SEAT Tarraco e-HYBRID. Xcellence faz mais sentido que o FR?

Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Desde 47 974 euros

SEAT Tarraco e-HYBRID. Xcellence faz mais sentido que o FR?

Depois do ensaio à versão FR, impunha-se um teste ao SEAT Tarraco e-HYBRID na versão Xcellence. Mas afinal, o que distingue estas versões?

Depois de há cerca de meio ano o ter testado na versão FR, agora chegou a vez de deitar as mãos à versão Xcellence do SEAT Tarraco e-HYBRID.

A variante FR, mais desportiva e com uma suspensão mais firme, surpreendeu-me. Mas será que a versão Xcellence, mais requintada, lhe segue as pisadas?

Passei alguns dias com o maior SUV da SEAT e posso dizer-vos que voltei a confirmar as boas sensações que já tinha sentido. Com a diferença de que aqui, ganhamos uns pontos extra no capítulo do conforto de rolamento.

LEIAM TAMBÉM: SEAT Ateca (2021). Tudo o que mudou no SUV mais vendido da SEAT

Já quase tudo aqui foi escrito sobre a imagem do maior SUV da SEAT. Podem ler o guia de compra do Tarraco ou então ver o vídeo em que o Guilherme Costa explica — em detalhe — tudo o que há para saber sobre o exterior e o interior deste SUV:

A NÃO PERDER: Conduzimos o SEAT Tarraco e-HYBRID. A eletrificação cai-lhe bem?

Apenas cinco lugares

A maior particularidade desta versão híbrida plug-in que testei é mesmo o facto de não poder ser configurada com sete lugares, ao contrário do que acontece com as variantes equipadas com motor de combustão interna.

A explicação está relacionada com a arrumação da bateria de iões de lítio de 13 kWh, que a SEAT optou por «esconder» no espaço habitualmente reservado para a terceira fila de bancos e para o pneu sobressalente.

bancos traseiros
O espaço nos bancos traseiros é de referência. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Sistema híbrido com provas dadas

E por falar em bateria, importa dizer que ela alimenta um motor elétrico de 85 kW (115 cv), que surge associado a um motor 1.4 TSI de 150 cv, para uma potência máxima combinada de 245 cv e um binário máximo de 400 Nm, que é enviado em exclusivo para as rodas dianteiras através de uma caixa DSG (dupla embraiagem) de seis velocidades.

As emissões de carbono deste teste serão compensadas pela BP
Saiba como pode compensar as emissões de carbono do seu automóvel Diesel, gasolina ou GPL.

Este sistema híbrido já é um nosso «velho conhecido», uma vez que está presente em outras propostas eletrificadas do Grupo Volkswagen. E isso são boas notícias, ou não fosse este um sistema motriz muito competente.

E um dos seus maiores trunfos revela-se, curiosamente, quando a bateria se esgota. Aí, e apesar do generoso porte e dos 1868 kg, consegui consumos de 5,8 l/100 km numa utilização mista.

Se confinarmos esta análise a uma utilização meramente em cidade, e mesmo com jantes de 20” calçadas, este Tarraco consegue ficar abaixo dos 5 l/100 km (no modo ECO).

Motor 1.4 TSI e motor elétrico
Os cabos laranja já o denunciam: este é um Tarraco eletrificado. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

E nesse cenário, salta à vista outro trunfo a favor deste SUV espanhol. É que mesmo quando tem de assumir todas as despesas, o motor a gasolina nunca se revela demasiado ruidoso. E isso é algo de que nem todos os híbridos plug-in se podem gabar.

Autonomia elétrica cumpre?

A SEAT reivindica uma autonomia elétrica de 46 km (ou 54 km em ciclo urbano), de acordo com o ciclo WLTP. Mas tal como tinha acontecido quando andei com a versão FR (também com jantes de 20”), não consegui ultrapassar os 40 km livres de emissões.

Não posso dizer que seja um número que me impressione, mas de acordo com as necessidades de cada cliente, pode chegar para as viagens casa-trabalho-casa no dia a dia.

Descubra o seu próximo carro

Suave, independentemente da energia

A condução em modo elétrico destaca-se por ser sempre muito suave. E apesar do peso, nunca senti que este motor tivesse qualquer dificuldade em lidar com isso.

