Fiat 500 Abarth "restomod" celebra recordes e 100 anos do Circuito de Monza

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Restomod

Fiat 500 Abarth “restomod” celebra recordes e 100 anos do Circuito de Monza

O 100.º aniversário do Autodromo di Monza e um conjunto de recordes motivaram a realização deste Abarth Classiche 500 Record Monza '58.

O Abarth Classiche 500 Record Monza ’58 foi o «presente» da Stellantis Heritage para celebrar os 100 anos do Autodromo di Monza, a “catedral da velocidade”.

Este pequeno escorpião resulta de um projeto de restomod e tem como ponto de partida um Fiat 500 de 1970… o que nos leva a perguntar o porquê da referência a 1958 na sua designação.

Tem tudo a ver com o primeiro Fiat 500 desenvolvido pela Abarth — e supervisionado pelo próprio Carlo Abarth —, que conseguiu seis recordes de velocidade e de resistência, precisamente no circuito de Monza, em fevereiro de 1958.

LEIAM TAMBÉM: Markku Alén e o Fiat 131 Abarth. Como começar a ganhar o Rally de Portugal em três rodas e marcha-atrás
Abarth Classiche 500 Record Monza '58 com Fiat 500 "Record" original
À esquerda o primeiro Fiat 500 desenvolvido pela Abarth, e à direita o Abarth Classiche 500 Record Monza ’58.

Este modelo praticamente duplicava a potência do Nuova 500 — de 13,5 cv para 26 «fogosos» cavalos —, atingia 118 km/h de velocidade máxima e as unidades recordistas foram conduzidas no circuito de Monza ao longo de 168 horas.

À imagem do original

As modificações visuais e mecânicas operadas ao Fiat 500 foram todas no sentido de o aproximar o mais possível a esse primeiro 500 com assinatura Abarth.

Por fora recebeu um novo tom verde — o mesmo tom usado no mais recente Abarth 695 70° Anniversario —, um tejadilho rígido que tomou o lugar da tela macia do modelo de série e um conjunto de faróis adicionais.

Por dentro os revestimentos em tecido receberam a mesma costura constrastante dos primeiros Fiat 500 (lançados em 1957), além de bancos de competição únicos (uma homenagem ao recorde do 500, versão monolugar para reduzir peso), um painel de instrumentos da Jaeger — que inclui um relógio da marca — e um volante em madeira.

Abarth Classiche 500 Record Monza '58 volante

E o motor?

Fazendo jus ao nome, o Fiat Nuova 500 de 1957 estava equipado com um pequeno bicilíndrico de aproximadamente 500 cm3 que, como referimos, debitava apenas 13,5 cv. Mesmo o modelo de 1970 que serviu de base a este projeto ficava-se por uns mais que modestos 18 cv.

Para dar mais «veneno» ao 500, a Stellantis Heritage recorreu ao Abarth Classiche 595 Tuning Kit, que se inspira na versão desenvolvida pela Abarth em 1963.

Abarth Classiche 500 Record Monza '58 traseira

Apesar disso, não temos os números finais do Abarth Classiche 500 Record Monza ’58, mas queremos acreditar que devam ser equiparáveis aos 26 cv do pequeno escorpião que bateu recordes em 1958.

À venda

O Abarth Classiche 500 Record Monza ’58 foi mostrado ao público no último fim de semana (18-20 de novembro), durante o Milano AutoClassica, em Milão, Itália; um salão de clássicos e desportivos.

emblemas Record Monza e Abarth Classiche

Teve a companhia do Nuova 500 “Record” original, que foi restaurado e que podem ver nas imagens, assim como do Abarth Classiche 1000 SP, uma reinterpretação moderna do Abarth 1000 Sport Prototipo de 1966, baseado no Alfa Romeo 4C — vão ser feitas apenas cinco unidades e apenas uma está disponível para venda.

Abarth Classiche 500 Record Monza '58, Fiat 500 Abarth e Abarth Classiche 1000 SP
Fiat 500 Abarth, Abarth Classiche 500 Record Monza ’58, e ao meio Abarth Classiche 1000 SP

Mais artigos em Notícias