Desde 33 000 euros

Hyundai Kauai EV 39 kWh. Menos bateria, menos performance, mas mais barato. A opção certa?

Recentemente renovado, vale a pena considerar o Hyundai Kauai EV na versão com a bateria de 39 kWh e "apenas" 136 cv, em relação ao de 64 kWh e 204 cv?

A eletrificação da Hyundai até pode ter entrado numa nova fase com a revelação do IONIQ 5, contudo o Hyundai Kauai EV continua a desempenhar um papel crucial na gama elétrica da marca sul-coreana.

Afinal de contas, em 2020 estabeleceu-se como quarto veículo elétrico mais vendido na Europa com 47 796 unidades comercializadas, um número que corresponde a um aumento de 112% face ao ano anterior.

Para garantir que o seu crossover elétrico continua competitivo, a Hyundai renovou-o e agora temos oportunidade de colocá-lo à prova na sua variante mais acessível.

A NÃO PERDER: Testámos o UX 300e, o primeiro elétrico da Lexus. Ficámos convencidos?
Hyundai Kauai Electric © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Mudar sem revolucionar

Foi no exterior que o “novo” Hyundai Kauai EV mais mudou face ao seu antecessor. A dianteira foi totalmente redesenhada e devo admitir que a solução encontrada (mais limpa e sem tantos detalhes estilísticos) agrada-me de sobremaneira, dando até uns certos “ares” das faces sem grelha da Tesla.

Já na traseira as óticas reestilizadas são a principal novidade num modelo cujo restyling, em minha opinião, “fez-lhe bem”, pois não só conferiu-lhe um aspeto rejuvenescido e mais atrativo, conseguindo, mais uma vez, destacar-se dos seus pares.

Hyundai Kauai EV 39 kWh © Thom V. Esveld / Razão Automóvel
VEJA TAMBÉM: Ansiedade com a autonomia? Nenhuma. Testámos o elétrico Kia e-Niro

Interior (quase) igual

No interior as novidades são bem mais escassas. Por isso os elogios que fiz à versão pré-restyling mantêm-se atuais, sejam eles no campo da ergonomia, da habitabilidade ou da qualidade dos materiais e montagem.

Já entre o que é novo destacam-se o painel de instrumentos digital de 10,25”, que é bastante completo e de fácil compreensão, e o novo sistema de infoentretenimento AVN.

Por falar nele, este é completo e simples de operar, mesmo neste “pequeno” ecrã de 8” (o de 10,25” é opcional). Aliás, este ecrã relembra-nos que nem sempre é preciso optar pelo maior ecrã disponível, cumprindo de forma competente as suas funções.

A NÃO PERDER: Mercedes-Benz EQA testado. Será mesmo uma alternativa realista ao GLA?

Menos bateria, mas autonomia q.b.

Da última vez que testei o Kauai EV ainda a sua renovação não tinha acontecido e na versão mais potente com a bateria de 64 kWh e 204 cv. O meu “reencontro” com o crossover elétrico da marca sul-coreana permitiu conhecer, agora, a versão menos potente e com a bateria mais pequena.

Equipada com a bateria de 39 kWh e “apenas” 136 cv, esta versão cumpre os 0 aos 100 km/h em 9,9s e alcança os 155 km/h (o Kauai EV 64 kWh mais potente demora 7,9s e atinge os 167 km/h) e se é verdade que os números deste Kauai EV são menos impressionantes, no dia a dia a diferença acaba por se diluir.

Hyundai Kauai Electric
No campo visual é impossível detetar as diferenças entre a versão com 136 cv e a de 204 cv. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel
VEJA TAMBÉM: Dacia Spring em vídeo. Já conduzimos o elétrico mais barato em Portugal

Como é óbvio as prestações não são tão impressionantes, contudo, à saída dos semáforos continuamos a usufruir de uma agradável celeridade mal pisamos o pedal do acelerador, cortesia dos 395 Nm de binário entregues instantaneamente (o mesmo valor debitado pela versão mais potente).

Quando “atacamos” a estrada aberta as prestações continuam sem desiludir e até a “pequena” bateria nos surpreende, permitindo alargar mais os horizontes em cada viagem do que inicialmente esperaríamos.

