Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Desde 32 634 euros

Testámos o Audi Q2 30 TFSI, com o motor menos potente. É preciso mais?

Depois de termos testado o Audi Q2 com o 1.5 TFSI e 150 cv fomos descobrir o que vale a versão equipada com o 1.0 TFSI de 110 cv.

Depois de termos testado o Audi Q2 numa das suas combinações motor/equipamento mais apetecíveis (o 35 TFSI S line de 150 cv com o pacote Edition One) pusemos à prova aquela que será, provavelmente, a variante mais vendida: o 30 TFSI Advance, equipado com o três cilindros de 1.0 l, turbo, e 110 cv.

Face à variante S line, de aspeto mais desportivo e que o Diogo pôs à prova, o Q2 Advance que testei assume um visual mais discreto, abdicando das jantes de 19” e de vários elementos a preto, trazendo jantes de 17” e elementos em cinza acetinado.

A verdade é que apesar dos cinco anos no mercado, o Q2 não parece desenquadrado da concorrência, fazendo uso do visual robusto e musculado para continuar a destacar-se num segmento recheado de propostas.

A NÃO PERDER: Testámos o Skoda Kamiq mais potente a gasolina. Vale a pena?
Audi Q2 30 TFSI Advance © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

No interior mudou (muito) pouco

Se no exterior o Audi Q2 ainda consegue disfarçar bem o passar dos anos, no interior há elementos que o tornam mais evidente, como o sistema de infoentretenimento de uma geração atrás — a Audi podia ter aproveitado o restyling para o atualizar e colocá-lo em linha com os outros modelos da gama.

Dito isto, o infoentretenimento é simples e fácil de usar graças às teclas de atalho e ao comando rotativo na consola central. No entanto, este sistema peca por apresentar um grafismo algo antiquado, ficando em evidência quando olhamos para o Virtual Cockpit (painel de instrumentos digital) com que a nossa unidade vinha equipada.

Onde o Q2 não acusa o peso dos anos é no campo da qualidade, em que continua a estabelecer-se como uma referência no segmento. Desde o toque dos comandos até à robustez geral, tudo no Q2 parece ter sido “feito para durar”.

Quanto ao espaço, apesar de assentar na muito elogiada plataforma MQB A0, o Q2 não se destaca pela habitabilidade. Há espaço para quatro adultos? Sim, há. E os 405 litros de capacidade da bagageira são suficientes? Sim, são. Mas neste campo, no seu segmento, o Q2 fica-se pela média.

Audi Q2 30 TFSI Advance
Com 405 litros a bagageira insere-se na média do segmento. Só é pena é que as soluções de arrumação não sejam as idênticas às que encontramos em alguns concorrentes. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel
A NÃO PERDER: Captur contra Captur. Qual a melhor opção: gasolina ou bi-fuel (GPL)?

Olá, “velho” conhecido

O conjunto motor/caixa que equipava este Audi Q2 30 TFSI Advance era, como rapidamente me apercebi, exatamente idêntico ao que encontrei no A3 Sportback 30 TFSI S line que testei há uns meses.

Audi Q2 30 TFSI Advance
O perfil do Q2 continua atual, muito por “culpa” do visual “musculado”. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Tal como disse na altura, se há algo que este motor faz bem é “disfarçar” o facto de ter apenas 110 cv e 200 Nm, permitindo no Q2 (tal como no A3) prestações mais do que aceitáveis para um modelo deste segmento.

Sempre com vontade de subir de rotação e bem auxiliado por uma caixa manual de seis relações cujo manuseamento é agradável e o escalonamento correto, este 1.0 TFSI “casa” bem com um SUV compacto como o Q2, que terá um uso maioritariamente urbano.

Neste meio as médias de consumo não foram além dos 7 l/100 km (sem quaisquer preocupações economicistas) e quando levei o Q2 para fora da malha urbana foi fácil conseguir consumos entre os 5,5 e os 6 l/100 km.

Audi Q2 30 TFSI Advance
Fácil de usar, o sistema de infoentretenimento acusa o “peso dos anos” em áreas como o grafismo. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel
A NÃO PERDER: Crossover por fora, monovolume por dentro. Opel Crossland renovado ainda é opção a ter em conta?

Alemão com conforto de francês

Equipado com pneus de perfil mais alto (215/55 R17), este Audi Q2 Advance relembra-nos que nem todos os modelos precisam de jantes enormes e pneus de baixo perfil.

