C5 Aircross renovado. O que mudou no maior SUV da Citroën?

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Apresentação

C5 Aircross renovado. O que mudou no maior SUV da Citroën?

O Citroën C5 Aircross foi renovado e além de um exterior revisto recebeu um novo interior. Já no campo da mecânica não há novidades.

Lançado em 2018 e já tendo ultrapassado a marca das 260 mil unidades vendidas, o Citroën C5 Aircross foi agora alvo do tradicional restyling de meia-idade, mantendo-o «fresco» num segmento onde os concorrentes são muitos e fortes, que têm também vindo a ser renovados nos últimos anos.

As maiores novidades no exterior do renovado C5 Aircross surgem na dianteira, que «ganha» uma nova face particularmente diferente daquele que até agora lhe reconhecíamos. Os faróis bipartidos desapareceram, a grelha tornou-se mais pequena, o logótipo da marca tem nova interpretação (mais destacado e em negro lacado), o para-choques é novo e, no geral, a aparência é mais moderna.

Para tal muito contribui a nova assinatura luminosa em “V”, composta por duas faixas LED por farol, que se estendem visualmente em direção aos chevrons, através de pequenos segmentos cromados.

A NÃO PERDER: C5 X, o novo topo de gama da Citroën chega em 2022 e gama C4 cresce

Na lateral os Airbumps continuam presentes, mas têm a «companhia» de jantes de 18” de novo desenho. Por fim, na traseira destacam-se os novos farolins com uma assinatura tridimensional em LED.

Interior totalmente novo

Se no exterior até é relativamente fácil não confundirmos o renovado C5 Aircross com a versão anterior, no interior então é mesmo impossível tal acontecer. Afinal de contas, o SUV gaulês ganhou um tabliê totalmente novo, com um design que segue a linha adotada nos novos C4 e C5 X.

Referimo-nos à disposição dos elementos na consola central, onde o ecrã do sistema de infoentrenimento passou a surgir por cima das condutas de ventilação (antes ladeavam-no). Por falar no ecrã do infoentretenimento, este apresenta-se com 10” e vê juntar-se a ele um outro de 12,3″ que serve de painel de instrumentos.

Ainda no interior, destaque para a redução do número de comandos físicos e a adoção de um comando da caixa de velocidades automática mais pequeno, semelhante ao usado, por exemplo, pelo Citroën ë-C4.

LEIAM TAMBÉM: Adeus, cidade. Citroën transforma o Ami num “mini-buggy”

Por fim, no campo do conforto também há novidades. Já uma das referências do segmento neste capítulo, o C5 Aircross viu os seus argumentos reforçados com a adição da nova geração de bancos Citroën Advanced Comfort já presentes no C4 e C5 X.

Tudo na mesma debaixo do capô

Enquanto no capítulo visual o Citroën C5 Aircross foi alvo de uma «pequena revolução», no campo da mecânica mantém-se tudo na mesma.

Citroën C5 Aircross 2022

Assim, o maior SUV da Citroën continua a estar disponível com as motorizações Diesel, a gasolina e, claro está, híbrida plug-in que já integravam a gama.

Quanto aos preços e à data de lançamento do renovado C5 Aircross, para já a Citroën não divulgou nenhum dos dois.

Sabe responder a esta?
Qual era a potência do Citroën Xantia Activa V6?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Citroën Xantia Activa V6 ou a arte de curvar sobre carris

Mais artigos em Notícias