Fórmula 1

Em Baku, ganhas tu outra vez, Mercedes? O que esperar do GP do Azerbaijão

Na quarta prova do ano, o "circo" da Fórmula 1 viaja até ao Azerbaijão e ao sempre exigente circuito citadino de Baku. O que esperar deste Grande Prémio?

Com três provas disputadas até agora, a palavra de ordem desta edição do campeonato do mundo de Fórmula 1 tem sido só uma: hegemonia. É que em três provas, contaram-se três vitórias da Mercedes (duas para Hamilton e uma para Bottas) sendo que em todas as provas a equipa alemã conseguiu ocupar os dois primeiros lugares do pódio.

Face a estes números e ao bom momento de forma demonstrado pela Mercedes, a dúvida que se coloca é: será a Mercedes capaz de alcançar a quarta dobradinha seguida e tornar-se na primeira equipa da história da Fórmula 1 a alcançar os primeiro e segundo lugares nas primeiras quatro provas do ano?

A principal equipa capaz de combater a hegemonia dos flechas prateadas é a Ferrari, mas a verdade é que o carro da marca do Cavallino Rampante tem ficado aquém do esperado e a essa questão juntam-se as polémicas ordens de equipa que parecem continuar a favorecer Vettel face a Leclerc o que acabou por custar o quarto lugar na China ao jovem piloto monegasco.

VÊ TAMBÉM: Os truques que as marcas usam para bater recordes no Nürburgring
Lewis Hamilton Baku 2018
O ano passado o Grande Prémio do Azerbaijão terminou desta forma. Será que este ano vai ser igual?

O circuito de Baku

Primeira prova disputada em solo europeu (sim, o Azerbaijão faz parte da Europa…), o GP do Azerbaijão decorre no sempre exigente circuito urbano de Baku, uma pista pródiga em escaramuças e acidentes que viu no ano passado os pilotos da Red Bull Max Verstappen e Daniel Ricciardo chocarem um com o outro ou Bottas perder a vitória devido a um furo.

Inserido no campeonato do Fórmula 1 apenas em 2016, o circuito de Baku estende-se ao longo de 6,003 km (é o mais longo circuito urbano do campeonato), apresentando 20 curvas e o troço mais estreito, com apenas sete metros de largura entre as entre as curvas 9 e 10 e uma largura média entre as curvas 7 e 12 de apenas de 7,2 m.

VÊ TAMBÉM: Contámos mais de 20 botões num volante de um Fórmula 1. Para que servem?

Curiosamente, nunca nenhum piloto venceu por duas vezes este Grande Prémio, sendo que da atual grelha de partida, apenas Lewis Hamilton e Daniel Ricciardo ali ganharam. Quanto às equipas, o melhor registo em Baku é da Mercedes, que venceu a prova nos dois últimos anos.

O que esperar?

Para além da “batalha” entre a Mercedes e a Ferrari (que até atualizou o SF90), a Red Bull espreita uma oportunidade de se intrometer entre as duas, anunciando até uma atualização do motor Honda para o GP do Azerbaijão.

Mais atrás, serão várias as equipas que vão tentar aproveitar os usuais incidentes de corrida (muito usuais em Baku) para se chegar à frente. Entre estas destaque para a Renault, que viu Ricciardo finalmente terminar uma prova na China (e em 7º) ou a McLaren, que espera aproximar-se dos lugares da frente.

Os treinos livres já começaram e a verdade é que, até agora, têm ficado marcados por… incidentes, com George Russel da Williams a embater numa tampa de esgoto e a obrigar à limpeza da pista. Como um azar nunca bem só, a grua do reboque que levava o monolugar de regresso às boxes embateu por baixo de uma ponte. O embate provocou uma ruptura na grua, fazendo com que perdesse óleo, que escorreu… estão a adivinhar… exatamente por cima do monolugar da Williams! Vejam o vídeo:

Quanto ao Grande Prémio do Azerbaijão, esse tem arranque marcado para 13h05 (hora de portugal continental) de domingo.

Sabes responder a esta?
Em que ano é que a Porsche venceu pela primeira vez o Dakar?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

12 carros que ninguém esperava ver no Rali Dakar

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos