Vídeo

Novo Fiat 500 em vídeo. O melhor 100% elétrico do segmento?

Exclusivamente elétrico, o novo Fiat 500 apresenta-se com três carroçarias diferentes e dois tipos de bateria. Será este o melhor 100% elétrico do segmento?

Em Lisboa, Portugal

Fiel às linhas que o caracterizam há mais de 50 anos, o Fiat 500 reinventou-se e chega agora numa versão 100% elétrica com o objetivo de continuar a ser o sucesso de vendas que tem sido desde sempre.

Depois de já o termos conduzido em Turim, voltámos a encontrar-nos com o pequeno citadino italiano, desta vez em Lisboa, onde o Diogo Teixeira teve a oportunidade de o colocar à prova para tentar responder a uma questão: será este o melhor 100% elétrico do segmento?

Com o Honda e como principal rival, o novo Fiat 500 mantém o visual retro que muito sucesso lhe tem garantido mas recebeu um importante reforço tecnológico. Grande parte desse reforço é evidente no interior, onde pormenores como o novo painel de instrumentos digital ou o também novo sistema de infoentretimento UConnect 5 — que recorre a um ecrã de 10,25” e permite a ligação com sistemas Android Auto e Apple CarPlay sem recurso a fios — “saltam” à vista.

VÊ TAMBÉM: Este Fiat 500 é meio carro… meio bicicleta

Além disto, o pequeno italiano surge não com um, nem com dois mas com três formatos de carroçaria. Desta forma, às versões de três portas e cabriolet junta-se agora a variante 3+1 que conta com uma pequena porta lateral de abertura invertida — como nos Mazda MX-30 e BMW i3 — do lado do passageiro.

Dois motores, duas baterias

Não é só ao nível da carroçaria que o novo Fiat 500 oferece diversas opções de escolha, acontecendo o mesmo no que à potência e à bateria diz respeito. Desta forma, a versão base, com o nível de equipamento Action e disponível apenas na versão de três portas, apresenta-se com um motor elétrico menos potente, de 95 cv (70 kW), e uma bateria de menor capacidade com apenas 23,8 kWh.

Esta pode ser carregada em carga rápida até 50 kW e permite uma autonomia de 180 km (ciclo WLTP) ou 240 km (ciclo WLTP cidade). Neste caso, o 500 acelera até aos 100 km/h em apenas 9,5 segundos e vê a sua velocidade máxima limitada a 135 km/h.

Já as restantes versões surgem equipadas com um motor de 118 cv (87 kW) que é alimentado por uma bateria de 42 kWh que permite uma autonomia de 320 km (ciclo WLTP) a 460 km (ciclo WLTP cidade). Quanto às prestações, este motor permite alcançar os 50 km/h em 3,1s, os 100 km/h em 9s e os 150 km/h de velocidade máxima (limitada).

Fiat 500
VÊ TAMBÉM: Mazda MX-30 contra Honda e. Qual é o melhor para ti?

E o carregamento?

No total, o Fiat 500 tem três modos de condução: Normal, Range e Sherpa. Já no que diz respeito ao carregamento, a capacidade de carregamento rápido varia, como seria expectável, consoante a bateria que equipa o citadino da marca de Turim.

Começando pela bateria mais pequena, a de 23,8 kWh, os Fiat 500 com ela equipados contam com um sistema de carregamento rápido de 50 kW que permite repor cerca de 50 km de autonomia em cerca de 10 minutos. Além disso, esta pode ainda ser carregada em casa com recurso ao cabo Modo 2 (3 kW) ou em postos públicos ou numa wallbox com o cabo Modo 3 trifásico de 11 kW.

Fiat 500
VÊ TAMBÉM: O Fiat Panda renovou-se para comemorar 40 anos de vida

Quanto à bateria de 42 kW, os Fiat 500 que surgem equipados com ela estão dotados de um sistema de carregamento rápido de 85 kW. Quer isto dizer que em apenas 5 minutos é possível repor 50 km de autonomia e em apenas 35 minutos é possível recarregar a bateria até 80%.

Além disto, esta bateria pode ainda ser recarregada numa tomada de até 3 kW ou então numa wallbox de até 7,4 kW, sendo que neste caso é possível recarregar a totalidade da bateria em apenas seis horas.

Sabe responder a esta?
Qual foi o primeiro modelo a recorrer a um motor Diesel de injeção direta?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Fiat. A marca que «inventou» os motores Diesel modernos

Mais artigos em Testes, Primeiro Contacto