Audi Q2 30 TFSI Advance
Jantes de 17” e pneus de perfil mais alto, uma boa solução no campo do conforto que, neste caso, não prejudica o comportamento. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Desta forma, o Q2 Advance acaba por oferecer maiores índices de conforto aos seus ocupantes, algo que faz com distinção (nem parece alemão tal a suavidade do pisar).

Já quando chegam as curvas, a direção direta e precisa e o bom controlo dos movimentos da carroçaria incutem confiança e revelam que o objetivo do Q2 é “tratar” destas situações mais com a eficácia e a segurança em “mente” do que com a diversão.

A NÃO PERDER: SEAT Arona. Perante novos e formidáveis rivais, ainda é uma proposta a considerar?

É o carro certo para si?

Robusto, económico e confortável, o renovado Audi Q2 tem no 30 TFSI um bom aliado para as tarefas diárias e um argumento para se manter competitivo num segmento em constante ebulição.

Audi Q2 30 TFSI Advance
Apesar de ser a motorização menos potente da gama, o 30 TFSI não desilude. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel
A NÃO PERDER: Honda Crosstar testado. Qual o preço de se estar na moda?

Contra si conta com um sistema de infoentretenimento a pedir substituição e uma dotação de equipamento típica das propostas premium — algo escassa… —, enviando a maioria dos equipamentos para a lista de opcionais.

Se continua a ser uma opção a ter em conta? Sim, principalmente para quem valoriza a qualidade de montagem e a imagem de marca. Porém, não sendo a proposta mais acessível do segmento, obriga-nos a visitar a extensa lista de opcionais que rapidamente colocam o preço em níveis nada razoáveis. Existem no segmento outras propostas (não premium), com preços mais competitivos e mais dotadas de série.

Preço

unidade ensaiada

34.804

Versão base: €32.634

IUC: €103

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 3 cilindros em linha
    • Capacidade: 999 cm3
    • Posição: Dianteira transversal
    • Carregamento: 2 a.c.c.; 4 válv./cil. (12 válv.)
    • Distribuição: Inj. Direta + Turbo + Intercooler
    • Potência: 110 cv às 5500 rpm
    • Binário: 200 Nm entre as 2000-3000 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Manual de 6 velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4208 mm / 1794 mm / 1537 mm
    • Distância entre os eixos: 2601 mm
    • Bagageira: 405-1050 litros
    • Jantes / Pneus: 215/55 R17
    • Peso: 1325 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 5,8 l/100 km
    • Emissões de CO2: 131 g/km
    • Vel. máxima: 197 km/h
    • Aceleração: 11,2s
  • Garantias
    • Mecânica: 4 anos ou 80 000 km
  • Equipamento
    • Retrovisores exteriores elétricos e aquecidos
    • Retrovisor interior com anti-encandeamento
    • Ar condicionado automático de 2 zonas
    • Rádio com ecrã de 8,3'' (MIB2) com leitor de DVD e 2 entradas USB para carregamento e transferência de dados
    • Audi pre sense à frente com deteção de peões e ciclistas
    • Sensores de estacionamento traseiros
    • Audi hold assist
    • Cruise control
Extras
Pintura metalizada — 790 €; Bancos dianteiros desportivos em tecido preto — 830 €; Frisos nas soleiras das portas em alumínio, iluminados — 125 €; Audi Virtual Cockpit — 425 €.
Avaliação
7 / 10
Apesar de ser o motor de entrada de gama, o 30 TFSI dá boa conta de si. E devo admitir que, para um uso urbano/suburbano como aquele que à partida espera o Q2 é, provavelmente, a opção mais equilibrada. Económico e expedito, este não desilude, aliando-se à robustez e à imagem de marca do SUV alemão para fazer dele uma opção a ter em conta. No final, apenas há a lamentar uma relação preço/equipamento que podia ser bem mais cativante.
  • Qualidade de montagem
  • Conforto
  • Disponibilidade do motor
  • Relação preço/equipamento
  • Grafismo do sistema de infoentretenimento
Sabe responder a esta?
Em que ano é que o Audi TT venceu o troféu Carro do Ano em Portugal?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Audi TT. Vencedor do troféu Carro do Ano 1999 em Portugal

Mais artigos em Testes, Ensaio