Bugatti tem um novo banco de potência e Chiron Super Sport já o estreou

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Hipercarros

Bugatti tem um novo banco de potência e Chiron Super Sport já o estreou

Projetado para supercarros, o novo banco de potência da Bugatti já foi usado para pôr à prova o Chiron Super Sport.

Depois de já termos visto um Chiron a ir ao banco de potência, foi agora a vez do Bugatti Chiron Super Sport ser posto à prova.

Só que desta vez fê-lo «em casa», num novo dinamómetro da Bugatti especialmente pensado para testar os seus hipercarros.

Desenvolvido pela Bugatti, este banco de potência permite testar carros até aos 480 km/h, um valor impressionante, mas não muito longe dos alcançados pelos modelos da marca — o Chiron Super Sport atinge (limitados) 440 km/h.

A NÃO PERDER: Bugatti Centodieci. Quanto tempo para fazer o seu interior?
Bugatti Chiron Super Sport
O banco de potência da Bugatti foi «feito à medida».

Os números alcançados

O Chiron Super Sport é atualmente um dos Bugatti mais potentes e rápidos, com o seu 8.0 W16 tetra-turbo a declarar oficialmente 1600 cv e 1600 Nm, assim como os já mencionados 440 km/h de velocidade máxima — sem limitador, o Chiron Super Sport atingiu, em 2019, 490,484 km/h ou 304,773 mph, o primeiro automóvel a ultrapassar a barreira das 300 mph.

Resultados banco de potência

Preso à plataforma desenvolvida em específico deste banco de potência, com placas aparafusadas ao carro e com correntes capazes de suportar uma força de tração de até 24 t, a marca de Molsheim mediu 1618 cv e 1665 Nm, valores que ficam marginalmente acima dos oficiais.

Talvez mais impressionante é constatar que o Chiron Super Sport «perdeu» 317 cv entre o que o W16 debita e o que é medido às rodas, ou seja, praticamente 20% em perdas de transmissão — tendo tração às quatro rodas, as perdas são sempre maiores.

O «super dinamómetro»

Enquanto nos bancos de potência «normais» cada roda rola entre dois pequenos rolos, no da Bugatti cada roda «tem direito» a um rolo individual de maiores dimensões.

Isto oferece ao pneu um só ponto de apoio, reduz o seu aquecimento e permite simular melhor o seu comportamento em estrada, diminuindo ao máximo as perdas de performance e de tração.

Outra característica única deste banco de potência é a sua enorme ventoinha com pás de 1,93 m capaz de «soprar» 300 000 m3 de ar numa hora.

LEIAM TAMBÉM: Comprou oito Bugatti de uma só vez. Veyron, Chiron e seis Baby II

Além de assegurar a «alimentação» de ar necessária para o bom funcionamento do motor dos hipercarros de Molsheim, esta ventoinha permite também simular a resistência aerodinâmica, com a sua velocidade a variar de acordo com a velocidade do carro testado.

O novo banco de potência da Bugatti não só é capaz de medir vários parâmetros relacionados com a performance, também permite efetuar leituras e medições de emissões e consumos.

Sabe responder a esta?
Em que ano foi revelado o Bugatti EB110?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Bugatti EB110. O último Bugatti antes da era Volkswagen

Mais artigos em Notícias