Toda a verdade sobre o gasóleo caro e low-cost

23/02/2013
2.284 views
Share Button

Estudo da Deco Proteste tenta desmistificar o uso do gasóleo low-cost.

A Deco Proteste avaliou exaustivamente o gasóleo «normal» e «low-cost» em quatro carros, durante um mês, e comprovou que não existem diferenças nos combustíveis, excepto numa coisa: o preço. Vejam o vídeo feito pela Deco Proteste deixem-nos a vossa opinião no nosso Facebook: clique aqui.

Texto: Guilherme Ferreira da Costa

Diretor Editorial e co-fundador da Razão Automóvel. Tem 29 anos, ama os automóveis mas tem uma paixão secreta: as duas rodas! Praticante de todo-o-terreno, iniciou-se nas lides da condução aos comandos de um Citroen Ax. Não resiste a umas boas curvas, seja no asfalto ou numa folha de papel.

  • quer dizer… agora abastecemos todos com combustivel carissimo e o carto trabalha depois quando metermos do barato o carro avaria…de quem vai ser a culpa logo??? nada disso… nem alves bandeiras e Prios quanto mais gasoleos low cost….

  • Zé Pedro Correia

    Qual é a opinião do Razão automovel a este assunto por vezes tão polemico? 😉

    • Guilherme Costa

      Caro Zé Pedro Correia,

      Até prova em contrário, nada temos contra os combustíveis low-cost.

      Mas falo por mim. Eu próprio sou consumidor de gasóleo low-cost. E como feliz proprietário de uma Volvo V40 com quase 400.000km plenos de saúde nada tenho a apontar.

      Boas curvas,
      Guilherme Costa
      Editor RazãoAutomóvel

      • Eu só reparei agora, mas tenho usado shell e um low cost aqui na holanda, certo dia o meu jeep cpmeçou a esganar na auto-estrada. meses a trocar filtros de gasóleo, verifricar o motor, até que o problema foi descoberto … filtro no depósito entupido … três carros na mesma oficina com o mesmo problema, todos abasteciamos na mesam estação de serviço. Às vezes o gasóleo até pode ser bem entregue, mas como será as instalações que recebem o gasóleo para destribuir ao publico? Pelo que vejo as marcas fazem poços com certos tipos de revestimentos para manter as propriedades do combustivel, o que as Alves Bandeira e outros, apenas fazem um poço de cimento …

  • Guilherme

    o low cost so se diferencia numa coisa em relação ao das bombas, e que, pegando por exemplo na galp (que nao tem refinaria) eles compram gasóleo a um determinado fornecedor, esse fornecedor obtêm o gasóleo de uma refinaria, o fornecedor acumula o gasóleo durante algum tempo, de modo a dar oportunidade ás impurezas do gasóleo sedimentarem (irem ao fundo), ao fim desse tempo, 70% desse gasóleo (tirado do cimo do silo) é vendido á galp (neste exemplo), 29% e vendido ao intermarché e ao jumbo e ao pingo doce e etc… o restante 1% e praticamente so impurezas e "lixo", como tal dispôem desse, como podem ver, o gasóleo e todo exactamente o mesmo, a diferença e que conforme o gasoleo saia da refinaria para o silo, vem a qualidade dos low-costs, regra geral são bons, mas ha sempre a história de horror que de vez em quando se ouve, eu tambem ja ouvi algumas, das piores foi mesmo o bmw 120d da mulher de um amigo que com os seus 19000kms foi abastecer ao pingo doce e partiu os injectores, mas e tipo roleta russa, se o pessoal quer poupar, vai la abastecer, tambem so os carros mais recentes e sensiveis e que encontram problema no gasóleo 🙂

  • Thommy van Esveld

    Isto é uma vergonha, estes testes deveriam de ter ser concretizados antes de ir para a venda ao público e não agora, depois de milhares carros abastecerem com este combustível. Ou seja, o público deveria de ter conhecimento acerca das características do low-cost tal como temos do “normal”.

  • Fernando Moura

    Disseram-me que algumas low cost misturam óleo de fritar usado e filtrado em determinada percentagem,assim podem vender mais barato.
    Claro que os injectores irão sofrer a prazo.