Estão a pedir 85 mil euros por este Lotus Omega. Conseguirá encontrar comprador?

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Venda

Estão a pedir 85 mil euros por este Lotus Omega. Conseguirá encontrar comprador?

O Lotus Omega chegou a ser uma das berlinas mais rápidas do mundo, mas será que vale 85 mil euros como estão a pedir por este exemplar?

Quando o Lotus Omega foi lançado em 1990 — também chamado de Opel Lotus Omega, Lotus Carlton e Vauxhall Lotus Carlton —, as ondas de choque foram grandes.

Afinal, tratava-se de uma berlina de quatro portas capaz de ultrapassar os 280 km/h — 283 km/h oficiais, para sermos precisos —, e acelerava como poucos, só sendo suplantado por praticamente os superdesportivos da época. Mesmo um contemporâneo Ferrari Testarossa teria dificuldade em acompanhá-lo.

A performance desta berlina foi tão disruptiva que chegou a ser tópico de discussão no parlamento britânico.

VEJAM TAMBÉM: Lotus Omega (1990). A berlina que comia BMW’s ao pequeno-almoço

Entre as berlinas de quatro portas só o Alpina B10 Biturbo, com base no BMW Série 5 E34, era capaz de atingir uma velocidade de ponta mais elevada (288 km/h), mas não o acompanhava em aceleração, nem o poderoso BMW M5 (E34), a referência das berlinas desportivas na época, ou o Mercedes-Benz 500 E, com «dedinho» da Porsche.

Apesar da performance e da «publicidade» que teve, o Lotus Omega acabou por não vender o que os seus responsáveis desejavam, muito por «culpa» de uma recessão económica no início dos anos 90 que afetou as vendas deste tipo de propostas de alta performance.

Motor 6 cilindros em linha, 3,6 l, turbo © Premium Classics

A produção terminaria ao fim de dois anos e 950 unidades, transformando o Lotus Omega numa máquina rara e colecionável.

85 mil euros?!

Mas será que é desejável o suficiente para valer 85 mil euros? É quanto estão a pedir por este exemplar de 1991, a unidade n.º 423, que se encontra à venda nos Países Baixos, pela Premium Classics.

O preço pedido é muito mais elevado do que os valores habituais de transação do Lotus Omega, que costumam situar-se na casa dos 40 mil euros, mas há exceções.

Em 2018, um Lotus Carlton, a versão britânica do modelo, foi leiloado por 94 mil euros, mas tratava-se de um exemplar com volante à direita, dos quais foram feitos muito menos exemplares.

A unidade n.º 423 aqui à venda tem volante à esquerda e conta com 95 mil quilómetros e teve apenas dois donos, ambos suíços.

Para mais, recebeu um motor completamente novo aos 65 mil quilómetros. De resto, o estado de conservação deste Lotus Omega parece ser excelente, mesmo o interior em pele e vem acompanhado de toda a documentação.

placa identificativa com n.º 423 © Premium Classics

A Premium Classics pede exatamente 84 950 euros. Conseguirá encontrar comprador e transformar este Lotus Omega num dos mais caros de sempre?

Mais artigos em Notícias