Ensaio Testámos o Peugeot 508 SW Hybrid. Híbrido plug-in é uma boa opção? (vídeo)

Vídeo

Testámos o Peugeot 508 SW Hybrid. Híbrido plug-in é uma boa opção? (vídeo)

Neste vídeo, o Diogo Teixeira testa a Peugeot 508 SW Hybrid para descobrir até que ponto vale a pena apostar na versão de "ligar à corrente".

Peugeot 508 SW Hybrid

A Peugeot 508 SW Hybrid é o primeiro híbrido plug-in da marca francesa e o Diogo Teixeira foi descobrir os seus argumentos em mais um vídeo no nosso canal de YouTube.

Com uma potência combinada de 225 cv, 180 cv do 1.6 PureTech e 110 cv provenientes de um motor elétrico, a 508 SW Hybrid é também a versão mais potente do familiar francês.

A alimentar o motor elétrico encontramos uma bateria com 11,8 kWh de capacidade capaz de oferecer uma autonomia em modo 100% elétrico de 52 km em ciclo WLTP.

No que diz respeito ao carregamento, este demora 7 horas numa tomada doméstica ou 1h45 numa WallBox com 7,4 kW. Já a garantia da bateria é de oito anos ou 160 mil quilómetros.

O que muda?

Face às versões equipadas somente com motorizações térmicas as mudanças são de pormenor, resumindo-se a detalhes estéticos e a alguns menus extra no sistema de infotainment (dedicados ao sistema híbrido plug-in).

Relativamente ao espaço, a instalação do pack de baterias apenas retirou 30 litros de capacidade a bagageira (desceu de 530 para 500 litros).

Quanto às restantes qualidades da Peugeot 508 SW Hybrid, aconselho-te a que vejas o vídeo no qual o Diogo te apresenta esta carrinha francesa em seis pontos essenciais:

  • 00:00 Introdução
  • 03:05 Funcionalidades sistema híbrido
  • 06:34 Preços e equipamento
  • 07:59 Ao volante: prestações e consumos
  • 12:45 Dinâmica
  • 15:25 Notas Finais

Testámos o Peugeot 508 SW Hybrid. Híbrido plug-in é uma boa opção? (vídeo)

Peugeot 508 SW Hybrid GT

Prós

    Contras

      Versão base:€53.305

      IUC: €137

      Classificação Euro NCAP: 5/5

      Preço unidade ensaiada

      • Arquitectura:4 cilindros em linha
      • Capacidade: 1598 cm3 cm³
      • Posição:Dianteira transversal
      • Carregamento: Injeção direta + Turbo + Intercooler
      • Distribuição: 2 a.c.c., 4 válvulas/cilindro
      • Potência:
        Motor combustão: 180 cv às 6000 rpm
        Motor elétrico: 110 cv
        Potência máxima combinada: 225 cv
      • Binário:
        Motor combustão: 300 Nm às 3000 rpm
        Motor elétrico: 320 Nm
        Binário máximo combinado: 360 Nm

      • Tracção: Dianteira
      • Caixa de velocidades:  Automática de oito velocidades

      • Largura: 4778 mm
      • Comprimento: 1859 mm
      • Altura: 1420 mm
      • Distância entre os eixos: 2793 mm
      • Bagageira: 500 litros
      • Peso: 1820 kg

      • Média de consumo: 1,5 l/100 km
      • Emissões CO2: 34 g/km
      • Velocidade máxima: 250 km/h
      • Acelaração máxima: >8,8s

        Tem:

        • Recarga smartphone sem fios
        • Sistema Hi-Fi Premium FOCAL
        • Bancos aquecidos com regulação lombar e inclinação elétrica
        • Jantes de liga leve 18'' Sperone bi-ton diamantadas + Kit Anti-Furo
        • Cabo de carregamento Green up
        • Active Suspension Control
        • Peugeot Full LED Technology
        • Vidros laterais traseiros e óculo traseiro escurecido
        • Volante em couro perfurado com elementos cromados e monograma GT
        • Pack City (inclui sensores de estacionamento dianteiros e câmara traseira)
        • Pack Safety Plus
        • Retrovisores exteriores elétricos fotosensíveis
        • i-Cockpit Amplify
        • Acesso e ligação mãos-livres
      Sabe esta reposta?
      Em que ano foi lançado o Peugeot 406 Coupé?
      Oops, não acertou!

      Pode encontrar a resposta aqui:

      Coupés dos anos 90 (parte 1). Lembras-te de todos eles?