mans

Cars for Comrades: The Life of the Soviet Automobile
Lewis H. Siegelbaum, Cornell University Press.

Cars for Comrades

Este livro conta-nos a história da evolução da indústria automóvel soviética e explica-nos o nascimento de marcas como a GAZ, a UAZ ou a AutoVAZ (que detém a Lada). Tendo eu um carro soviético, um imortal Lada Niva, é óbvio que este livro me cativou.

A NÃO PERDER: Os 10 melhores automóveis nascidos em solo comunista

Mais artigos em Notícias