Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Antevisão

Oficial. Sucessor do Toyota Aygo com plataforma do Yaris

Os rumores confirmaram-se. A Toyota vai manter-se no segmento A com um sucessor do Toyota Aygo que derivará da plataforma do Yaris.

Depois de muitos rumores, a Toyota veio confirmar, oficialmente, que vai permanecer no segmento A, com o sucessor do Toyota Aygo a recorrer à plataforma do Yaris, a GA-B.

Um anúncio em contraciclo ao de outros construtores, como por exemplo o da Renault, que já confirmou que não haverá um sucessor para o pequeno Twingo.

Verdade seja dita, a decisão da Toyota de se manter no segmento A não é grande surpresa. Afinal de contas, todos os “sinais” indicavam que a marca japonesa o ia fazer. Há dois anos comprou a fábrica de Kolin, na República Checa, local onde são produzidos os citadinos da joint-venture entre a Toyota PSA (agora Stellantis), ou seja, os Toyota Aygo, Citroën C1 e Peugeot 108.

VÊ TAMBÉM: Toyota GR Yaris (261 cv) em vídeo. Juntámos as duas versões MAIS RADICAIS
Toyota GA-B
O futuro citadino da Toyota vai basear-se na plataforma GA-B.

Ao mesmo tempo, há cerca de um ano, não só Johan van Zyl, então diretor da Toyota Europa, confirmou o futuro do Aygo, como o então vice-presidente da Toyota Europa  atual diretor da marca no “Velho Continente”, Matt Harrison, revelou, à margem da apresentação do Yaris, que o novo modelo poderia vir a ser um mini-crossover.

O que aí vem?

Para já, ainda pouco se sabe acerca do sucessor do Aygo (nem sabemos se irá manter o nome). No entanto, há duas certezas: vai recorrer à plataforma GA-B e vai manter-se fiel ao motor de combustão (em nome da redução de custos).

Ao recorrer a esta plataforma o novo citadino da Toyota vai permitir, em conjunto com o Yaris e Yaris Cross, uma produção anual na Europa de 500 mil unidades de modelos baseados na plataforma GA-B.

De acordo com a Toyota, isto permitirá reforçar “as economias de escala necessárias para garantir o elemento-chave de acessibilidade que os clientes do segmento A exigem”.

VÊ TAMBÉM: Já testámos o Toyota Mirai. O primeiro carro a hidrogénio em Portugal

Quanto à motorização, apesar de a plataforma GA-B permitir o recurso a mecânicas híbridas, tudo aponta que o sucessor do Toyota Aygo venha a contar apenas com um motor de combustão, tudo para manter os custos contidos.

Sabe responder a esta?
Qual é a potência do Toyota GR Supra com quatro cilindros?

Mais artigos em Notícias