SEAT Arona FR testado. Ainda competitivo e divertido de conduzir?

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Desde 25 693 euros

SEAT Arona FR testado. Ainda competitivo e divertido de conduzir?

Conduzimos o renovado SEAT Arona na versão FR e com o motor 1.0 TSI de 110 cv. A renovação mais recente foi suficiente para o manter atual?

Depois de o termos testado na versão Xperience, chegou a vez de colocar o renovado SEAT Arona à prova com a linha mais desportiva da gama, a FR.

E esta comparação não podia fazer mais sentido. É que entre estes dois ensaios até o motor 1.0 TSI com 110 cv é o mesmo. Além de ser um FR, a única diferença está mesmo relacionada com a transmissão: o Xperience testado pelo João Tomé tinha uma caixa DSG de sete velocidades; o «meu» FR tinha uma caixa manual de seis relações.

E porque as versões FR têm sempre outra responsabilidade em termos dinâmicos, encaminhemos o teste nessa direção.

A NÃO PERDER: Testámos o renovado SEAT Arona 2022. Tudo o que mudou no SUV espanhol
SEAT Arona traseira
O nível de equipamento FR é o mais desportivo da gama do Arona. © Duarte Lapa / Razão Automóvel

Dinâmica apurada

O SEAT Arona não é o modelo mais divertido de conduzir do segmento. Esse título pertence, na minha opinião, ao Ford Puma, mas o Arona anda lá bastante perto. E isso fica evidente na versão FR.

Com uma posição de condução mais baixa do que grande parte da concorrência, pneus de baixo perfil e uma direção muito direta e precisa, o Arona é interativo q.b. e não desilude quando chega às curvas.

SEAT Arona
Na dianteira, destaque para o posicionamento das luzes de nevoeiro, que acaba por ser a grande novidade estética deste restyling.

O chassis é bom — sempre foi… — e ajuda a explicar o excelente comportamento do Arona, que ainda assim consegue um excelente compromisso entre conforto e dinâmica, não enveredando por um acerto demasiado seco.

Por isso mesmo, quando baixamos o ritmo, a agilidade e a «genica» dão lugar à previsibilidade e à estabilidade, com este Arona a mostrar-se uma proposta segura e muito equilibrada.

SEAT Arona interior
O interior foi totalmente redesenhado e surge em bom nível. Destaque para as molduras iluminadas das condutas de ventilação. © Duarte Lapa / Razão Automóvel

Mas há um senão…

Os pneus de baixo perfil e a afinação mais firme da suspensão, que fazem maravilhas pelo comportamento dinâmico deste B-SUV, cobram fatura nos pisos em pior estado.

LEIAM TAMBÉM: Já testámos a SEAT MÓ 125. Custo por 100 km mais barato que um café

Não tanto ao nível dos ressaltos, mas mais no que ao ruído de rolamento diz respeito, que é mais intenso. E aqui importa também falar do ruído do motor, que nem sempre é o mais agradável.

SEAT Arona caixa
A unidade testada estava equipada com uma caixa manual de seis velocidades que, apesar de ser agradável, obriga a algum “trabalho”. © Duarte Lapa / Razão Automóvel

É preciso mais motor?

No mais recente restyling, este motor 1.0 TSI do Arona perdeu 5 cv, fixando-se agora nos 110 cv. Mas nem por isso acho que faça falta mais motor.

Os 200 Nm estão sempre disponíveis e permitem-nos adotar ritmos altos nas estradas que convidem a isso e fazer ultrapassagens sem qualquer tipo de hesitação.

E isso é válido mesmo para quando levamos carga na bagageira e passageiros no banco traseiro. A esse nível, este Arona surpreendeu-me bastante.

Mas (há quase sempre um mas…) se tudo isto é verdade, também é necessário dizer que este binómio motor/caixa obriga a alguma ginástica de maneira a conseguirmos sempre tirar o máximo proveito dos números que ele nos tem para dar.

Não esperem conseguir «atacar» subidas mais acentuadas sem colocar «uma abaixo». E é melhor deixarem o modo “Eco” para a autoestrada, por exemplo.

E os consumos?

Quanto aos consumos, no final de uma semana ao volante deste SEAT Arona o computador de bordo marcava 6,6 l/100 km de consumo médio, um registo interessante tendo em conta o vasto número de cenários que enfrentei.

A NÃO PERDER: Já conduzimos o SEAT Ibiza 2021 (vídeo). O que mudou e quanto custa

Fiz muitos quilómetros em autoestrada, enfrentei o para-arranca da cidade e ainda tive tempo para espremer este motor e este chassis numa estrada com um muito convidativo encadeado de curvas.

E aqui, um destaque merecido para as prestações em autoestrada, onde a velocidades moderadas consegui fazer consumos em torno dos 5 l/100 km.

