Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Apresentação

LF-Z Electrified é a visão da Lexus para o seu futuro (mais) eletrificado

O Lexus LF-Z Electrified é um concept que mostra-nos o que esperar do futuro (mais) eletrificado da Lexus em design, condução e tecnologia.

O Lexus LF-Z Electrified é um manifesto rolante sobre o que esperar da marca no futuro. E como o seu nome indica, é um futuro que será (também) cada vez mais elétrico, não admirando, portanto, que este concept car também o seja.

A Lexus não é estranha à eletrificação do automóvel, tendo sido uma das pioneiras com a introdução da tecnologia híbrida. Desde que o seu primeiro híbrido foi lançado, o RX 400h, já vendeu aproximadamente dois milhões de veículos eletrificados. O objetivo passa, agora, não só por manter a aposta na tecnologia híbrida, como reforçá-la com híbridos plug-in e fazer uma aposta decisiva nos 100% elétricos.

Até 2025, a Lexus vai lançar 20 modelos, entre novos e renovados, com mais de metade a serem 100% elétricos, híbridos ou híbridos plug-in. E muitas das tecnologias incluídas no LF-Z Electrified aparecerão nesses modelos.

VEJA TAMBÉM: Lexus IS 500 F Sport Performance. Não é um IS F, mas tem um V8 atmosférico
Lexus LF-Z Electrified

Plataforma específica

O LF-Z Electrified assenta sobre uma inédita plataforma concebida para veículos elétricos, diferindo do UX 300e, o seu (de momento) único modelo 100% elétrico em comercialização, que resulta de uma adaptação de uma plataforma pensada para veículos com motores de combustão.

É o recurso a essa plataforma dedicada que ajuda a justificar as proporções deste crossover elétrico com uma silhueta reminescente de um coupé, de vãos curtos, ainda mais evidenciados pelas rodas de grande dimensão.

Não é um veículo pequeno. O comprimento, largura e altura são de, respetivamente, 4,88 m, 1,96 m e 1,60 m, enquanto a distância entre eixos são uns muito generosos 2,95 m. Ou seja, caso o Lexus LF-Z Electrified antecipe também e de forma mais direta um futuro modelo de produção, posicionar-se-á bem acima do UX 300e.

Lexus LF-Z Electrified

A estética do LF-Z Electrified evolui a que vemos atualmente na marca, mantendo uma escultura expressiva. Em destaque a reinterpretação da grelha “Spindle” que mantém o seu reconhecido formato, mas passa a estar praticamente coberta e na cor da carroçaria, revelando a natureza elétrica do veículo.

Podemos ainda ver grupos óticos estreitos, tanto à frente como atrás, com os traseiros a formarem uma fileira horizontal a toda a largura composta por pequenos segmentos verticais. Nessa barra luminosa podemos ver o novo logótipo da Lexus, com novo lettering. Destaque ainda para a “barbatana” sobre o tejadilho que integra uma luz adicional.

“Tazuna”

Se por fora o Lexus LF-Z Electrified evidencia elementos, linhas e formas dinâmicas e expressivas, o interior, por outro lado, é mais minimalista, aberto e arquitetural. A marca chama-o de cockpit Tazuna, um conceito que se inspira na relação entre cavalo e cavaleiro — onde é que já ouvimos isto? —, formalizado pela presença de um “meio” volante, idêntico ao que vimos nos renovados Tesla Model S e Model X.

Lexus LF-Z Electrified

Se no cavalo os comandos são dados pelas rédeas, neste concept elas são reinterpretadas pela “estreita coordenação de interruptores no volante e um head-up display (com realidade aumentada), que permite que o condutor aceda às funções e a informações do veículo de forma intuitiva, sem precisar de alterar a sua linha de visão, mantendo a atenção na estrada”.

Os interiores dos próximos Lexus, diz a marca, deverão ser influenciados por este do LF-Z Electrified, sobretudo quando nos referimos à disposição dos vários elementos: fontes de informação (head-up display, painel de instrumentos e ecrã tátil multimédia) concentrados num único módulo e controlos do sistema de condução agrupados à volta do volante. De notar ainda o recurso à inteligência artificial como forma de interação com o veículo que “aprenderá” com os nossos comportamentos e preferências, traduzindo-se em úteis sugestões futuras.

VEJA TAMBÉM: Já testámos o Toyota Mirai. O primeiro carro a hidrogénio em Portugal

600 km de autonomia

Mesmo tratando-se de um concept car, foram divulgadas várias das suas características técnicas, referentes à sua cadeia cinemática e bateria.

Esta última encontra-se posicionada entre os eixos, no chão da plataforma, e tem uma capacidade de 90 kWh, que deverá garantir uma autonomia elétrica de 600 km no ciclo WLTP. O método de arrefecimento é líquido e podemos carregá-la com uma potência de até 150 kW. É também a bateria a principal justificação para os 2100 kg anunciados para este concept.

Lexus LF-Z Electrified

A performance anunciada é também motivo de destaque. Os 100 km/h são atingidos em 3,0s apenas e atinge 200 km/h de velocidade máxima (eletronicamente limitada), cortesia de um único motor elétrico montado sobre o eixo traseiro com 544 cv de potência (400 kW) e 700 Nm.

Para melhor colocar toda a potência no chão, o Lexus LF-Z Electrified vem equipado com o DIRECT4, um sistema de controlo de tração às quatro rodas que é muito flexível: permite tração traseira, tração dianteira ou às quatro rodas, adaptando-se a qualquer necessidade.

Outro aspeto a destacar é a sua direção, que é do tipo by-wire, ou seja, sem qualquer ligação mecânica entre o volante e o eixo direcional. Apesar de todas as vantagens anunciadas pela Lexus como maior precisão e filtração de vibrações indesejadas, dúvidas permanecem sobre o “sentir” da direção ou a sua capacidade de informar o condutor — uma das lacunas de um sistema de direção similar usado pela Infiniti no Q50. Será que a Lexus aplicará esta tecnologia num dos seus futuros modelos?

Mais artigos em Notícias