Corolla, C-HR e Yaris. Os híbridos Toyota ganham mais um argumento

Os Híbridos Toyota Corolla, C-HR e Yaris contam com uma nova campanha promocional. Mais um argumento a juntar aos outros que fazem dos híbridos Toyota a escolha certa.

Falar de modelos híbridos é falar da Toyota. Pioneira na introdução da tecnologia híbrida no mercado, com o Prius, a marca japonesa conta hoje com uma extensa gama de modelos que associam as vantagens dos motores térmicos com as vantagens dos motores elétricos.

Mas quais os argumentos dos híbridos Corolla — Hatchback, Touring Sports e Sedan —, C-HR e Yaris, para lá da nova campanha?

Apresentamos-te os cinco argumentos da tecnologia híbrida Toyota.

Toyota Yaris Hybrid

Baterias sempre carregadas

Como bem sabes, os modelos híbridos conjugam um motor térmico com um motor elétrico alimentado por uma bateria.

No entanto, ao contrário dos modelos híbridos plug-in, os híbridos da Toyota de que te falamos hoje não precisam de passar horas ligados a uma tomada para verem as suas baterias carregadas.

Em vez disso, estas carregam enquanto o Corolla, o C-HR ou o Yaris estão em movimento, aproveitando as desacelerações e travagens, convertendo o movimento em energia elétrica. Eficiência máxima, baterias sempre carregadas.

Toyota Corolla

Baixos consumos

Apesar de as baterias usadas pelo Corolla, C-HR e Yaris prescindirem de carregamento externo, a sua capacidade permite de forma limitada uma utilização em modo 100% elétrico.

No entanto, cortesia de um evoluído sistema híbrido que conjuga sempre da melhor forma o eficiente motor térmico (ciclo Atkinson) e o motor elétrico, os híbridos da Toyota conseguem consumos realmente reduzidos, sendo capazes de percorrer até 50% de um percurso urbano apenas e só com recurso ao motor elétrico.

Toyota Yaris Hybrid

E não é só em cidade. Os benefícios do sistema híbrido usado pelos Corolla, C-HR e Yaris fazem-se sentir mesmo em autoestrada, onde os consumos são também baixos, consequência do sistema privilegiar o uso do motor elétrico.

Quando equipado com o motor 1.8 l com 122 cv (potência combinada), os consumos anunciados para o Corolla situam-se entre os 4,4 l/100 km e os 5,0 l/100 km. Se optares pela versão mais potente, o 2.0 Hybrid Dynamic Force com 180 cv, os consumos anunciados ficam-se entre os 5,2 e os 5,3 l/100 km.

Quanto ao C-HR, que também conta com um 1.8 l de 122 cv, ficam-se pelos 4,8 l/100 km; enquanto o mais pequeno Yaris, que recorre a um 1.5 l e oferece 100 cv de potência combinada, anuncia consumos entre 4,8 e 5 l/100 km.

Toyota C-HR

Facilidade de utilização

Apesar de os consumos serem um dos argumentos de modelos híbridos da Toyota, estes não são as suas únicas mais valias — a facilidade de utilização é outra delas.

Os híbridos da Toyota recorrem a transmissões variáveis contínuas controladas eletronicamente (eCVT), ou seja, em vez das tradicionais relações, é como se tivessem um número de “mudanças infinitas”. A agradabilidade de utilização sai beneficiada, ao não ocorrer os “habituais” solavancos nas passagens de velocidade, já que estas não existem.

Toyota Corolla

Escusado será dizer que este sistema se revela bastante adequado a uma utilização urbana, sendo que a disponibilidade de binário extra proporcionado pelo motor elétrico acaba também por se revelar uma mais valia.

Silêncio — condução refinada

Cortesia das transmissões variáveis contínuas controladas eletronicamente e do sistema híbrido, o Corolla, o C-HR e o Yaris oferecem não só uma condução refinada como silenciosa.

Assim, os híbridos da Toyota permitem circular tanto em cidade como em estrada aberta com o mínimo de ruído a velocidades estabilizadas, algo a que também não é alheio o facto de o sistema híbrido privilegiar o uso do motor elétrico, reduzindo assim o ruído e aumentando o refinamento da condução.

Toyota C-HR

Performance não falta

Baixos consumos, condução refinada e até facilidade de condução, mas… e a performance? Apesar de, regra geral, serem associados à economia de combustível, os automóveis híbridos também podem ter prestações convincentes.

Corolla

Afinal de contas são dois motores a trabalhar em conjunto, permitindo não só uma maior potência total como uma resposta mais imediata sempre que se pressiona o acelerador — praticamente instantânea cortesia do motor elétrico.

Um bom exemplo é a versão mais potente do Corolla que, ao combinar um motor 2.0 l com um motor elétrico de 80 kW (109 cv) oferece uma potência combinada de 180 cv — os 0 aos 100 km/h são cumpridos em apenas 7,9 s.

Toyota Corolla

As recuperações também estão em muito bom nível, seja pela ausência de relações da eCVT, o que permite que o motor fique rapidamente no regime ideal para fazer aquela ultrapassagem; seja pela resposta instantânea do motor elétrico.

Campanha

Agora, até 30 de novembro, decorre uma campanha especial de retoma na troca do seu carro antigo por um híbrido da Toyota (Corolla, C-HR e Yaris) com um valor de até 3000 euros.

Este conteúdo é patrocinado porToyota

Mais artigos em Branded Content

Os mais vistos