Venda

Antes do A8 existiu o Audi V8. E este só percorreu 218 km desde 1990

Este Audi V8 de 1990 parece ter parado no tempo. Desde que foi adquirido só percorreu 218 km, com os últimos 61 km a serem efetuados pelo stand que agora o vende.

É fácil ficar perplexo perante casos como o deste Audi V8 que se encontra à venda nos Países Baixos através do vendedor Bourguignon. Adquirido em 1990, percorreu apenas 218 km durante os seus 30 anos de vida…

Não sabemos o porquê de ter andado tão poucos quilómetros, mas sabemos que começou a sua vida na Bélgica, onde percorreu 157 km. A partir de 2016 passou a fazer parte da coleção privada de Ramon Bourguignon, proprietário da empresa que agora o vende, onde percorreu mais 61 km.

Como é possível de ver nas imagens, o estado de conservação da grande berlina alemã parece ser elevado. No entanto, o vendedor refere algumas máculas. Apesar de praticamente não ter circulado, o painel traseiro teve de ser repintado e, por alguma razão, o rádio original não se encontra presente.

VÊ TAMBÉM: Audi A8 agora também como híbrido plug-in

Sendo o topo de gama da Audi na altura, este V8 traz uma completa lista de equipamento, alguns dos quais ainda eram incomuns na altura: cruise control, ABS, bancos aquecidos (os de trás também) e com regulação elétrica com o condutor a ter função de memória, climatização automática, janelas e retrovisores elétricos. Esta unidade vinha ainda equipada com alguns opcionais, como as cortinas para as janelas traseiras e óculo traseiro.

O preço pedido por este Audi V8 reflete o seu estatuto de “unicórnio”: 74 950 euros. Será que vale mesmo tanto assim?

Audi V8, o primeiro

Temos de recuar à década de 80 do século passado para perceber o quão significativo foi o Audi V8 para a marca dos anéis. Se hoje em dia colocamos a Audi como uma das mais três importantes marcas premium, ao lado da Mercedes-Benz e da BMW, nos anos 80 não era assim.

Apesar da reputação e imagem crescente da marca durante essa década, apoiando-se nos sucessos da tecnologia quattro, na introdução dos motores de cinco cilindros (ainda hoje uma das suas imagens de marca), e até nos avanços tecnológicos e sucessos na competição, a imagem e percepção da marca não estavam ao mesmo nível das rivais.

Podemos considerar o Audi V8 como um dos primeiros capítulos para uma aproximação séria à Mercedes-Benz e à BMW, mas a verdade é que o V8, apesar de introduzir muitas novidades, não conseguiu convencer o mercado. Não seria difícil imaginar que enfrentar rivais estabelecidos do calibre do Classe S e do Série 7 fosse tarefa fácil, mas após seis anos no mercado, pouco mais de 21 mil unidades foram vendidas, manifestamente pouco.

O Audi V8 estava apenas disponível com motorizações… V8. Foi o primeiro motor V8 da Audi, pelo que se compreende que até tenha servido de designação do modelo — originalmente era suposto chamar-se de Audi 300.

Tal como a unidade que está à venda, surgiu com um 3.6 V8 naturalmente aspirado, com 250 cv. Foi também o primeiro veículo da sua classe a ser oferecido com tração integral e a associar o sistema quattro a uma caixa automática. Mais tarde, em 1992, ganhava um segundo V8, desta vez com 4.2 l de capacidade e 280 cv de potência, ao mesmo tempo que recebia uma carroçaria longa.

Talvez o facto mais curioso sobre esta berlina de luxo é que, apesar de não ter conquistado as tabelas de vendas, conquistou os circuitos. O Audi V8 quattro conquistou dois campeonatos DTM, em 1990 e 1991 — levando de vencida os mais pequenos e ágeis 190E e M3 —, com o primeiro campeonato (de pilotos) a ter sido conquistado no seu ano de estreia na competição.


A equipa da Razão Automóvel continuará online, 24 horas por dia, durante o surto de COVID-19. Segue as recomendações da Direção-Geral de Saúde, evita deslocações desnecessárias. Juntos vamos conseguir ultrapassar esta fase difícil.

Mais artigos em Notícias