Antevisão

Não às cópias chinesas. Novo Land Rover Defender, só na versão de produção

Aguardado como concept, a Land Rover decidiu passar a perna aos chineses e já só vai mostrar o novo Defender, na versão de produção no final de 2018.

Farta de ser copiada por alguns construtores chineses e, ainda para mais, com o 70.º aniversário à porta (mais concretamente, já em 2018), a Land Rover optou por “matar dois coelhos de uma cajadada só”, ao tomar a decisão de não apresentar mais qualquer protótipo do futuro Defender, preferindo mostrar, apenas e só, a versão já de produção, no final de 2018.

A decisão de não dar a conhecer, antecipadamente, qualquer novo estudo do futuro modelo, tem muito a ver com os receios de que as linhas do próximo Defender possam vir a ser plagiadas, como já aconteceu na China — situação que já ocorreu por diversas vezes com vários modelos do fabricante.

Land Rover Defender

Para já conhecido apenas pelo nome de código L663, o futuro Land Rover Defender será assim o protagonista principal das comemorações dos 70 anos da marca britânica, cujas celebrações terão lugar em 2018.

RELACIONADO: Próximo Land Rover Defender vai apelar “à nova geração”

Novo Defender pouco ou nada terá a ver com DC100 Concept

Recorde-se que a Land Rover deu a conhecer, ainda em 2011, um protótipo de nome DC100, que, supostamente, seria um estudo para o novo Defender. No entanto, as reacções negativas, da parte dos aficionados da marca, foram de tal forma, que a marca acabou por abandonar o projeto e regressar aos estiradores.

Sendo que, a contribuir igualmente para o já longo adiamento da apresentação de uma nova geração, veio também a dificuldade do fabricante em conseguir elaborar um modelo de negócio viável, assente nas premissas que devem presidir à elaboração deste verdadeiro todo-o-terreno.

Land Rover Defender DC100
Land Rover Defender DC100, 2011

A Autocar recorda que o modelo chegou ao final da sua carreira com vendas abaixo das 20 mil unidades por ano. Para o carro poder ser financeiramente viável, o novo Defender terá necessariamente de vender, pelo menos, 100 mil unidades por ano. Com o intuito de assegurar as necessárias economias de escala, para uma maior viabilidade financeira do projeto, o futuro modelo recorrerá, previsivelmente, aos componentes do grupo JLR.

VÊ TAMBÉM: Luxo, luxo e mais luxo. Novo Mercedes-Benz Classe G já tem interiores.

Novo Defender com arquitetura e motores Range Rover

Tudo indica que a marca britânica irá utilizar como base uma versão mais resistente da sua arquitetura D7u, já utilizada por modelos como o Range Rover, Range Rover Sport e Land Rover Discovery, na qual deverão ser depois aplicados os mesmos motores, a gasolina e a Diesel, da família Ingenium — que o fabricante já disponibiliza também na Jaguar.

Longe do Defender espartano que conhecemos, o novo prepara-se para ser o Land Rover tecnologicamente mais avançado de sempre. A Land Rover pretende aplicar as mais recentes evoluções tecnológicas baseadas no já conhecido sistema para todo-o-terreno Terrain Response. Também com o intuito de fazer deste novo modelo, a proposta mais capaz da marca, para utilização fora-de-estrada.

Land Rover Defender DC100
Land Rover Defender DC100, 2011

Recorde-se que o futuro Land Rover Defender deverá ser oficialmente apresentado no final de 2018, com as vendas a arrancarem, pouco depois, no início de 2019.

VÊ TAMBÉM: Jeep Wrangler. Nova geração mais leve, mais apta e com versão híbrida

Sabes responder a esta?
Com que potências é que chega o novo SEAT Ibiza 1.6 TDI a Portugal?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

SEAT Ibiza. Recebe motor Diesel e já está à venda em Portugal

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos