Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Indústria

O Tesla Model S Plaid é tão bom que levou ao cancelamento do Plaid+

Parece brincadeira mas não é. Segundo uma publicação de Elon Musk no Twitter, o Tesla Model S Plaid+ não vai mesmo existir e a razão é muito simples.

Após ter anunciado há uns meses que a gama do Model S teria no Tesla Model S Plaid+ a sua versão superlativa, Elon Musk veio agora revelar que, afinal, a versão Plaid+ não verá a luz do dia.

O anúncio do cancelamento do Model S Plaid+ foi feito por Elon Musk (diretor executivo e “technoking” da Tesla) através da sua conta oficial no Twitter, sendo que, na mesma publicação, o norte-americano aproveitou para justificar a decisão.

Desta forma, por trás da decisão de não produzir o Model S Plaid+ está o facto de, no entender da marca norte-americana, o Model S Plaid ser tão bom que não se justificaria criar uma versão acima deste.

A NÃO PERDER: E se a Tesla lançasse uma cadeia de restaurantes com supercarregadores?

O que ia ser o Tesla Model S Plaid+

Agora cancelado, o Tesla Model S Plaid+ prometia muito. Destinado a estabelecer-se como o topo de gama da marca de Elon Musk, o primeiro sinal de “alerta” acerca do seu futuro surgiu quando o arranque de produção, originalmente marcado para o final de 2021, foi “empurrado” para 2022.

Enquanto o Model S Plaid se apresenta com uma autonomia de 628 km e uma potência na casa dos 1020 cv, o Plaid+ prometia bater ambos estes valores.

Segundo o anúncio original, a variante Plaid+ deveria estrear a nova geração de baterias 4680 da Tesla, prometendo uma autonomia de 834 km e uma potência superior a 1100 cv.

Tesla Model S Plaid
A NÃO PERDER: Tesla Cybertruck já está a ser entregue… à escala 1/10

Quando questionado pelos nossos colegas da Electrek por que razão desistiu de um modelo com mais autonomia, Elon Musk afirmou: “a partir do momento em que a autonomia ultrapassa os 645 km (400 milhas), conseguir mais autonomia deixa de ser importante”.

Além disto, Musk relembrou: “Basicamente, não há viagens acima os 645 km (400 milhas) nas quais o condutor não precise de parar para descansar, comer, beber um café, etc…”.

Fonte: Automotive News Europe.

Sabe responder a esta?
Em que ano é que a Renault conquistou a sua primeira vitória na Fórmula 1?

Mais artigos em Notícias