Ao volante

Lexus UX 250h. Qual é o nosso veredito?

O Lexus UX é a esperança da marca japonesa no que a crossovers compactos diz respeito. Será que começam com o pé direito? Foi isso que fui descobrir a Barcelona.

Em Barcelona, Espanha

O Lexus UX é o primeiro crossover compacto da marca, uma proposta para um segmento altamente competitivo e onde o espaço para falhas é cada vez mais curto. É também uma oportunidade para a Lexus conquistar novos clientes na Europa, o que coloca ainda mais pressão neste modelo.

A única versão disponível para Portugal é a 250h, bem diferente daquela que o Guilherme testou há alguns meses em Los Angeles ainda antes do Lexus UX chegar à Europa. É que no velho continente a aposta segue pela via dos híbridos, algo a que já estamos habituados.

Ainda que seja altamente subjetivo, considero o aspeto exterior do Lexus UX bem conseguido. A Lexus assumiu, nos últimos anos, uma tendência de estilo algo exagerada, mas este UX acaba por ficar bem na estrada.

RELACIONADO: Lexus UX já chegou a Portugal. Quanto custa?

Comparado com outros concorrentes, é o mais parecido com um familiar convencional, já que o facto de ser baixo anula o efeito crossover típico deste modelos. É pouco mais alto do que um Volkswagen Golf e bem mais baixo do que um Volvo XC40 ou até do que o BMW X2.

A traseira é motivo de orgulho para os responsáveis de design. Uma faixa de luz com 130 LED’s percorre toda a secção traseira e os japoneses da Lexus dizem que o efeito que provoca faz lembrar o “amanhecer”. Rebuscado? Talvez, mas fica-lhe bem.

Argumentos dinâmicos

As credenciais dinâmicas nunca foram o ponto mais forte dos Lexus, mas nos últimos anos esta foi uma das prioridades. Daí a carroçaria mais baixa do que seria de esperar. É que se por um lado limita a versatilidade nas (muito) raras incursões fora de estrada deste tipo de carros, por outro ajuda a melhorar substancialmente os atributos dinâmicos.

Como tal, o Lexus UX 250h conta com um centro de gravidade baixo o suficiente (594 mm) e técnicas de montagem específicas (tem 23 m de adesivos estruturais colocados com o objetivo de reforçar a rigidez) para almejar uma experiência de condução envolvente.

Lexus UX 250h

Para ajudar a baixar o peso fez uma dieta à base alumínio, com as portas e capô a recorrem a este material. O peso final? 1615 kg (EU), o que para um crossover híbrido compacto premium é aceitável.

À frente temos um esquema de suspensão Macpherson e multilink atrás. Para reforçar o potencial dinâmico do Lexus UX, está disponível amortecimento variável consoante o modo de condução escolhido. Um opcional que infelizmente não tive oportunidade de experimentar neste primeiro contacto — as versões Luxury e F Sport do Lexus UX têm suspensões pilotadas de série.

Lexus UX 250h

A verdade é que volvidas algumas centenas de quilómetros ao volante do Lexus UX 250h, com suspensões de série, a experiência foi positiva no que à parte dinâmica diz respeito. Ao nível da visibilidade também não há nada a apontar. Já o conforto merece nota alta: os bancos do Lexus UX são excelentes, algo a que a marca japonesa nos tem habituado.

A versão híbrida 250h do Lexus UX tem 184 cv, ainda que estejam bem filtrados. Talvez aqui a CVT não ajude, mas ao contrário do que acontece noutras propostas híbridas, pelo menos no Lexus UX 250h revelou-se uma agradável surpresa.

Info-entretenimento, o calcanhar de Aquiles

A montagem do interior continua a ser uma referência, mas comparando com os seus rivais premium, longe vai o tempo em que as diferenças eram tão assinaláveis. É bom, mas a Volvo, Audi, BMW e companhia também estão ao mesmo nível.

Lexus UX 250h

O que não está ao mesmo nível dos concorrentes é o sistema de info-entretenimento, que continua a ser o Calcanhar de Aquiles de todas as marcas japonesas e na Lexus, não é excepção. Aqui tantos os alemães, como os suecos, fazem melhor.

Para além de pouco intuitivo, o trackpad utilizado para operar o sistema não é uma ajuda brilhante e requer bastante habituação.

Os atalhos rápidos para o sistema de mídia na central de comando, localizada ao lado do trackpad, foram uma surpresa. São difíceis de utilizar? Nem por isso. Mas uma roda para aumentar ou diminuir o volume do rádio como aquela que tinha no meu leitor de cassetes portátil, era algo que pensava não voltar a ver… confesso que senti alguma nostalgia.

Lexus UX 250H

Questionei o responsável da marca sobre os futuros sistemas de info-entretenimento e se tendo em conta a importância da digitalização dos habitáculos e até da condução, se iriam apresentar soluções que apostassem mais na experiência de utilização. A resposta foi “vamos tentar trazer sempre o melhor para os utilizadores”.

Já o sistema de som opcional da Mark Levinson é soberbo. Se dás valor a este campo, então tens aqui uma solução que rivaliza com o sistema da Bowers and Wilkins dos Volvo, estando ao nível daquilo que melhor se faz na indústria.

Subscreve o nosso canal de Youtube.

Preços

Com preços a começar nos 42 500 euros em Portugal, o Lexus UX 250h é uma proposta diferente das outras. Desde logo porque recorre a uma solução híbrida, o que é pouco comum no segmento, já que os seus concorrentes continuam a apostar em soluções tradicionais com motores térmicos e timidamente em propostas 100% elétricas.

A Lexus entra com o pé direito no segmento dos crossover compactos, resta saber se isso se vai reflectir nas vendas. Vamos esperar para ver.

Primeiras impressões

7 / 10
O Lexus UX tem boa montagem, interior premium e apresenta uma solução híbrida pouco comum no segmento. A dificuldade em utilizar o sistema de infoentretenimento começa a ser apanágio dos Lexus, é algo que tem de mudar nos próximos modelos da marca.

  • Qualidade geral

  • Feeling premium

  • Sistema híbrido

  • Sistema de infoentretenimento

  • Alguns materiais

Preço

42.500

Data de comercialização: Abril 2019


Mais artigos em Testes, Primeiro Contacto

Os mais vistos