LEIAM TAMBÉM: SEAT Arona FR. Isto é o que tem de saber antes de comprar

Importa dizer que o Tarraco e-HYBRID arranca sempre em modo exclusivamente elétrico. Contudo, quando a bateria desce de um determinado nível ou se ultrapassam os 140 km/h, o motor a combustão acorda e o sistema híbrido entra automaticamente ao serviço.

porta de carregamento
São precisas 3,5 horas para voltar a carregar a bateria numa wallbox de 3,6 kWh. Já numa tomada de 2,3 kW o tempo de carregamento ronda as 5 horas. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

E ao volante?

A distribuição das massas, por culpa do posicionamento da bateria, acaba por ser a melhor de toda a gama do SUV espanhol e isso sente-se quando o conduzimos.

Sempre muito equilibrado, o Tarraco e-HYBRID ganha ainda mais conforto e qualidade de rolamento nesta versão Xcellence, que tal como já referi acima, apresenta um acerto de suspensão ligeiramente menos seco do que aquele que encontramos na variante FR.

A NÃO PERDER: Comboio entre SEAT Martorell e VW Autoeuropa vai transportar 20 000 carros por ano

Isso fica evidente em autoestrada, onde este Tarraco se mostra um estradista muito competente, e também nos pisos em pior estado, com a suspensão a fazer um bom trabalho na hora de absorver as irregularidades do asfalto. Mas aqui, sinto que as jantes de 19” ainda podiam fazer melhor…

jantes de 20"
De série, as jantes são de 19”, mas a unidade testada tinha um conjunto de 20”. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Quanto ao comportamento dinâmico, não é tão «desportivo» e interessante quanto o da versão FR, mas uma coisa é certa, a direção é sempre bastante direta e a entrega de potência é sempre muito progressiva, o que torna este SUV sempre bastante previsível.

A somar a isto, o rolamento da carroçaria está bem controlado e mesmo quando subimos ligeiramente o ritmo ele não se descontrola. Porém, nas travagens mais fortes, o peso elevado deste SUV faz-se sentir.

Bancos dianteiros
Os bancos em pele são opcionais e custam 1112 euros. Mas são todos aquecidos, incluíndo os traseiros. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

É o carro certo para si?

O Tarraco e-HYBRID vale-se de um sistema híbrido competente para se apresentar numa forma invejável. A menos que passem a semana a fazer «piscinas” na autoestrada, esta versão eletrificada pode ser mesmo a que faz mais sentido, sobretudo se os vossos percursos diários forem inferiores a 50 km.

Painel de instrumentos digital
O quadro de instrumentos digital faz parte do equipamento de série. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

E quando a bateria se esgota, é bom saber que este Tarraco e-HYBRID consegue ser poupado e suave, algo que nem sempre acontece nas propostas deste tipo.

LEIAM TAMBÉM: Já conduzimos o SEAT Ibiza 2021 (vídeo). O que mudou e quanto custa

Quanto às comparações entre o Xcellence aqui testado e a FR, elas sentem-se sobretudo ao nível do conforto, quer ao nível do equipamento disponível quer também ao nível das sensações ao volante.

Seat Tarraco E-Hybrid luzes © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Diria, por isso, que as qualidades de estradista saem reforçadas na variante Xcellence, em detrimento de uma dinâmica menos apurada na hora de atacar uma sequência de curvas de forma mais impetuosa.

Não são, ainda assim, diferenças extraordinariamente significativas. Contudo, são um bom indicador na hora de escolher a proposta que melhor encaixa no tipo de utilização e no estilo de condução.

Preço

unidade ensaiada

53.612

Versão base: €47.974

IUC: €137

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cilindros em linha; motor elétrico
    • Capacidade: 1395 cm3
    • Posição: Motor combustão: Dianteira Transversal; Motor elétrico: Dianteira Transversal; Bateria: central traseira
    • Carregamento: Motor combustão: Injeção direta, turbo e intercooler. Motor elétrico: bateria de iões de lítio de 13 kWh
    • Distribuição: 2 a.c.c., 4 válv. por cil. (16 válv.)
    • Potência: Motor combustão: 150 cv entre as 5000-6000 rpm; Motor elétrico: 116 cv; Potência máxima combinada: 245 cv
    • Binário: Motor combustão: 250 Nm entre as 1550-3500 rpm; Motor elétrico: 330 Nm; Binário máximo combinado: 350 Nm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: DSG de 6 velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4735 mm / 1839 mm / 1658 mm
    • Distância entre os eixos: 2790 mm
    • Bagageira: 610 litros
    • Jantes / Pneus: 235/50 R19
    • Peso: 1868 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 1,9 l/100 km; Autonomia elétrica: 46 km
    • Emissões de CO2: 44 g/km
    • Vel. máxima: 205 km/h
    • Aceleração: 7,5s
  • Garantias
    • Pintura e corrosão: 3 anos de pintura e 12 anos de anticorrosão
    • Mecânica: 2+2 anos ou 80 000 km
    • Reviews Interval: 15 000 km/ 1 ano (o que ocorrer primeiro)
  • Equipamento
    • Proteção dos estribos das portas iluminados
    • volante multifunções em pele com tiptronic
    • Espelhos retrovisores elétricos e aquecidos com recolhimento elétrico. Iluminação exterior de presença "Welcome Light"
    • Sensor de luz e de chuva
    • Duplo piso da mala
    • Iluminação ambiente LED multicolor nos paineis das portas (dianteiras e traseiras)
    • Assistente automático de estacionamento
    • Assistente de Faixa de Rodagem
    • Câmara multifunções
    • Camara traseira de ajuda ao estacionamento
    • Cruise control adaptativo (com sistema "follow-to-stop") e limitador de velocidade
    • Front Assist com assistente de travagem em cidade para Cruise Control adaptativo
    • Perfil de condução SEAT com botão "Driving Experience" e regulação hidráulica da suspensão
    • Protecção pro-activa e extensivel a peões e ciclistas
    • Climatronic (3 zonas) com painel de controlo do ar condicionado para os bancos traseiros
    • 2 portas USB Type C dianteiras + 1 porta USB Type C traseira
    • Info-entretenimento (MIB3) 9,2" + Full Link
    • Quadro de instrumentos digital SEAT
    • Sistema de navegação Plus
    • Jantes de liga leve 19" Exclusive 37/1 Maquinadas
    • Ativação automatica das luzes e função coming home
    • Farois nevoeiro dianteiros com função cornering
    • Farois full LED com lentes
    • Sistema de reconhecimento de cansaço
    • Bancos dianteiros desportivos e reguláveis em altura
    • Cabo de carregamento modo 2 tipo 2 / tipo E+F (10 A)
    • Vidros traseiros escurecidos
Extras
Connectivity box (Carregamento sem fios + Amplificador de sinal GSM) — €; Cabos de carregamento: Cabo MODO 3 para e-Hybrid — €; Câmara de visão 360º — €; Controlo Adaptativo do Chassis (DCC): Suspensão traseira para DCC, Suspensão dianteira para DCC, Perfil de Condução SEAT com botão "Driving Experience" e regulação hidráulica da suspensão — €; Pacote Segurança & Condução XL em combinação com Sistema de Navegação Plus 9,2" — €; Tomada 230V na bagageira — €; Regulação eléctrica do banco do condutor + Com Memória (Banco do condutor e Espelhos Retrovisores) — €; Bancos em Pele Preto com interior Preto e inclui o Pacote inverno — €; Alarme com função SAFE — €; Pintura Branco Orix — 784 €; Jantes de liga leve de 20'' — 690 €.
Avaliação
8 / 10
Tendo em conta as diferenças de preço para as versões equivalentes com motorização 2.0 TDI e 1.5 TSI, só não digo com toda a convicção que este e-HYBRID é o Tarraco a comprar porque ele não suporta configurações de sete lugares. E isso é um requisito que muitas famílias têm na hora de olhar para um modelo deste segmento. Mas tem um bom nível de equipamento, é espaçoso, versátil e mostra-se ainda mais confortável e requintado nesta versão Xcellence. A somar a isto, revela-se sempre muito poupado, mesmo quando a bateria se esgota.
  • Versatilidade
  • Sistema híbrido
  • Espaço
  • Consumos
  • Autonomia 100% elétrica
  • Ausência de versão de sete lugares
  • Depósito de combustível tem apenas 45 l
Sabe responder a esta?
Em que ano foi lançado o SEAT Leon?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

SEAT Leon. Vencedor do troféu Carro do Ano 2001 em Portugal

Mais artigos em Testes, Ensaio