Depois de mais de 50 anos, «casamento» entre a BMW e a Alpina é oficial

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Indústria

Depois de mais de 50 anos, «casamento» entre a BMW e a Alpina é oficial

Há muito que a BMW e a Alpina trabalham em conjunto, mas a partir de agora o pequeno construtor passa a pertencer ao BMW Group.

A Alpina sempre esteve ligada à BMW, contudo, a relação entre o pequeno construtor e a marca bávara vai mudar: o BMW Group acabou de adquiri-la.

Para já nenhuma das empresas revelou os valores envolvidos no negócio, estando este ainda dependente da aprovação das autoridades da concorrência.

Ainda assim, já são conhecidos os detalhes deste «casamento» entre a BMW e a Alpina que há mais de 50 anos se dedica a tornar mais especiais os modelos da marca bávara.

A NÃO PERDER: “Nós somos M”. Vídeo celebra os 50 anos da BMW M
Alpina B8 Gran Coupe
O Alpina B8 Gran Coupe é uma das mais recentes criações do construtor alemão.

Novo mundo exige novas abordagens

Como podemos ler no comunicado divulgado pelo BMW Group, na base da aquisição da Alpina estiveram os desafios que a eletrificação e as cada vez maiores normas de segurança e emissões representam para um construtor de pequena dimensão como a casa de Buchloe, nos arredores de Munique — a Alpina tem estatuto de construtor automóvel.

De acordo com o BMW Group, esta aquisição garante “o futuro a longo prazo da marca Alpina” e traz uma “ainda maior diversidade à gama de modelos de luxo” do grupo.

Uma declaração que abre a porta à possibilidade destes modelos serem vendidos ao lado dos BMW nos espaços da marca (talvez entre os modelos «normais» e os mais radicais «BMW M»).

Como vai funcionar?

Com um acordo de cooperação que se estende até ao final de 2025, a Alpina e a BMW irão até essa data trabalhar em conjunto como fazem há já muitos anos.

A Alpina continuará a comprar os modelos da BMW, transformando-os depois tanto no campo visual como mecânico nas suas instalações de Buchloe.

Depois desse ano o que está previsto é que nas instalações da Alpina passe a operar somente o negócio da venda de peças e acessórios, com a transformação dos modelos a decorrer nas instalações da própria BMW.

Alpina XB7

Acerca desta compra, Pieter Nota, Membro do Conselho de Administração responsável por Clientes, Marcas e Vendas afirmou: “A indústria automóvel está em plena transformação rumo à mobilidade sustentável. Por isso os modelos de negócio têm de ser reexaminados regularmente, (…) estamos agora a embarcar num novo capítulo da nossa longa parceria. A aquisição dos direitos da Alpina vai permitir moldar a longo prazo o curso desta marca com uma forte tradição”.

Andreas Bovensiepen, co-diretor administrativo da Alpina afirmou: “Reconhecemos os desafios que a indústria automóvel enfrenta bastante cedo e agora estamos a definir o caminho certo para a Alpina (…) Tomámos a decisão consciente de não vender a Alpina a um fabricante qualquer, a BMW e a Alpina trabalham juntas há décadas e confiam uma na outra”.

Sabe responder a esta?
Qual era a potência do BMW 333i (E30)?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

BMW 333i (E30). O «primo do M3» que pouca gente conhece

Mais artigos em Notícias