Hyundai Kauai Electric
O Kauai EV permite carregar a bateria dos 10% aos 80% em 47 minutos num carregador de 100 kW (DC), levando 48 minutos num de 50 kW (DC). Em corrente alternada, dos 10% aos 100%, a bateria demora seis horas a carregar no carregador a bordo de 7,2 kWh. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

A autonomia anunciada de 305 km parece ser facilmente alcançável e para o fazer não temos de andar apenas em cidade. Para tal muito contribuem os modos de condução — que já havia elogiado no teste anterior — e os quatro modos de regeneração selecionáveis através das patilhas na coluna de direção.

Quanto aos consumos, ao longo do teste, e com muitos quilómetros percorridos pelas lezírias ribatejanas, ficaram-se pelos 10,7 kWh/100 km. Em cidade não andaram muito longe dos 13 kWh/100 km e em ritmos mais elevados aumentaram para a casa dos 16 a 17 kWh/100 km. Valores bastante bons, melhores que a generalidade da concorrência.

Por fim, no capítulo dinâmico o Kauai EV continua a justificar os elogios já várias vezes feitos ao seu chassis (com as mais diversas motorizações). Graças a uma direção direta, precisa e comunicativa e a uma suspensão capaz de conciliar bastante bem conforto e comportamento, revela-se seguro, previsível e até divertido.

Hyundai Kauai EV 39 kWh © Thom V. Esveld / Razão Automóvel
A NÃO PERDER: Testámos o Audi Q2 30 TFSI, com o motor menos potente. É preciso mais?

É o carro certo para si?

O Hyundai Kauai EV continua a ser uma das melhores opções para quem procura um SUV/Crossover elétrico, tudo graças à boa eficiência da sua cadeia cinemática elétrica — a permitir um uso sem muitas preocupações com a autonomia —, e ao seu equipamento completo.

Hyundai Kauai Electric © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Nesta versão troca autonomia e potência por um preço mais em conta — começa nos 36 005 euros, enquanto a versão mais potente ascende aos 40 775 euros — e, verdade seja dita, nesta “troca” não se parece perder muito.

Claro que com 305 km de autonomia, para quem queira arriscar viagens mais longas de forma mais frequente, a versão de 64 kWh, com 484 km de autonomia anunciada, continua a ser a melhor opção.

Preço

unidade ensaiada

36.500

Versão base: €36.005

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: Motor elétrico
    • Posição: Dianteira transversal
    • Carregamento: Bateria de iões de lítio com 39 kWh
    • Potência: 136 cv / 100 kW
    • Binário: 395 Nm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Caixa redutora de uma velocidade
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4205 mm / 1800 mm / 1570 mm
    • Distância entre os eixos: 2600 mm
    • Bagageira: 332 litros
    • Jantes / Pneus: 215/55 R17
    • Peso: 1610 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 14,3 kWh/100 km
    • Emissões de CO2: 0 g/km
    • Vel. máxima: 155 km/h
    • Aceleração: 9,9 s
  • Garantias
    • Pintura e corrosão: 7 anos sem limite de quilómetros
  • Equipamento
    • Jantes em liga leve de 17”
    • Painel de instrumentos digital de 10,25”
    • Display Audio de 8” com wireless Apple CarPlay e Android Auto
    • Estofos em tecido
    • Luzes de circulação diurna em LED
    • Faróis traseiros em LED
    • Seletor de modo de condução
    • Camara de estacionamento e sensores traseiros
    • Travagem Autónoma de Emergência
Extras
Pintura metalizada — 390 €.
Avaliação
8 / 10
Às qualidades já reconhecidas ao Hyundai Kauai EV, esta versão com a bateria de 39 kWh associa um preço mais em conta. Posto isto, se após o teste à versão mais potente já tinha dito que apenas o preço fazia com que aquele não fosse o "Kauai a escolher", depois de conhecer esta variante admito que este pode ser o Kauai EV mais interessante para quem quer um carro que lhe permita poupar e que seja "à prova de futuro".
  • Autonomia
  • Gestão das baterias
  • Isolamento acústico
  • Preço
  • Habitabilidade traseira

Mais artigos em Testes, Ensaio