Quadrifoglio. Como é que se tornou no símbolo dos Alfa Romeo mais desportivos?

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Logótipos

Quadrifoglio. Como é que se tornou no símbolo dos Alfa Romeo mais desportivos?

É um dos símbolos mais conhecidos da Alfa Romeo desportivos, mas sabiam que o "quadrifoglio" nasceu da superstição de um piloto?

Com a Alfa Romeo a comemorar mais um aniversário, relembramos um dos seus símbolos mais reconhecidos que tem marcado presença em alguns dos seus modelos mais desejados: o famoso quadrifoglio.

Nada mais que um trevo de quatro folhas este símbolo, que mais recentemente «emprestou» o seu nome às versões mais desportivas dos Alfa Romeo, vê a sua história cruzar-se com a da marca italiana há quase um século.

Finda a Primeira Guerra Mundial em 1918, a Alfa Romeo regressa algum tempo depois à competição e forma a sua primeira equipa oficial, contando com quatro talentosos pilotos nas suas fileiras: Antonio Ascari, Enzo Ferrari — sim, esse Enzo Ferrari — Giulio Masetti e Ugo Sivocci.

VEJAM TAMBÉM: As máquinas com motores Ferrari que não são Ferrari
Alfa Romeo RL Targa Florio
O Alfa Romeo RL Targa Florio de 1923 foi o primeiro carro a ostentar o “quadrifoglio” hoje usado pelos Alfa Romeo mais desportivos.

Enquanto equipa a casa italiana parecia imparável, mas no capítulo individual Ugo Sivocci ambicionava melhores resultados depois de ter deixado para trás as provas de motociclismo.

E se havia prova que Sivocci ambicionava ganhar mais que qualquer outra, era a Targa Florio, a mais prestigiada na altura.

Targa Florio
A Targa Florio corria-se nas estradas públicas da ilha italiana da Sicília e é considerada o evento desportivo automóvel mais antigo de todos. A primeira edição aconteceu em 1906 e a Alfa Romeo teve a sua primeira participação em 1911, um ano após a sua fundação.

Uma questão de sorte

Ugo Sivocci já tinha conseguido alguns segundos e terceiros lugares, mas a vitória na Targa Florio escapava-lhe. Na edição de 1922, por exemplo foi apenas nono classificado.

Sabendo que tinha o carro mais rápido e que talento não lhe faltava, o supersticioso piloto italiano, logicamente, concluiu que só lhe faltava alguma sorte.

Foi aí que decidiu adotar um «amuleto», tal como haviam feito os pilotos de aviões durante a guerra, a tradição que também está na origem do Cavallino Rampante da Ferrari.

Dada a superstição de Sivocci, não é de estranhar que o símbolo escolhido tenha sido um trevo de quatro folhas de cor verde — quadrifoglio em italiano — inserido num diamante branco. Os trevos de quatro folhas são bem mais raros que os de três, e por isso, encontrar um, desde há muito, é considerado um sinal de boa sorte.

Assim, na Targa Florio de 1923, que aconteceu a 15 de abril, Sivocci não arriscou e pintou o novo «amuleto» na lateral do seu Alfa Romeo RL Targa Florio — para mais, o seu carro tinha o n.º 13.

Ugo Sivocci
Ugo Sivocci entrou para a Alfa Romeo em 1920, o mesmo ano em que esta foto foi tirada e onde já ostenta a camisola da marca.

A Targa Florio era uma prova dura, correndo-se nas montanhas da ilha italiana e eram muitas as estradas que não eram asfaltadas. E, claro, os carros eram bem mais lentos há 100 anos.

Ao final de sete horas e 18 minutos — velocidade média de 59 km/h —, Ugo Sivocci sagra-se vencedor da Targa Florio de 1923. O quadrifoglio parece ter surtido efeito.

Alfa Romeo RL Targa Florio 1923
Ugo Sivocci, durante a Targa Florio de 1923.

Sivocci não só conquista a sua primeira vitória na Targa Florio, como dá à Alfa Romeo a sua primeira vitória na importante prova.

Infelizmente a sua sorte não durou muito. Nesse mesmo ano, a 8 de setembro, morreu num acidente durante as sessões de treinos para o Grande Prémio de Monza aos comandos de um Alfa Romeo P1 — superstição ou não, a verdade é que o carro que pilotava não tinha o quadrifoglio pintado.

A justa homenagem

Depois da morte de Ugo Sivocci a Alfa Romeo decidiu homenagear o piloto passando a pintar em todos os seus carros de competição o quadrifoglio.

Mas fê-lo com uma pequena diferença. No carro de Sivocci, o trevo de quatro folhas de cor verde tinha como fundo um diamante branco, mas a Alfa Romeo passou a inserir o quadrifoglio num triângulo. A perda de um vértice do diamante representava a perda de um dos quatro pilotos da equipa Alfa Romeo.

Alfa Romeo RL
Tal como o reconhecemos: o trevo de quatro folhas inserido num triângulo branco.

O quadrifoglio, com o passar dos anos, deixou de ser exclusivo dos carros de competição e passou a ser ostentado igualmente pelos modelos mais desportivos de estrada da Alfa Romeo.

Entre eles temos os relativamente recentes Giulia Quadrifoglio e Stelvio Quadrifoglio, máquinas fenomenais que já passaram pela garagem da Razão Automóvel.

Sabe responder a esta?
Qual era a cilindrada do Alfa Romeo 147 GTA?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Hot Hatch com 6 cilindros. A receita mais apaixonante?

Mais artigos em Clássicos