Fim de uma era

O fim do Maserati GranTurismo é o início de uma nova era para a marca

O Maserati GranTurismo Zéda representa o fim de uma era — e o fim de produção do modelo —, mas é o elo de ligação para uma nova era no construtor italiano.

Foi revelado em 2007 e desde então nunca deixou de apaixonar. O Maserati GranTurismo é a essência do que deve ser um… Gran Turismo, ou GT para abreviar.

Um coupé de quatro lugares e elevadas prestações, cortesia dos motores V8 atmosféricos com a mais nobre das origens, Ferrari, e linhas que apaixonam tanto hoje como no dia que foram reveladas — continua a ser dos Maserati mais desejados.

Mas tudo o que é bom tem de terminar, e após (longos) 12 anos em produção, a revelação do Maserati GranTurismo Zéda representa o último dia de produção do grande coupé e cabriolet (GranCabrio).

VÊ TAMBÉM: Adeus, Alfa Romeo 4C e futuros GTV e 8C
Maserati GranTurismo Zéda

A relevância do momento é concentrada neste GranTurismo Zéda, um modelo único muito especial. O nome Zéda é a forma como se pronuncia a letra “Z” no dialeto local (Modena) e apesar de ser a última letra do alfabeto, a Maserati quer que o Zéda seja a ligação entre o passado, presente e o futuro — “há um novo início para cada fim”.

A pintura exclusiva é também simbólica dessa ligação. O gradiente inicia-se com um tom neutro claro e acetinado, passando para um mais carregado, com um “efeito metalúrgico”, mudando novamente para o azul típico da Maserati que culmina num novo azul mais “energético, elétrico”.

12 anos em produção
Após 12 anos em produção, são contabilizadas mais de 40 mil unidades do par de GT da Maserati, distribuídas em 28 805 unidades para o GranTurismo e 11 715 unidades para o GranCabrio.

Um novo início

O fim de produção do Maserati GranTurismo, e também do GranCabrio, significa também o início da renovação da fábrica de Modena para receber a produção de um novo desportivo de elevadas prestações, que significará também o início de uma nova era para a Maserati: a introdução dos seus primeiros modelos 100% elétricos.

O novo desportivo será revelado já no próximo ano e deverá versões com motor de combustão e uma 100% elétrica. Este novo modelo é o início de um plano ambicioso de renovação e até reinvenção da marca.

VÊ TAMBÉM: Nova ofensiva da Maserati traz novos modelos e eletrificação

O ano de 2020 será particularmente cheio para a Maserati. Além do novo desportivo, que não é o sucessor direto do GranTurismo, os modelos atualmente à venda, Ghibli, Quattroporte e Levante, serão também atualizados.

Em 2021 será desvendado a versão descapotável do novo desportivo, assim como o verdadeiro sucessor do Maserati GranTurismo. Mas a grande novidade será a revelação de mais um SUV, posicionado abaixo do Levante, derivado da mesma base do Alfa Romeo Stelvio.

Em 2022, será conhecido o sucessor do GranCabrio, assim como o sucessor do Quattroporte, o seu topo de gama. Por fim, em 2023, será a vez do Levante ser substituído por uma nova geração.

O que é comum a todos os novos modelos será a aposta na eletrificação. Seja através da hibridização, ou de versões 100% elétricas de alguns destes modelos, o futuro da marca será, definitivamente… eletrizante.

Maserati GranTurismo Zéda
Sabes responder a esta?
Como se chama o CUV da gama Ceed da Kia?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Testámos o Kia XCeed 1.4 T-GDI: diferente do Ceed, mas será melhor?

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos