A partir de 32 150 euros

Peugeot e-208 em vídeo. Testámos o leão 100% ELÉTRICO

Neste vídeo o Diogo testa o inédito Peugeot e-208, a versão 100% elétrica do utilitário francês. Fica a conhecer todos os detalhes.

Chega a Portugal apenas no início de 2020, mas já tivemos oportunidade de estar ao volante do inédito Peugeot e-208, a versão elétrica do novo utilitário francês.

Recentemente, vimos o Guilherme testar todas as versões do novo Peugeot 208, recomendando a mais equilibrada delas todas. Deixámos o e-208 de fora nessa ocasião, pois considerando a sua importância e diferenças para os outros 208, sem dúvida que merecia uma atenção especial.

No vídeo podes acompanhar o Diogo a bordo do novo Peugeot e-208, onde te dará todos os detalhes que precisas de saber sobre a proposta elétrica da marca francesa:

Quanto custa?

Disponível a partir de 32 150 euros e podendo ir até aos 37 650 euros no exclusivo nível GT, o novo Peugeot e-208 está longe de ser barato — mesmo considerando que, ao contrário dos outros 208, não paga ISV (nem IUC).

VÊ TAMBÉM: Já abriram as encomendas do Peugeot e-208 em Portugal. Vê quanto custa

É o custo da tecnologia elétrica; simplesmente não há forma de contorná-la, pelo menos por agora. O preço está em linha com o dos rivais, como o líder Renault Zoe — também alvo de uma profunda renovação.

O primo Opel Corsa-e — mesma plataforma e bateria, mas autonomia ligeiramente inferior — estará disponível por um valor abaixo da barreira dos 30 mil euros na sua versão de entrada.

Peugeot e-208 GT, 2019

Os números

O novo Peugeot e-208 é anunciado com 340 km de autonomia máxima (WLTP) e consegue carregamentos rápidos até 100 kW, não sendo preciso mais que meia hora para “encher” 80% da capacidade total da bateria. E por agora, na compra de um e-208, a Peugeot oferece uma Wallbox de 7,4 kW (800 euros) sem instalação.

É, também, o 208 que melhor acelera — 8,1s dos 0 aos 100 km/h —, sendo também o mais potente, ao ter 136 cv (e 260 Nm). É, igualmente, o mais pesado dos 208, e por larga margem — culpem as baterias (50 kWh) que adicionam 350 kg de lastro.

São praticamente 1500 kg, um valor manifestamente exagerado para um segmento B — é mais pesado que a maioria dos hot hatch do segmento acima, para se ter uma ideia.

Obviamente que toda esta massa afeta a sua dinâmica, e apesar dos reforços, como uma barra Panhard no eixo traseiro, o e-208 dinamicamente não está a par dos seus irmãos com motor de combustão. Por outro lado, é o mais agradável de conduzir, consequência do silêncio típico dos veículos elétricos.

Peugeot e-208 GT, 2019

Por fim, o novo Peugeot e-208 assenta sobre a mesma plataforma CMP multi-energias dos restantes 208 — estreada com o DS 3 Crossback —, com o conjunto de baterias a ser disposta em “H” no chão do plataforma sem afetar a capacidade da bagageira, que mantém os suficientes, mas não referenciais, 311 l dos restantes 208.

Será este o modelo que te vai converter aos elétricos?

Mais artigos em Testes

Os mais vistos