Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Apresentação

Foram precisos 18 meses para pintar este Bugatti Divo “Lady Bug”

Com uma pintura customizada, o Bugatti Divo "Lady Bug" demorou quase dois anos a ser pintado e o processo foi tão difícil que esteve quase a ser abandonado.

Quando o Bugatti Divo foi revelado em Pebble Beach em 2018, não tardou até um cliente pedir à marca francesa uma versão especial e customizada do novo hiperdesportivo.

O pedido era, à primeira vista, simples. Afinal de contas, o cliente apenas queria ver o seu Divo pintado num padrão geométrico com um padrão em forma de diamante em contraste com duas cores: “Customer Special Red” e “Graphite”.

A ideia era que os gráficos com forma de diamante se prolongassem ao longo de todo o carro, combinando com a silhueta do hiperdesportivo francês. Posto tudo isto, parecia um trabalho fácil para os artesão de Molsheim, certo? Olhe que não, olhe que não…

VÊ TAMBÉM: Bugatti Centodieci. Tributo ao EB110 já tem protótipo funcional
Bugatti Divo 'Lady Bug'

Uma “dor de cabeça”

No total, o projeto demorou cerca de um ano e meio e exigiu o recurso a várias simulações, ao recurso de dados CAD e até a um veículo de testes. O objetivo? Criar o padrão com 1600 “diamantes” e assegurar que estes ficavam perfeitamente alinhados antes de serem aplicados no Bugatti Divo do cliente.

Segundo Jorg Grumer, chefe de cores e acabamentos da Bugatti, o projeto esteve quase a ser abandonado, afirmando: “devido à natureza do projeto, em que um gráfico 2D foi aplicado a uma “escultura 3D” , e depois de várias ideias fracassadas e tentativas de aplicar os diamantes, estivemos perto de desistir e dizer “não podemos cumprir o desejo do cliente”.

VÊ TAMBÉM: Diretor da Bugatti e Lamborghini: “o motor de combustão deve durar tanto tempo quanto possível”

O resultado final

Apesar das dificuldades, a equipa da Bugatti conseguiu mesmo resolver todos os problemas e após um último “ensaio” num carro de testes lá aplicou o padrão muito específico ao Bugatti Divo do cliente.

Depois disso os funcionários da marca gaulesa avaliaram ainda atentamente cada diamante durante vários dias para garantir que tudo estava bem.

Para o presidente da Bugatti, Stephan Winkelmann, este Divo “demonstra o que a marca é capaz de fazer em termos de criatividade e habilidade”.

Apelidado de “Lady Bug” (ou em português “Joaninha”), este Bugatti Divo foi entregue ao seu proprietário no início do ano, juntando-se a uma coleção da qual fazem parte modelos como o Vision Gran Turismo, o Chiron ou o Veyron Vitesse.

Bugatti Divo 'Lady Bug'
Sabe responder a esta?
Em que ano foi revelado o Bugatti EB110?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Bugatti EB110. O último Bugatti antes da era Volkswagen

Mais artigos em Notícias