#301 à venda

O Alpina B10 BiTurbo foi o quatro portas mais rápido do mundo… em 1991

Se és um fã do BMW E34, vais gostar do Alpina B10 BiTurbo. Demorou dois anos a ser desenvolvido, custou imenso dinheiro, mas resultou na berlina de quatro portas mais rápida do mundo.

Pequeno construtor automóvel alemão, que concebe e monta versões muito próprias de modelos BMW, a Alpina está na origem daquilo que os nossos companheiros da Road&Track consideraram, em 1991, “a melhor berlina quatro portas do mundo”, após o teste, referindo-se ao Alpina B10 BiTurbo.

Proposta apresentada, pela primeira vez, no Salão Automóvel de Genebra de 1989, o Alpina B10 BiTurbo teve por base o BMW 535i (E34), embora custasse praticamente o dobro do BMW M5 da altura. Resultado não somente das apenas 507 unidades fabricadas, mas principalmente das alterações operadas, face ao modelo original.

Seis cilindros em linha… especial

Embora mantendo o mesmo bloco M30 de seis cilindros em linha e 3,4 l, o B10 anunciava muito mais potência — 360 cv contra 211 cv – e binário — 520 Nm contra 305 Nm  —, graças, como já devem ter adivinhado pelo nome, aos dois turbos adicionados — no E34 este motor era naturalmente aspirado.

RELACIONADO: TOP 15. Os melhores motores alemães de todos os tempos
Alpina B10 BiTurbo 1989
Com 360 cv e 520 Nm de binário, o Alpina B10 BiTurbo foi “eleito”, pela redação da R&T, “a melhor berlina de quatro portas do mundo”… Isto, em 1991!

O trabalho efetuado no motor foi profundo. Além dos dois turbocompressores Garret T25 que dão origem ao nome, o M30 recebeu novos pistões forjados, novas árvores de cames e válvulas, válvulas wastegate controladas eletronicamente, um “senhor” intercooler, e um novo sistema de escape em aço inoxidável. Como pormenor curioso, a pressão do turbo podia ser ajustada a partir do interior do habitáculo.

A transmissão estava a cargo de uma caixa manual Getrag de cinco velocidades, equipada com disco de embraiagem de alta fricção, além de um diferencial autoblocante a 25% — o mesmo do M5 — e um eixo traseiro reforçado.

Já ao nível do chassis, para lidar com o muito mais possante motor, recebeu novos amortecedores — Bilstein à frente e itens hidraúlicos auto-nivelantes atrás da Fichtel & Sachs —, molas de concepção própria e novas barras estabilizadoras. Além de um sistema de travagem e pneus majorados relativamente ao 535i regular.

O quatro portas mais rápido do mundo

Resultado de tanto poderio, o Alpina B10 BiTurbo não só suplantava em prestações o BMW M5 contemporâneo, como ao não estar limitado aos 250 km/h típicos dos  construtores alemães, conseguia atingir os 290 km/h — a Road & Track atingiu 288 km/h em teste —, tornando-o num dos carros mais rápidos do mundo, sendo, efetivamente, a berlina de quatro portas mais rápida do planeta.

A sua velocidade máxima era equivalente à dos superdesportivos da época; os 290 km/h anunciados colocavam-no ao nível de máquinas como o contemporâneo Ferrari Testarossa.

Importado do Japão

Ainda hoje uma verdadeira jóia rara entre as berlinas desportivas de quatro portas, o Alpina B10 BiTurbo que podes ver nas imagens, é a unidade número 301 de um total de 507 construídas. Tendo sido importada do Japão, para os Estados Unidos, em 2016.

RELACIONADO: Alpina XD3. O X3 que tem um motor Diesel com quatro turbos

À venda do outro lado do Atlântico, mais concretamente, em New Jersey, nos EUA, este B10, possui amortecedores e turbos reconstruídos, assim como todos os manuais, recibos e etiquetas identificativas. O odómetro tem pouco mais de 125 500 km e está à venda, via Hemmings, por 67 507 dólares, ou seja, 59 mil euros certinhos, à taxa de hoje.

Caro? Talvez, mas máquinas iguais a esta, não aparecem todos os dias…

Sabes responder a esta?
Qual a potência anunciada pelo bloco Ford EcoBlue 2.0 Diesel da Ford Ranger Raptor?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Ford Ranger Raptor. Uma Pick-up americana em versão europeia

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos