Hiperdesportivos

Parece que é desta. Aston Martin Valkyrie chega ainda este ano

Está a ser um parto difícil, mas é o novo diretor executivo da marca britânica que nos assegura que os primeiros Aston Martin Valkyrie começarão a ser entregues no verão.

Não está fácil. O radical Aston Martin Valkyrie deveria ter começado a ser entregue aos seus futuros proprietários em 2019, mas até agora… nada.

O atraso é justificado mais pelo período turbulento pelo qual o fabricante britânico passou durante grande parte de 2019 e no primeiro trimestre de 2020, do que pela pandemia que se seguiu.

Um período que acabou por ter como consequência não só a chegada de novos proprietários — Lance Stroll, diretor da equipa Racing Point da Fórmula 1 — como de um novo diretor executivo, Tobias Moers, ex-diretor da AMG.

VÊ TAMBÉM: Aston Martin tem um novo CEO. Afinal o que se passa na “Ferrari britânica”?
Aston Martin Valkyrie

Durante esse período mais conturbado, chegaram rumores de que até o Valkyrie poderia estar em risco de não ser lançado, após a Aston Martin ter dado um passo atrás na sua entrada para a nova categoria Hypercar do campeonato WEC (World Endurance Champioship). As alterações aos regulamentos estiveram na origem da tomada dessa decisão, em que a categoria LMH (Le Mans Hypercar) passou a estar mais em linha com a nova categoria LMDh (Le Mans Daytona Hybrid).

Bem, após tantas atribulações, é o próprio Tobias Moers, diretor da Aston Martin desde 1 de agosto de 2020, que vem apaziguar os ânimos não só dos futuros proprietários do Valkyrie, como também dos fãs desta máquina extraordinária, uma das mais radicais a ser homologada para circular na via pública.

Num vídeo publicado pela marca britânica, Moers assegura que as primeiras entregas do Valkyrie começarão a meio deste ano, ou seja, no início do verão.

Não foi apenas uma oportunidade para informar publicamente os futuros proprietários de quando é que poderão sentar-se e conduzir os seus hipercarros de praticamente três milhões de euros, foi também uma oportunidade para o “chefe” conduzir o Valkyrie no circuito de Silverstone, Reino Unido.

VÊ TAMBÉM: Aston Martin ganha mais tecnologia Mercedes que ganha uma parcela maior da Aston Martin

Uma máquina de “doidos”

As especificações são ainda difíceis de assimilar: um V12 atmosférico by Cosworth capaz de fazer mais de 11 000 rpm, ao mesmo tempo que está a produzir mais de 1000 cv, ao qual se junta um motor elétrico que eleva a potência máxima até aos 1160 cv e o binário até aos 900 Nm.

Aston Martin Valkyrie 6.5 V12

Há hipercarros mais potentes, mas nenhum deles combina o número adicional de equídeos com tão pouca massa como o Aston Martin Valkyrie, estimando-se que fique por 1100 kg — praticamente o mesmo que um modesto Mazda MX-5 2.0.

Saído da mente genial de Adrian Newey, o “pai” de tantos monolugares vencedores e dominadores na Fórmula 1 pela Williams, McLaren e Red Bull Racing, seria de esperar que a aerodinâmica fosse um aspeto crucial no desenvolvimento do hiperdesportivo britânico. Basta olhar para ele…

O percurso do ar é meticulosamente canalizado por cima e por baixo da carroçaria — via dois massivos túneis Venturi — e conta ainda com elementos aerodinâmicos ativos que contribuem para produzir mais de 1800 kg de downforce, mais de 1,6 vezes que a sua massa total.

Não admira as declarações que indicam que consiga acompanhar os LMP1 que agora foram reformados… Bem, pelo menos na sua versão AMR, específica para circuitos, da qual serão feitas 25 unidades que se irão juntar às 150 do Aston Martin Valkyrie “normal” — que de “normal” nada tem…

Mais artigos em Notícias