Descubra o seu próximo automóvel:

É o carro certo para si?

Não é, nem de perto nem de longe, um dos modelos mais espaçosos do segmento. E apesar da estética ter sido retocada continua algo distante de outras propostas mais recentes, que têm um aspeto mais moderno. Mas nada disto apaga aquilo que de bom este Arona tem. E são muitas coisas.

SEAT Arona jantes
Estas jantes opcionais de 18” têm um desenho específico das versões FR, bastante mais desportivo. © Duarte Lapa / Razão Automóvel

Tem uma direção comunicativa, é ágil e tem um chassis muito competente, atributos que o colocam entre os B-SUV mais divertidos de conduzir da atualidade.

A isso ainda soma consumos comedidos, uma aptidão natural para andar em cidade (até por culpa das suas dimensões compactas), um bom leque de ajudas à condução e, por fim, uma boa oferta tecnológica.

Preço

unidade ensaiada

32.091

Versão base: €25.693

IUC: €103

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 3 cilindros em linha
    • Capacidade: 999 cm3
    • Posição: Dianteira transversal
    • Carregamento: Injeção direta + Turbo + Intercooler
    • Distribuição: 2 a.c.c./ 4 válv. por cilindro
    • Potência: 110 cv às 5000 rpm
    • Binário: 200 Nm entre as 2000 e as 3000 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Manual de 6 velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4138 mm / 1780 mm / 1552 mm
    • Distância entre os eixos: 2566 mm
    • Bagageira: 400-1280 l
    • Jantes / Pneus: 205/55 R17
    • Peso: 1193 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 5,2 l/100 km
    • Emissões de CO2: 120 g/km
    • Vel. máxima: 190 km/h
    • Aceleração: 10,3s
  • Equipamento
    • Volante multifunções em pele
    • Espelhos retrovisores com regulação elétrica, aquecidos e com recolhimento elétrico
    • Espelhos retrovisores na cor da carroçaria
    • Limpa para-brisas traseiro com função intermitente
    • Sensor de luz e de chuva
    • Duplo piso da mala
    • Assistente de Faixa de Rodagem
    • Cruise control com limitador de velocidade
    • Sistema Hill hold
    • Sensores de estacionamento traseiros
    • Câmara multifunções
    • Perfil de Condução SEAT
    • Função ECO
    • Climatronic
    • 2 entradas USB tipo C
    • Sistema de Infotenimento: Radio 2 (MIB3) 8,25"
    • Sistema de som com 6 altifalantes
    • Jantes de Liga Leve 17"
    • Ativação automatica das luzes e função coming home
    • Faróis dianteiros Eco LED
    • Diferencial autoblocante eletronico
    • Front Assist com travagem de emergência em cidade, sem cruise control adaptativo
    • ISOFIX + Top Tether com pontos de ancoragem nos bancos laterais traseiros (1+1)
    • Protecção pro-activa e extensivel a peões e ciclistas
    • Sistema de reconhecimento de cansaço
    • Bancos dianteiros FR reguláveis em altura
    • Vidros traseiros escurecidos
    • Para-choques pintados na cor da carroçaria com molduras cromadas
    • Aplicações em aluminio nos vidros laterais
    • Pintura do Tejadilho
    • Barras de tejadilho cromadas
Extras
Pintura Metalizada (Cinzento Magnetic) — 588 €; Faróis SEAT Full LED — 648 €; Câmera de Visão Traseira + Park Assist — 595 €; Pacote Arrumação — 271 €; Connectivity Box — 57 €; Pacote XL Condução & Segurança para Media Sistema Navegação 9,2'' — 423 €; Quadro de instrumentos Digital SEAT — 334 €; Roda Suplente reduzida 18'' — 109 €; Saídas de ar iluminadas — 57 €; Sistema Keyless sem função SAFE — 292 €; Jantes de liga leve 18'' Performance — 486 €; Faróis de Nevoeiro dianteiros c/ função cornering — 109 €; Sistema de navegação 9,2'' — 1102 €.
Avaliação
7 / 10
Não é referência em termos de espaço e a imagem exterior começa a acusar alguma idade. Mas esta atualização deu-lhe novos argumentos tecnológicos, mais sistemas de segurança e um interior melhor organizado. A somar a isso, mantém-se como uma das propostas mais divertidas de conduzir do segmento e com esta motorização/caixa ainda nos brinda com bons consumos. Os anos podem ter passado, mas continua a ser uma opção a ter em conta.
  • Comportamento dinâmico
  • Direção rápida e precisa
  • Consumos
  • Espaço no interior
  • Isolamento acústico
Sabe responder a esta?
Em que ano o SEAT Leon venceu pela primeira vez o troféu Carro do Ano em Portugal?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

SEAT Leon. Vencedor do troféu Carro do Ano 2001 em Portugal

Mais artigos em Testes, Ensaio