Salão de Frankfurt 2019

Audi AI:TRAIL quattro. Será este o SUV do futuro?

O Salão de Frankfurt foi o palco escolhido pela Audi para revelar o AI:TRAIL quattro, um protótipo com o qual a marca antecipa o futuro dos todo o terreno.

No mesmo palco onde deu a conhecer, por exemplo, o RS7 Sportback, a Audi deu também a conhecer a sua visão acerca do futuro dos todo o terreno: o AI:TRAIL quattro.

Quarto membro de uma “família de protótipos destinados a antever a mobilidade do futuro (e da qual fazem parte os protótipos Aicon, AI:ME e AI:RACE), não há dúvidas de que o AI:TRAIL quattro é o mais radical deles todos.

Apesar de ter um comprimento próximo ao do Q2 (mede 4,15 m) o AI:TRAIL quattro mede 2,15 m de largura (bem mais do que os 1,97 m apresentados pelo bem maior Q7). Ainda no exterior, destaque para as enormes jantes de 22”, a ausência de pára-choques, a elevada altura ao solo (34 cm) e a ampla superfície vidrada que dão a este protótipo ares de… helicóptero.

ESPECIAL: Todas as novidades do Salão de Frankfurt 2019 estão aqui

Motores, motores em todo o lado

A dar vida ao AI:TRAIL quattro encontramos não um, não dois, mas quatro motores elétricos, sendo que cada um deles transmite potência a apenas uma roda assegurando assim que o protótipo da Audi conta com tração integral e permitindo abdicar dos tradicionais diferenciais e respetivos bloqueios.

Apesar de contar com uma potência máxima combinada de 350 kW (476 cv) e um binário de 1000 Nm, o AI:TRAIL quattro tem uma velocidade máxima de apenas 130 km/h. Isto porque o seu principal objetivo não é a performance em estrada, mas sim fora dela e para isso é preciso conservar a carga das baterias e aumentar a autonomia.

No futuro, deixaremos de possuir [um carro] e iremos apenas aceder a um carro

Marc Lichte, Chefe de Design da Audi
Audi AI:TRAIL quattro
Parece uma cadeira para crianças mas não é. Na realidade trata-se de um dos bancos traseiros do AI:TRAIL quattro.

Por falar em autonomia, de acordo com a Audi, em asfalto ou situações de todo o terreno ligeiro, o AI:TRAIL quattro é capaz de percorrer entre 400 e 500 km entre carregamentos. Já em situações de todo o terreno mais exigente a autonomia fica-se pelos 250 km, sendo que todos estes valores estão já de acordo com o ciclo WLTP.

VÊ TAMBÉM: “Ver” para lá das curvas? É possível, com o sistema I2V da Nissan

Tecnologia não lhe falta

Como é óbvio, tratando-se de um protótipo se há coisa que não falta ao AI:TRAIL quattro é tecnologia. Para começar, o protótipo da Audi é capaz de condução de autónoma de nível 4 em asfalto (em todo o terreno o condutor assume o controlo, isto apesar de o AI:TRAIL quattro ser capaz de condução autónoma de nível 3 em alguns estradões de terra).

VÊ TAMBÉM: Testámos o Mazda CX-3 SKYACTIV-D. O Diesel faz mesmo falta?

Para além disto, o AI:TRAIL quattro conta ainda com drones no tejadilho dotados de luzes que podem ser lançados por forma a que iluminem o caminho em condução fora de estrada (os Audi Light Pathfinders).

Audi AI:TRAIL quattro.
Os “Audi Light Pathfinders” são drones que se encaixam no tejadilho e servem de máximos auxiliares.

Esta aposta tecnológica confirma-se no interior onde a regra foi simplificar ao máximo chegando ao ponto de o típico display que surge em frente ao condutor ser… o seu smartphone (sem o qual nem é possível utilizar AI:TRAIL quattro). Ainda no interior, destaque para os bancos traseiros que podem ser retirados de dentro do protótipo da Audi.

Sabes responder a esta?
Em que ano foi apresentado o Audi A2?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Lembras-te deste? Audi A2, à frente do tempo

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos