Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Apresentação

Vision EQXX. A berlina elétrica da Mercedes que faz mais de 1000 km com uma carga só

O Mercedes-Benz Vision EQXX é uma berlina elétrica super-aerodinâmica e eficiente capaz de superar facilmente os 1000 km de autonomia.

Em Las Vegas, EUA

O ano automóvel de 2022 começa com um choque elétrico na esguia forma do Mercedes-Benz Vision EQXX no CES 2022 (Feira Eletrónica de Consumo) em Las Vegas, EUA.

A marca alemã queria ficar com as honras de ser o primeiro fabricante de automóveis mundial a apresentar um veículo com a capacidade de cobrir pelo menos 1000 km apenas com uma carga de bateria. Mas há poucas semanas o crossover elétrico chinês GAC Aion LX ficou com esta distinção e estragou um pouco a festa aos alemães — ainda que os mais de 1000 km anunciados sejam no mais lasso ciclo de certificação chinês (CLTC).

Mas fica-lhe a consolação de o conseguir fazer com uma bateria muito mais pequena e leve do que a do SUV chinês, que tem uma nada menos que com 144,4 kWh, enquanto o esguio Vision EQXX alcança semelhante desiderato com menos de 100 kWh — demonstrador da sua superior eficiência.

TÊM DE VER: Dos SUV aos desportivos, Mercedes «ataca» em todas as frentes em 2022
Mercedes-Benz Vision EQXX

Mais aerodinâmico que o EQS

O segredo é uma construção com materiais ultra-ligeiros e uma aerodinâmica de cortar a respiração — Cd de apenas 0,17, menos que os 0,20 do EQS —, que ajudam a explicar porque o Vision EQXX será capaz de rolar de Berlim até Paris (mais de 1050 km) sem qualquer carregamento.

De certa forma, podemos estabelecer aqui um paralelo com o recorde tecnológico estabelecido pela Volkswagen quando, há uma década, apresentou o XL1 que era capaz de percorrer 100 km com menos de um litro de gasóleo.

Visualmente, o novo concept da Mercedes-Benz é quase um «velho conhecido», porque os seus traços derivam dos do protótipo IAA mostrado no Salão de Frankfurt de 2015, que na altura estabeleceu também valores de referência na luta contra a resistência ao avanço do veículo.

Mercedes-Benz Vision EQXX

Agora, este carro com um certo ar de raia elétrica e 1750 kg parece querer passar «por debaixo» do ar à medida que se desloca graças à sua dianteira achatada, linha de tejadilho extremamente baixa e traseira alongada.

VEJAM TAMBÉM: Tesla Model S Plaid. Tudo sobre o mais potente e mais rápido de sempre

E para além das medidas de otimização da massa da bateria no fundo do carro, também a carroçaria foi elaborada com essa prioridade, juntando aço de ultra-elevada resistência a variadas partes em alumínio e plástico reforçado com fibra de carbono (CFRP).

Mercedes-Benz Vision EQXX

Mesmo não constituindo uma novidade absoluta — mas muito útil quando há que expandir a autonomia — o tejadilho muito fino integra 117 células solares para alimentar a bateria e gerar 25 km adicionais de autonomia.

Menos de 10 kWh/100 km

A propulsão do Mercedes Vision EQXX é assegurada por um motor elétrico de 150 kW (204 cv) sobre o eixo traseiro, que o consegue projetar até aos 140 km/h de forma muito eficiente.

As jantes em magnésio forjado têm um generoso diâmetro de 20” mas, tal como nos casos do BMW i3 e do Volkswagen XL1, são o mais finas possível, com uma largura de apenas 185 mm, sempre visando o melhor consumo de energia possível — menos resistência à passagem do ar e menos atrito na estrada.

Mercedes-Benz Vision EQXX

Consumo que deverá ficar abaixo dos 10 kWh aos 100 km, muito menos do que qualquer outro carro elétrico que temos hoje na estrada: “este concept revela o nosso pensamento em relação ao que serão os elétricos no futuro, com uma bateria que poderia caber num automóvel muito mais pequeno”, confirma Ola Källenius, diretor executivo da marca.

VEJAM TAMBÉM: i Vision Circular. A visão da BMW para uma mobilidade sustentável em 2040

O segredo para uma tão elevada densidade energética está na química dos ânodos, cujo conteúdo de silício e a sua composição tornam possível armazenar mais energia do que nas baterias que existem no mercado. A eficiência do motor elétrico é também especialmente elevada, já que 95% da energia vinda da bateria chega às rodas.

Mercedes-Benz Vision EQXX

O know-how adquirido pela equipa de Fórmula 1 (que também ajudou a desenvolver o chassis eletrónico) foi determinante para se conseguirem semelhantes resultados e «arrumar» os quase 500 kg do acumulador de energia numa forma tão compacta. E os quase 100 kWh de energia ocupam quase 50% menos de volume e pesam 30% menos do que a bateria do recente Mercedes-Benz EQS.

Pronto para a linha de produção?

Por dentro, o Vision EQXX parece quase um veículo pronto para ser fabricado em série. Há quatro bancos individuais, um ecrã de 47,5”, fino, mas que se estende a toda a largura do painel de bordo (com definição de 8K) e uma consola central com apoios para copos que sublinha o caráter purista deste concept.

A pele nobre dos Mercedes que rodam hoje na estrada foi substituída por materiais que não provêm de animais (como por exemplo a fibra de bambu) e podem ser encontrados no revestimento dos assentos, nas superfícies dos painéis de bordo, portas ou tapetes, por uma questão eticamente correta.

TÊM DE VER: As 100 NOVIDADES para 2022 que têm de conhecer

A altura interior é limitada pelas formas exteriores do Mercedes-Benz Vision EQXX, mas só adultos acima de 1,90 m de altura poderão sentir uma excessiva proximidade da nuca com o teto.

Mercedes-Benz Vision EQXX

Talvez não…

O mais provável é que o Mercedes-Benz Vision EQXX não se venha a produzir como tal, podendo permanecer como peça única, que um dia ocupará o seu lugar no museu da marca alemã.

Mas as tecnologias que o servem irão claramente ser injetadas em modelos de produção em série no futuro, em várias áreas, como no uso de materiais reciclados, na propulsão eficiente ou no circuito elétrico de bordo de 900 V.

Seja como for, há sempre uma pequena possibilidade de, tal como a Volkswagen fez com o XL1, a marca alemã responder a um possível interesse de alguns potenciais clientes e avançar mesmo para a produção de uma série muito limitada do Vision EQXX. No caso do Volkswagen as 200 unidades montadas na fábrica de Osnabruck encontraram clientes em poucos meses e ainda hoje são muito apreciadas no mercado de usados, onde são transacionadas por valores bem acima dos 100 000 euros.

Autores: Joaquim Oliveira/Press-Inform

Mais artigos em Notícias