Pocket Rocket eletrizante

Sim ou não. Faz sentido haver um Abarth 595 elétrico?

A semana passada vimos um Fiat 500 100% novo e 100% elétrico. Será que veremos a marca do escorpião injetar veneno no novo 500 dando origem a um Abarth 595 elétrico?

Com o fim de produção do 124 Spider, a Abarth vê-se novamente reduzida apenas e só ao pequeno 500 para formar a sua gama. Mas agora temos um (realmente) novo Fiat 500, que também é exclusivamente elétrico — poderá um Abarth 595 elétrico ou até um 695 elétrico estar nos planos da marca do escorpião?

Verdade é que temos visto surgir inúmeras propostas totalmente elétricas, mas por enquanto, nenhuma focada na performance — falamos, naturalmente, de desportivos como hot hatch ou pocket rockets —, usufruindo das características intrínsecas do motor elétrico: binário e aceleração instantâneos.

Tem havido rumores sobre estas, e a Renault até chegou a apresentar há uns anos um protótipo de um Zoe cheio de “esteróides”, mas por agora, o mais próximo que temos é o Mini Cooper SE. Com 184 cv já permite fazer os clássicos 0 aos 100 km/h em 7,3s, mas são vários os compromissos desta proposta, o que se tem refletido na avaliação das suas capacidades dinâmicas.

VÊ TAMBÉM: Este é o novo Fiat 500. 100% elétrico e já disponível por encomenda

Apesar do centro de gravidade inferior e da melhor distribuição de pesos do Cooper SE em relação ao Cooper S (gasolina), a distância ao solo é agora maior em 18 mm para “encaixar” as baterias numa plataforma que não foi concebida de raíz para as comportar. Além de que o lastro extra (1440 kg contra 1275 kg) obriga a uma calibração na suspensão que nem sempre beneficia o comportamento dinâmico.

O novo Fiat 500 elétrico, por outro lado, assenta sobre uma nova plataforma específica para este tipo de motorização. Ou seja, em princípio, será um melhor ponto de partida para criar o primeiro escorpião elétrico de sempre.

Um hipotético Abarth 595 elétrico

Tal como os seus congéneres a gasolina, também este hipotético Abarth 595 elétrico teria de beneficiar de mais cavalos para fazer jus ao nome. Os 118 cv do 500 elétrico e os 9,0s dos 0 aos 100 km/h simplesmente não são suficientes. Seriam precisos números mais em linha com os apresentados pelo Mini Cooper SE para justificar o símbolo do escorpião.

E quanto à autonomia? O Fiat 500 elétrico anuncia 320 km (WLTP). Sabendo que a maior performance poderá implicar um sacrifício na autonomia, estaríamos dispostos a prescindir de algumas dezenas de quilómetros para aceder a um outro patamar de performance com um Abarth 595 elétrico?

Abarth 695 70º anniversario
Abarth 695 70º anniversario

Talvez aquilo que mais pudéssemos sentir falta num Abarth 595 elétrico fosse a sonoridade grave do 1.4 Turbo que marca todos os modelos da marca do escorpião. Sendo um motor elétrico, ou teremos silêncio ou sons sintetizados… Nenhum deles parece ser uma solução satisfatória, mas são as únicas opções disponíveis.

A NÃO PERDER: Testámos o Mégane R.S. TROPHY-R. O tração dianteira mais RÁPIDO DO MUNDO (vídeo)

Por fim, como a imagem de capa deste artigo mostra, cortesia do X-Tomi Design, não seria difícil conseguir um aspeto desportivo e cheio de apelo visual. Ao adotar as mesmas linhas e proporções do 500 com motor de combustão, apesar de ser um modelo de maiores dimensões, um hipotético Abarth 595 elétrico resultaria, quase de certeza, num (compacto) regalo para os olhos.

Deixamos-te o desafio. Deveria a Abarth lançar um desportivo elétrico com base no novo Fiat 500? Deixa a tua opinião na caixa de comentários.

Sabes responder a esta?
Que motor equipa o Porsche 718 Boxster GTS?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

6 cilindros, atmosférico e manual! Ao volante do Porsche 718 Boxster GTS (vídeo)

Mais artigos em Notícias