Antevisão

Adeus, Renault Scénic, o MPV. Olá, Scénic, o crossover elétrico

O Renault Scénic é a mais recente vítima dos SUV. O modelo, como o conhecemos, vai desaparecer. Mas o nome vai continuar por cá…

Depois de mais de 20 anos de existência, o Renault Scénic vai desaparecer do catálogo da marca francesa como o temos conhecido desde sempre, ou seja, como um monovolume.

Mas isto está longe de ser o fim de uma designação histórica dentro da Renault, que a vai recuperar e aplicá-la a um SUV/crossover a lançar já em 2022.

Esta mudança fundamental para o Renault Scénic não é uma surpresa. O mercado dos monovolumes — ou MPV — não tem parado de perder terreno para os SUV/crossover e parece ter cada vez menos pretendentes na Europa, onde o boom dos SUV continua a fazer-se sentir.

A NÃO PERDER: Renault também vai deixar de desenvolver novos motores Diesel
Renault Mégane Scénic
Primeira geração do Renault Scénic apareceu em 1996.

“Eu acho o carro excecional, mas nós não fazemos dinheiro com ele. O segmento está em baixo, ao contrário do segmento dos SUV, que continua a progredir e no qual não somos competitivos”, disse Luca de Meo, diretor geral da Renault, na reunião anual de acionistas, citado pelo L’Argus.

A Renault pretende avançar para crossovers e SUV elétricos e eletrificados, o que combinado com a racionalização do seu portfólio, leva ao desaparecimento absoluto dos MPV.

Luca de Meo, diretor geral da Renault

De acordo com a referida publicação gaulesa, um dos acionistas mostrou alguma preocupação acerca do desaparecimento de um nome tão histórico quanto este, mas o “patrão” da Renault terá confirmado que o nome Scénic não vai a lado nenhum: “Se estão muito pegados ao nome Scénic, não vos vou dizer que devemos necessariamente abandoná-lo”.

RELACIONADO: Luca De Meo: “o custo do motor de combustão nos utilitários vai duplicar com a Euro 7”

Renault Scénic 1.3 TCeScénic renasce… em 2022

Com esta resposta, Luca de Meo já olha para o futuro do modelo, que vai renascer em 2022 sob a forma de um crossover 100% elétrico. A apresentação deste modelo acontecerá depois da do Mégane E-Tech 100% elétrico (a versão de produção do Mégane eVision), programado para o início de 2022.

A NÃO PERDER: Depois da Volvo, velocidade máxima dos Renault e Dacia será limitada a 180 km/h

O novo Renault Scénic, tal como o Mégane elétrico, recorrerá à plataforma modular CMF-EV, específica para veículos elétricos, da Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi e será construído na unidade de produção de Douai, no norte de França.

Se há pouco mais de um ano foi avançado de que o Mégane elétrico seria complementado por um SUV elétrico de maiores dimensões — similares à do Kadjar ou do elétrico Nissan Ariya, que também assenta sobre a CMF-EV —, esses planos foram alterados segundo a L’Argus. O SUV elétrico (projeto HCC), ao que tudo indica, foi suspenso e no seu lugar virá, assim, o mais compacto Scénic (projeto HCB).

Renault Scénic
MPV como o Scénic já estavam em declínio, sem nada conseguirem fazer contra a armada SUV. © Raul Mártires / Razão Automóvel

2022 promete ser um ano particularmente cheio para a Renault, arrancando com o lançamento do Mégane elétrico — que também terá genes de crossover —; a apresentação deste reformulado Scénic — que passa de MPV a combustão para um crossover elétrico —; e ainda a segunda geração do Kadjar — um modelo ao qual já dedicámos a nossa atenção, após ser “apanhado” em fotos-espia.

Sabe responder a esta?
Qual é a velocidade máxima do Renault Twingo Electric?

Mais artigos em Notícias