Desportos Motorizados

Kevin Magnussen é um dos pilotos do Hypercar da Peugeot Sport

A Peugeot Sport regressa às provas de resistência na nova categoria Hypercar. Hoje conhecemos os sete pilotos que defenderão as cores da marca francesa.

O primeiro anúncio aconteceu em setembro de 2020. A Peugeot, através da Peugeot Sport, a sua divisão de competição, iria regressar aos campeonatos de resistência (WEC ou Campeonato do Mundo FIA de Endurance) e às 24 de Horas de Le Mans, em 2022, na nova categoria Hypercar.

Várias vezes vencedora em Le Mans, tanto com o 905 (1992 e 1993), como com o 908 HDi FAP (2009), não admira as expetativas geradas pelo anúncio do regresso da Peugeot — nada menos que a vitória é o que esperamos da marca francesa.

O Hypercar da Peugeot Sport ainda não foi revelado — Olivier Jansonnie, o diretor técnico da Peugeot Sport, diz que o design já está 95% completo —, mas já sabemos o que o vai motivar.

Peugeot Total Le Mans

Será um protótipo puro — infelizmente, ficámos a saber recentemente, que não terá correspondência num modelo de estrada, como chegou a estar determinado nos regulamentos da categoria —, e será também um híbrido.

Ainda não foi batizado, mas já sabemos que contará com um V6 biturbo de 2,6 l (90º) montado em posição central traseira, pode debitar até 680 cv e motorizará apenas eixo traseiro; e contará igualmente com uma MGU (unidade motor-gerador) capaz de debitar 272 cv que motorizará o eixo dianteiro. O uso combinado dos dois motores não poderá, no entanto, ultrapassar os 680 cv (500 kW), o que obrigará a limitar o 2,6 V6 a 408 cv (300 kW) quando o motor elétrico estiver em funcionamento. Fica a saber mais sobre a nova máquina:

TUDO O QUE SABEMOS: Já há números da máquina da Peugeot para as 24 Horas de Le Mans
Peugeot Le Mans LMH

Os pilotos

Claro que, para além da máquina, precisamos dos pilotos. A Peugeot Sport anunciou hoje os pilotos que farão parte da sua campanha no WEC e nas 24 Horas de Le Mans a partir de 2022.

De acordo com os responsáveis da Peugeot Sport, o trabalho de seleção dos pilotos começou há já algum tempo, com uma seleção inicial de 40-50 pilotos que após uma análise das estatísticas de cada um nos campeonatos WEC, IMSA e LMS, resultou numa seleção final de 12, antes de escolherem os sete pilotos finais.

Talvez, por isso, o nome mais notável a surgir seja o de Kevin Magnussen, o piloto dinamarquês de Fórmula 1 que em 2020 competiu pela Haas. Apesar de vir da categoria rainha dos desportos motorizados, a sua falta de experiência em provas de resistência é evidente. Algo que Magnussen espera colmatar este ano, estando aos comandos de um protótipo da Cadillac da Chip Ganassi Racing no campeonato IMSA (o equivalente ao WEC). Os restantes pilotos podem conhecê-los na galeria abaixo:

Apesar de só agora terem sido anunciados, o trabalho para os sete pilotos irá começar brevemente ainda antes do carro estar pronto a rolar. Não só vão ser parte ativa no desenvolvimento do Hypercar da Peugeot Sport, como os trabalhos no simulador já começaram.

LMH ou LMDh?

A nova categoria Hypercar ou LMH (Le Mans Hypercar) onde a Peugeot Sport vai competir sofreu algumas alterações por parte dos seus criadores, a FIA e a ACO, para melhor alinharem e equipararem as máquinas que nela participarão com outra nova categoria, a LMDh (Le Mans Daytona Hybrid). Uma decisão algo controversa que levou, por exemplo, a Aston Martin a suspender o desenvolvimento do Valkyrie LMH.

Peugeot Total Le Mans

Os LMDh têm uma vantagem de custo em relação aos LMH, ao terem uma série de componentes standard ou comuns entre todos os participantes. Por exemplo, apesar dos construtores participantes poderem usar o seu próprio motor e carroçaria, o chassis será providenciado pela ORECA, Ligier, Dallara ou Multimatic; assim como o sistema híbrido será idêntico em todos eles.

Para melhor nivelar a performance em circuito entre as duas categorias, também o peso mínimo e a potência máxima combinada são agora idênticos, respetivamente de 1030 kg e 680 cv (500 kW).

Porém a Peugeot Sport decidiu manter-se na categoria Hypercar que, apesar dos custos de desenvolvimento superiores, permite uma maior liberdade, tal como nos disse Jean-Marc Finot, diretor do programa, na sessão de perguntas e respostas após a revelação dos pilotos: “a categoria Le Mans Hypercar tem maior liberdade nos regulamentos em design (NDR: aerodinâmica e estilo) e permite-nos desenvolver “em casa” novas tecnologias.”

Um trunfo que poderá refletir-se, de forma mais direta, nos futuros modelos de estrada eletrificados da Peugeot, indo ao encontro de terem como parceiro de desenvolvimento do Hypercar, a Total — uma parceria que levará também à fabricação de baterias na Europa já a partir de 2023.

Peugeot Total Le Mans
VÊ TAMBÉM: O Toyota GR Super Sport já rolou em… Le Mans!

Quando veremos o Hypercar da Peugeot Sport?

De acordo com Olivier Jansonnie, o diretor técnico da Peugeot Sport, ainda vai demorar meses até conhecermos o carro final. O V6 do Hypercar só começará a ser testado em banco em finais de abril, e a sua junção com a MGU no novo chassis só deverá acontecer em novembro.

Se tudo correr como o planeado, veremos o Hypercar da Peugeot Sport começar os primeiros testes dinâmicos no final deste ano.

Sabes responder a esta?
Que motor equipa o Lexus LC 500 Convertible?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Adeus ao incrível V8 atmosférico do novo Lexus LC 500 Convertible (477 cv)

Mais artigos em Notícias